Comunicação sindical em tempos de reforma trabalhista

Autores

  • Sérgio Corrêa Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), São Caetano do Sul, São Paulo, Brasil, scorrea1962@gmail.com
  • Arquimedes Pessoni Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), São Caetano do Sul, São Paulo, Brasil, arquimedes.pessoni@online.uscs.edu.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v24.59788

Palavras-chave:

Comunicação Sindical , Redes Sociais, Reforma trabalhista.

Resumo

Devido à homologação da lei 13.467/17 sobre mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), com ênfase no negociado sobre o legislado e a sustentação financeira dos sindicatos; tais instituições estão passando por um processo de reestruturação. No contexto deste artigo discorremos sobre a mudança na forma e no conteúdo da comunicação sindical, buscando solucionar possíveis falhas nesse processo e obter canais alternativos eficientes na comunicação com os trabalhadores. O trabalho é exploratório com abordagem quantitativa e qualitativa sendo referenciado como estudo de caso a comunicação do Sindicato dos Professores do ABC (SINPRO). Como resultado deste trabalho estruturou-se um Plano de Comunicação sindical para que os associados possam se tornar possíveis produtores e replicadores de conteúdo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Corrêa, Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), São Caetano do Sul, São Paulo, Brasil, scorrea1962@gmail.com

Jornalista e Mestre em Comunicação de Interesse Público - USCS - Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Professor de Radiojornalismo e mídias digitais - Universidade Metodista de São Paulo. 

Arquimedes Pessoni, Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS), São Caetano do Sul, São Paulo, Brasil, arquimedes.pessoni@online.uscs.edu.br

Mestre e Doutor em Comunicação Social. Professor do programa de Pós-Graduação da Universidade Municipal de São Cetano do Sul (SP).

Referências

ANGELUCI, Alan César Belo; FRANCO, Marília da Silva. Aspectos da inovação para televisão digital. Comunicação e Educação, São Paulo, v. 1, n. 19, p.31-38, jan. 2014. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/comueduc/article/view/78558/82612. Acesso em: 21 ago. 2018.

BARBOSA, Roni. Entrevista IX para pesquisa. [Entrevista cedida a] Sérgio Corrêa, 8 nov. 2018.

BIANCHINI, Regiane M.S.; CORRÊA, Sérgio. Comunicação de interesse público: interação na busca da consciência crítica em face aos direitos trabalhista e previdenciário. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 40., 2017, Curitiba. Anais eletrônicos [...]. Curitiba: Intercom, 2017. Disponível em: https://sinpro-abc.org.br/phocadownload/geral/Artigo_Intercom_versao007_20172906.pdf . Acesso em: 13 abr. 2020.

BORGES, Altamiro. Sindicalismo, resistência e alternativas: desafios do sindicalismo no governo Lula. São Paulo: Anita, 2008. 192 p.

BORGES, Roberta. A importância da comunicação sindical em meio a tecnologia. FETIESC, 20 ago. 2015. Disponível em: http://www.fetiesc.org.br/site/2015/08/a-importancia-da-midia-e-da-comunicacao-sindical/. Acesso em: 13 abr. 2020.

BRASIL. Lei nº 13.467, de 13 de julho de 2017. Altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e as Leis n º 6.019, de 3 de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de adequar a legislação às novas relações de trabalho. Brasília, DF: Presidência da República, 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13467.htm. Acesso em: 13 abr. 2020.

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Conflito de Competência nº 19108 - RJ, (97/0002830-5). Suspensão de contribuição sindical. Convenção coletiva de trabalho, sob a égide do art. 1, da lei 8.984 /1995 cumpre a justiça do trabalho processar e julgar as causas em que se discute contribuições sindicais estatuídas em convenção coletiva de trabalho. Brasília, DF: Superior Tribunal de Justiça, 1998. Disponível em: https://stj.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/516249/conflito-de-competencia-cc-19108-rj-1997-0002830-5. Acesso em: 13 abr. 2020.

BRASIL. Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. Brasília, DF: Presidência da República, 1943. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del5452.htm. Acesso em: 12 abr. 2020.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTELLS, Manuel. Cultura digital. IBEBrasil, [S. l.], 2002. Disponível em: https://ibebrasil.org.br/areas-atuacao/cultura-digital/. Acesso em: 2 maio 2020.

CHURCHILL JR., Gilbert A.; PETER, J Paul. Marketing: criando valor para os clientes. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2012. 636 p.

DIEESE. Planejamento estratégico e ação sindical. Brasília: CNTE, 2014. 42 p. Disponível em: https://www.cnte.org.br/images/stories/esforce/pdf/programaformacao_eixo03_fasciculo03_planejamento_estrategico_acao_sindical.pdf. Acesso em: 3 out. 2018.

GIANNOTTI, Vito. Comunicação dos trabalhadores e hegemonia. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2014. 204 p.

GOMES, Esdras. Com a reforma trabalhista, o tempo é de comunicação sindical. Portal Vermelho, Brasília, 13 jun. 2018. Disponível em: http://www.vermelho.org.br/noticia/312074-1. Acesso em: 13 abr. 2020.

IZZO, Douglas. A importância da comunicação sindical na vida do trabalhador. In: ENCONTRO ESTADUAL DE COMUNICAÇÃO SINDICAL, 2., 2016, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: Cut, 2016.

