DA PRODUÇÃO À REPRODUÇÃO: DIÁLOGOS ENTRE FEMINISMOS E MARXISMO

Autores

  • Jéssica Omena Valmorbida USP/CEBRAP

DOI:

https://doi.org/10.5216/emb.v18i1.67337

Resumo

Este artigo pretende mapear – tendo como referência os trabalhos sobretudo de Nancy Fraser, Rahel Jaeggi, Cinzia Aruzza, Titi Bhattacharya – como a adoção dos vieses de gênero e raça, que permitiram desvelar o trabalho de cuidado como condição necessária para manutenção do capitalismo, levou a renovação e renegociação das alianças entre marxismo e feminismo. O desvelamento das relações de cuidado tem sido importante não só para a reinserção das mulheres negras e racializadas nos espaços de ação política e produção epistêmica, mas por possibilitar a renovação e ampliação dos diagnósticos do capitalismo, bem como oferecer novos eixos em torno dos quais se organizam as lutas anticapitalistas no século XXI. 

Publicado

24-02-2021