Transculturalidade e ficções migratórias no cinema da identidade: experiências diaspóricas em 14 Kilómetros

  • Rafael Tassi Teixeira

Resumo

O presente trabalho parte de uma interrogação bastante presente nos discursos migratórios contemporâneos: como as narrativas em trânsito reposicionam os sujeitos na condição do olhar sobre a relação foraneidade-autoctonia, pensadas através da experiência fundamental do deslocamento? O artigo explora as relações entre as escolhas das narrativas e a identidade na estrada, focalizando as dinâmicas interculturais entre as historicidades móveis e as culturas de recepção. Desenvolve a imagem da experiência do deslocamento como condição estrutural da construção dos itinerários culturais a partir de “zonas de contato/emergência” abertas pela globalização circundante, que tem significativo impacto nas dinâmicas da alteridade imigrante. Posteriormente, o trabalho analisa a reflexividade ensaística a partir da emergência do olhar sobre a imagem dos lugares migratórios em relação a um discurso fílmico a respeito de imigrantes em processos de trânsito. A relação subjetividade-cultura é pensada através da imagem do migrante em busca da identificação psicológica e comunitária na relativização espacial. As identidades observadas pela cultura de envolvimento e a relação de forças, hegemônicas e assimétricas, servem de material para reflexão do alcance comparativo “Nós-Outros”.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
26-12-2017
Como Citar
Tassi Teixeira, R. (2017). Transculturalidade e ficções migratórias no cinema da identidade: experiências diaspóricas em 14 Kilómetros. Sociedade E Cultura, 20(1). https://doi.org/10.5216/sec.v20i1.50864
Seção
Artigos Livres