Contar com uma vontade de arte antes que nos assombre uma vontade de tecnologia

a propósito dos novos autômatos da era informacional-digital

Autores

  • Francisco Elinaldo Teixeira Universidade de Campinas (UNICAMP), Campinas, São Paulo, Brasil, franciseli@uol.com.br
  • Lisandro Nogueira Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, lisandronogueira@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v23.66014

Palavras-chave:

Arte, Tecnologia, Cinema, Audiovisual, Analógico digital

Resumo

Analisar o debate-confronto em nossa era informacional-digital entre arte e tecnologia, imagens analógicas e imagens de síntese, com o cinema como foco de transformações operadas com o advento e passagem das máquinas sensoriais para as máquinas cerebrais, afirmando seu estatuto de “arte do pensamento” diante do novo automatismo eletrônico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Elinaldo Teixeira, Universidade de Campinas (UNICAMP), Campinas, São Paulo, Brasil, franciseli@uol.com.br

Mestre e doutor pela USP (Sociologia/Ciências),  pós-doutor pela PUC/SP (Semiótica), livre-docente pela UNICAMP (Comunicações). Professor da cinema no IA- UNICAMP (Midialogia e PPG-Multimeios). Autor, entre outros, dos seguintes livros: O terceiro olho: Ensaios de cinema e vídeo. São Paulo: Perspectiva, 2003; Documentário no Brasil: - :Tradição e Transformação. São Paulo: Summus Editorial, 2006; Cinemas “não narrativos”: Experimental e Documentário – Passagens; São Paulo: Alameda, 2013; O ensaio no Cinema: Formação de um quarto domínio das imagens na cultura audiovisual contemporânea. São Paulo: Hucitec, 2015.

Lisandro Nogueira, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, lisandronogueira@gmail.com

Professor de cinema na Universidade Federal de Goiás. Doutor em Cinema e jornalismo pela PUC/SP, Professor do programa de Pós-Graduação do Mestrado/Doutorado em Performances Culturais da Escola de Música e Artes Cênicas da UFG e Professor da Faculdade de Informação e Comunicação/UFG. 

Referências

ANTONIONI, Michelangelo. O fio perigoso das coisas e outras histórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

ASCOTT, Roy. Cultivando o hipercórtex. In: DOMINGUES, Diana (org). A arte no século XXI: a humanização das tecnologias. São Paulo: Editora Unesp, 1997.

BELLOUR, Raymond. Entre-imagens: foto, cinema, vídeo. Campinas/SP: Papirus, 1997.

BELLOUR, Raymond. A dupla hélice . In: PARENTE, André (org.). Imagem-máquina: a era das tecnologias do virtual. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1996.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na época de sua reprodutibilidade técnica. In: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1985. (Obras escolhidas, v. 1).

DELEUZE, Gilles. Conclusões. In: DELEUZE, Gilles. Cinema 2: a imagem-tempo. São Paulo: Brasiliense, 1990.

DELEUZE, Gilles; GUATARRI, Félix. O que é filosofia? Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

FOUCAULT, Michel. O que é o iluminismo. In: ESCOBAR, Carlos Henrique. O dossier: últimas entrevistas. Rio de Janeiro: Taurus, 1984.

KRISTEVA, Julia et al. Elipse sobre o pavor e a sedução especular. In: PSICANÁLISE e cinema. Lisboa: Relógio d’Agua, 1984.

MATOS, Olgária. Pórticos e Passagens: Walter Benjamin – Contratempo e História. In: MACHADO, C. E. J.; VEDDA, Miguel; MACHADO, Rubens (org.). Walter Benjamin: experiência histórica e imagens dialéticas. São Paulo: Unesp, 2015.

RAMOS, Fernão Pessoa. Mas afinal, o que sobrou do cinema? A querela dos dispositivos e o eterno retorno do fim. Galáxia, São Paulo, n.32, p.38-51. Dez. 2016. ISSN 1982-2553.

SCHULER, Evelyn; LEHMANN, Thomas H. Corpo e cinema pela boca aberta de Peter Greenaway. Revista Sexta-Feira: São Paulo, n. 4, 1999.

TEIXEIRA, F. E. Introdução: imagens que passam, poética das passagens entre imagens: cinema e poéticas de subjetivação. In: TEIXEIRA, F. E. Cinemas ‘não narrativos’: documentário e experimental – Passagens. São Paulo: Alameda, 2012.

Downloads

Publicado

10-12-2020

Como Citar

TEIXEIRA, F. E.; NOGUEIRA, L. Contar com uma vontade de arte antes que nos assombre uma vontade de tecnologia: a propósito dos novos autômatos da era informacional-digital. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 23, 2020. DOI: 10.5216/ci.v23.66014. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/ci/article/view/66014. Acesso em: 26 out. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Cinema, Mídia e Tecnologia – narrativas e linguagens nas paisagens