Arranjo institucional, capacidades estatais e política industrial: os Conselhos de Competitividade do Plano Brasil Maior

  • Guilherme de Queiroz Stein
  • Alfredo Alejandro Gugliano

Resumo

Nesse artigo discute-se a relação entre capacidades estatais e
política industrial a partir da perspectiva de análise de arranjos
institucionais de políticas públicas. Como objeto empírico,
analisa-se a experiência histórica da implementação de conselhos setoriais tripartites na política industrial brasileira e
o caso dos Conselhos de Competitividade do Plano Brasil
Maior. As conclusões apontam que os Conselhos de Competitividade reproduziram problemas encontrados nas experiências prévias e foram incapazes de gerar capacidades sufcientes
para coordenar os atores da maneira como sua função exigia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
27-12-2017
Como Citar
de Queiroz Stein, G., & Alejandro Gugliano, A. (2017). Arranjo institucional, capacidades estatais e política industrial: os Conselhos de Competitividade do Plano Brasil Maior. Sociedade E Cultura, 20(1). https://doi.org/10.5216/sec.v20i1.51057
Seção
Dossiê