O ESTUDO DOS PROBLEMAS AMBIENTAIS URBANOS ATRAVÉS DA GEOGRAFIA

Autores

  • José Vieira Neto Universidade Federal de Goiás - Campus Catalão
  • Odelfa Rosa Universidade Federal de Goiás - Campus Catalão

DOI:

https://doi.org/10.5216/er.v12i1.17654

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo discutir formas de abordagens das questões ambientais locais provocadas pela expansão urbana de Catalão e seu entorno e mostrar através de mapas cartográficos a localização da degradação ambiental provocada pelo homem. A nossa justificativa é que essa metodologia seja aplicada aos estudantes do Ensino Fundamental e médio para que localizem através dos mapas os problemas que tanto afetam as nossas cidades. Entendemos que o ambiente é o local onde vive e se relacionam os seres vivos na natureza e que a cidade como ambiente construído pelos seres humanos, vivem hoje, problemas ambientais que tanto afetam a qualidade de vida dos seus moradores. A população está habitando nas cidades em ambiente degradado e impróprio para a vida. São lugares sem ar puro, sem moradia adequada, sem área de lazer, sem água potável e cercada de esgotos e lixo. Como vemos, os problemas ambientais são frutos de uma sociedade capitalista e que vive da desigualdade e da exclusão social, ou seja, sem direito à cidadania. A cidadania desigual é o mesmo que ambiente desigual. A deterioração do ambiente deteriora o homem, logo, afirmamos que as questões ambientais nas cidades são problemas sociais e que interferem no espaço de reprodução da vida dos seres humanos. Quanto aos resultados, a pesquisa encontra em andamento.

Palavras - chave: Problema ambiental. Geografia. Representações.

Biografia do Autor

José Vieira Neto, Universidade Federal de Goiás - Campus Catalão

Odelfa Rosa, Universidade Federal de Goiás - Campus Catalão

Downloads

Publicado

23-03-2012

Como Citar

NETO, J. V.; ROSA, O. O ESTUDO DOS PROBLEMAS AMBIENTAIS URBANOS ATRAVÉS DA GEOGRAFIA. Espaço em Revista, [S. l.], v. 12, n. 1, 2012. DOI: 10.5216/er.v12i1.17654. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/espaco/article/view/17654. Acesso em: 15 out. 2021.