SELEÇÃO DO LIVRO DIDÁTICO PELO PROFESSOR: possibilidades e critérios

Autores

  • Fernanda Mesquita da Silva Universidade Federal de Catalão
  • Maria Aparecida Lopes Rossi Universidade Federal de Catalão

DOI:

https://doi.org/10.5216/er.v22i2.68430

Resumo

O artigo que apresentamos é parte integrante da pesquisa de mestrado intitulada “A influência do livro didático nas práticas pedagógicas de professores dos anos iniciais do ensino fundamental”. A partir do momento que o Livro Didático foi inserido de forma permanente no ensino brasileiro, iniciaram-se também pesquisas que tentam identificar e compreender esse material e seu uso na prática escolar. Assim, propomos analisar a relação que o professor estabelece com o LDP, principalmente no que se refere à sua seleção. Para tanto, foram realizadas observações durante as aulas de Língua portuguesa e entrevistas semiestruturadas com professoras do 4º e 5º ano do Ensino Fundamental I. Percebemos que o docente possui uma liberdade relativa na escolha do material, visto que o MEC realiza uma pré-seleção dos LDPs que chegam às escolas. Ou seja, o universo de livros à disposição do estabelecimento de ensino já vem reduzido e os professores ainda têm que optar por três LDPs, para que um deles chegue à instituição. Portanto, o que ocorre é que a seleção dos livros é feita inicialmente pelo governo federal. Neste sentido, o docente acaba sendo tolhido e limitado no processo de escolha do material que usará na sua prática.

Palavras-chave: Livro Didático. Língua Portuguesa. Processo de seleção.

Downloads

Publicado

27-04-2021 — Atualizado em 27-04-2021

Versões

Como Citar

SILVA, F. M. da; ROSSI, M. A. L. SELEÇÃO DO LIVRO DIDÁTICO PELO PROFESSOR: possibilidades e critérios. Espaço em Revista, [S. l.], v. 22, n. 2, p. 205–219, 2021. DOI: 10.5216/er.v22i2.68430. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/espaco/article/view/68430. Acesso em: 15 out. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS/ARTICLES