LUTA, RESISTÊNCIA E EDUCAÇÃO DO CAMPO: O MST NA PARAÍBA

Autores

  • Mara Edilara Batista de Oliveira UFPB
  • María Franco García UFPB

DOI:

https://doi.org/10.5216/er.v10i1.13550

Resumo

Resumo: O artigo apresenta uma análise sobre o problema referente ao descompasso educativo, histórico e espacial, das famílias trabalhadoras rurais e sem-terra na Paraíba. O objetivo central é analisar a proposta educativa do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e a sua relação com a formação territorial do Assentamento Zumbi dos Palmares, localizado no município de Mari, na região da Mata Paraibana. O acesso a uma educação pública de qualidade é um direito garantido pela Constituição brasileira e fundamento de qualquer projeto de desenvolvimento. Acreditando nisso o MST, junto a outros movimentos sociais de luta pela terra e a Reforma Agrária no país, traçaram uma proposta educativa diferenciada, que leva em consideração o papel histórico desses sujeitos. A Escola Zumbi dos Palmares, do assentamento do MST Zumbi dos Palmares no município de Mari, na Zona da Mata paraibana, vem tentando contribuir com a proposta da educação do/no campo.

Palavras-chaves: Educação do Campo. MST. Luta pela terra. Reforma Agrária. Assentamento rural. Geografia.

Biografia do Autor

Mara Edilara Batista de Oliveira, UFPB

Aluna do Programa de Pós-Graduação da UFPB

María Franco García, UFPB

Professora PRODOC/Capes do PPGG/UFPB

Downloads

Publicado

16-03-2011

Como Citar

OLIVEIRA, M. E. B. de; GARCÍA, M. F. LUTA, RESISTÊNCIA E EDUCAÇÃO DO CAMPO: O MST NA PARAÍBA. Espaço em Revista, [S. l.], v. 10, n. 1, 2011. DOI: 10.5216/er.v10i1.13550. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/espaco/article/view/13550. Acesso em: 5 dez. 2021.

Edição

Seção

ARTIGOS/ARTICLES