CARTOGRAFIAS IMPROVÁVEIS: POSTAIS DA (IN)VISIBILIDADE

Autores

  • Ludmila Helena Rodrigues dos Santos UFG/ Professora
  • Aline Moreira Mendes Minduri Universidade Federal de Goiás
  • Amanda Silva de Oliveira
  • Beatriz Silva Lima
  • Dalila Rodrigues Barros
  • Erika Santos e Alves
  • Felipe Nardi Vasconcelos
  • Higor Kleizer de Oliveira Moreira
  • Hildavilly Kairon Santos de Alencar
  • Jovana Lino Bontempo
  • Luis Eduardo Santos Faleiros
  • Noemi Aquino Silva
  • Renan Figueiredo Lima
  • Tainá de Rafael Mauricio
  • Vivian Costa Santos

DOI:

https://doi.org/10.5216/emb.v18i1.61874

Resumo

O presente relato de experiência  é fruto de uma pesquisa-ação proposta na disciplina “Arte e Sociedade”, ministrada na Unidade Acadêmica Especial de História e Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás – Regional Catalão (INHCS/UFG/RC). Tal iniciativa objetivou a operacionalização de uma ação artístico-acadêmica com as/os estudantes do referido curso, intencionando uma apreensão sensível-inteligível do recorte teórico estudado em sala de aula. Trata-se da produção cartões-postais que questionam, pelo recorte das visibilidades neles (re)produzidas, certos condicionamentos do olhar, viver e pensar citadinos. O convite busca incorporar o (in)visível cotidiano de cada estudante, entendendo que tais emersões de visibilidades são sensíveis, políticas e pedagógicas (pois são essencialmente formativas). Tal compreensão é fruto de uma concepção que não dissocia ética e estética na compreensão das relações humanas. Tais cartões, endereçados a um interlocutor (real ou fictício), nos convidam a pensar e viver a teoria também produzindo: fazendo circular visões autorais acerca da cidade, da arte, das percepções e participações. Por isso, mais do que uma (re)produção acadêmica, o intento é uma criação artivista (arte ativista) que multiplique vozes, visões e traga a possibilidade de trocas, implicando em um remapeamento constante das vivências dentro e fora da academia.

Publicado

24-02-2021