KANTAR. Aumenta uso de Snapchat e Instagram, inclusive entre público mais velho. 2016. Disponível em: https://br.kantar.com/tecnologia/comportamento/2016/dezembro-aumenta-uso-de-snapchat-e-instagram,-inclusive-entre-p%C3%BAblico-mais-velho/. Acesso em: 13 abr. 2020.

KEMP, Simon. Digital in 2017: global overview. We Are Social, New York, 24 jan. 2017. Disponível em: https://wearesocial.com/special-reports/digital-in-2017-global-overview. Acesso em: 13 abr. 2020.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 2000.

LÚCIO, Clemente Granz. Novas regras trabalhistas em vigor: desafios do sindicalismo. Brasília, DF: DIAP, 2017. Disponível em: https://www.diap.org.br/index.php/noticias/agencia-diap/88094-novas-regras-trabalhistas-em-vigor-desafios-do-sindicalismo. Acesso em: 13 abr. 2020.

LUXEMBURGO, Rosa. A acumulação de capital: contribuição do estudo econômico do imperialismo. São Paulo: Nova Cultural, 1991.

MAGALHÃES, Adriana. A importância da comunicação sindical na vida do trabalhador. In: ENCONTRO ESTADUAL DE COMUNICAÇÃO SINDICAL, 2., 2016, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: Cut, 2016.

MATOS, João Paulo Teixeira de et al. JusPrático: categoria profissional, mudança e mobilidade funcional. Coimbra: Coimbra Ed., 2007.

OLIVEIRA, Maria José da Costa. Comunicação organizacional e comunicação pública. In: MATOS, H. (org.). Comunicação pública: interlocuções, interlocutores e perspectivas. São Paulo: ECA/USP, 2013. p. 15-28.

OLIVEIRA, Tatiana Pontes de. Vínculos. FERRARA, Lucrécia D'Aléssio (org). Cidade entre mediações e interações. São Paulo: Paulus, 2016. Disponível em: https://books.google.com.br/books?isbn=8534943532. Acesso em: 13 nov. 2018.

QUEIROZ, Antonio Augusto. Para que serve e o que faz o movimento sindical.. Brasília: DIAP, 2017. 80 p. (Série Educação Política do DIAP).

QUINTANILHA, Pedro. Aprenda a trabalhar com mídias sociais em quatro semanas. Rio de Janeiro: Do autor, 2012.

REUTERS, Lino. Modelo de plano de marketing para sindicatos. Blog Pandora, 19 out. 2017. Disponível em: https://blog.pandora.com.br/modelo-de-plano-de-marketing-para-sindicatos/ . Acesso em: 13 abr. 2020.

ROSSETTI, Regina. Categorias de inovação para os estudos em Comunicação. Comunicação e Inovação, São Caetano do Sul, v. 14, n. 27, p. 63-72, jul./dez. 2013.

SANTIAGO, Claudia. A importância da comunicação sindical para os trabalhadores. São Paulo: Cut, 2016.

SANTIAGO, Claudia. Identificar os públicos para melhor se comunicar. São Paulo: Cut Nacional, 2017.

SANTOS, Rita de Cássia Donato dos. Comunicação política no Facebook: a presença social dos deputados federais do grande ABC na campanha eleitoral de 2014. 2017. 161 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Municipal de São Caetano do Sul, São Caetano do Sul, 2017.

SANTIAGO, Claudia. Tem que comunicar com todos os meios e falar para milhões: [Entrevista cedida a] Julia Broens. Núcleo Piratininga de Comunicação, Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://nucleopiratininga.org.br/uso-de-noticias-falsas-para-criminalizar-a-esquerda-nao-e-novidade-diz-renata-mielli/. Acesso em: 24 ago. 2018.

SAWERBRONN, João Felipe Rammelt. Comunicação integrada de marketing. Rio de Janeiro: FGV, 2014.

SCOTTO, Talita. Como fazer um plano de comunicação? Administradores.com, abr. 2018. Disponível em: https://administradores.com.br/noticias/como-fazer-um-plano-de-comunicacao. Acesso em: 13 abr. 2020.

SOUZA, Isabela. A histórias das instituições sindicais no Brasil. Politize, São Paulo, 26 abr. 2017. Disponível em: http://www.politize.com.br/sindicalismo-no-brasil-e-no-mundo/. Acesso em: 13 abr. 2020.

SOARES, Bruno. WhatsApp bate marca de 1,5 bilhão de usuários ativos. G1, fev. 2018. Disponível em: www.techtudo.com.br/noticias/2018/02/whatsapp-bate-15-bilhao-de-usuarios-ativos.ghtml. Acesso em: 13 abr. 2020.

TASSI, Stelamaris de Paula Menezes. Comunicação Mediada por vídeos em Vlogs. In: Memórias da comunicação: encontro da ALCAR RS.Porto Alegre: Edipucrs, 2018. P. 327-332. v. 2. Disponível em: https://abre.ai/cXds. Acesso em: 13 abr. 2020.

TONNETTI, Flávio. Fronteiras e interfaces da comunicação científica. Salvador: EdUFBA, 2016. 265 p.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

Downloads

Publicado

14-07-2021

Como Citar

CORRÊA, S.; PESSONI, A. Comunicação sindical em tempos de reforma trabalhista. Comunicação & Informação, Goiânia, Goiás, v. 24, 2021. DOI: 10.5216/ci.v24.59788. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/ci/article/view/59788. Acesso em: 16 set. 2021.