O USO DE AGROTÓXICOS E SUAS IMPLICAÇÕES NAS LAVOURAS DE ABACAXI NO MUNICÍPIO DE MONTE ALEGRE DE MINAS (MG)

Autores

  • Alessandra Rodrigues Guimarães Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/er.v15i2.28033

Resumo

A busca para obtenção de maior produtividade na agricultura moderna visa o aumento da lucratividade em menor tempo de cultivo e com maior produtividade. Este fator é resultado do sistema capitalista, pois o lucro sempre foi o objetivo principal deste modo de produção. A utilização de agrotóxicos nas lavouras propiciou essa demanda que os agricultores estavam buscando, ou seja  cultivar um número maior de produtos no menor tempo possível, obtendo o dobro de lucro na mesma área plantada. O uso dos produtos químicos faz com que evite doenças nas plantas, e também aumente sua produtividade, mas sua aplicação oferece riscos ambientais, como a contaminação dos solos, das águas superficiais e subterrâneas, e também dos alimentos produzidos, além de causar intoxicação dos trabalhadores rurais que aplicam estes produtos. Devido a crescente comercialização do abacaxi em Monte Alegre de Minas, os produtores rurais que cultivam o fruto, estão utilizando cada vez mais agrotóxicos e fertilizantes em suas plantações, visando uma maior produtividade em uma escala menor de tempo e de espaço. Este artigo possui como objetivo principal mostrar a utilização de agrotóxicos nas lavouras de abacaxi e suas implicações tanto no âmbito social quanto ambiental.

Biografia do Autor

Alessandra Rodrigues Guimarães, Universidade Federal de Goiás

Mestranda em Geografia pela Universidade Federal de Goiás, Campus Catalão. Possui Graduação em Geografia na modalidade de Licenciatura e Bacharelado, pela Universidade Federal de Uberlândia/Faculdade de Ciências Integradas do Pontal em Ituiutaba (MG).

Downloads

Publicado

15-02-2014

Como Citar

GUIMARÃES, A. R. O USO DE AGROTÓXICOS E SUAS IMPLICAÇÕES NAS LAVOURAS DE ABACAXI NO MUNICÍPIO DE MONTE ALEGRE DE MINAS (MG). Espaço em Revista, [S. l.], v. 15, n. 2, 2014. DOI: 10.5216/er.v15i2.28033. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/espaco/article/view/28033. Acesso em: 8 dez. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS/ARTICLES