UM PASSEIO NA HISTÓRIA DOS ESTUDOS CULTURAIS: investigação sob a perspectiva da Geografia

Autores

  • Maria de Fátima Albuquerque Caracristi Universidade Federal do Tocantins

DOI:

https://doi.org/10.5216/er.v15i2.28046

Resumo

Este artigo discute a importância da Geografia Cultural para as pesquisas e as investigações geográficas tomando como referência os princípios teóricos e os métodos de estudos sugeridos por Paul Claval. No percurso do trabalho correlacionaremos as incursões dos Estudos Culturais e o caminho epistemológico trilhado pela Geografia Cultural. Apresentaremos primeiramente uma breve história de como se originou e se constituiu os Estudos Culturais, tanto o caráter disciplinar quanto o acadêmico e, finalmente, como a Geografia se utilizou da cultura como uma categoria legitimamente cientifica para o pesquisador inquirir sobre as questões de raça, sexo, homossexualidade, biodiversidade, tendo no espaço a sua principal representação. Os lugares novos, inseridos num velho mundo com suas novas figuras protagonizando cenários onde o lugar é este pedaço de gueto, refúgio ou nova territorialidade de migrantes latinos, onde o locus se torna essência e território de identidade é que fundamenta a importância da Geografia Cultural, num cenário onde se evidencia a permanente inquietação da Geografia e sua constante autocrítica, sua dúvida inicial sobre os caminhos epistemológicos trilhados pelos Estudos Culturais e finalmente seu convite à cultura como uma categoria legitimamente cientifica.

Biografia do Autor

Maria de Fátima Albuquerque Caracristi, Universidade Federal do Tocantins

Professora Adjunta do Curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Tocantins-UFT, aluna do progrma de Dotorado do IESA/Universidade Federal de Goiás-Mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

15-02-2014

Como Citar

CARACRISTI, M. de F. A. UM PASSEIO NA HISTÓRIA DOS ESTUDOS CULTURAIS: investigação sob a perspectiva da Geografia. Espaço em Revista, [S. l.], v. 15, n. 2, 2014. DOI: 10.5216/er.v15i2.28046. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/espaco/article/view/28046. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS/ARTICLES