Impactos da legislação eleitoral sobre a comunicação política e a decisão de voto

  • Luiz Carlos Carmo Fernandes Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Resumo

Propôs-se discutir os impactos da legislação eleitoral sobre o HGPE. Tomando como base um estudo de caso sobre as eleições municipais de 2016 em Goiânia, tentou-se verificar se as alterações feitas nas regras eleitorais a partir de 2006, com o intuito de coibir o abuso do poder econômico e a manipulação da preferência eleitoral, também têm dificultado a comunicação política. Para tanto, usou-se uma associação de metodologias qualitativas e quantitativas: entrevista em profundidade com pesquisadores acadêmicos, profissionais de campanha eleitoral e o próprio eleitor; além de análise de conteúdo das propagandas eleitorais de televisão, utilizando as categoria analítica das fases das campanhas de Ferraz (2004) e a metodologia para identificar as estratégias de comunicação política de Figueiredo et al. (2000). Ao final, concluiu-se que as mudanças na legislação eleitoral de 2016 impactaram os partidos políticos e os candidatos, mas muito pouco o eleitor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Carlos Carmo Fernandes, Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Professor Assistente I na PUC-Goiás, matérias Pesquisa em Comunicação e Pesquisa de Opinião e Mercado. Doutor em Sociologia (FCS-UFG) e Mestre em Comunicação (FIC-UFG). Especialista em Marketing (FGV), Markeitng Político (FIC-UFG) eem Pesquisa de Mercado (F. Cambury).

Referências

ALBUQUERQUE, Afonso de. Política versus televisão: o horário gratuito na campanha presidencial de 1994. Comunicação & Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 3, p. 49-54, 1995.

AZEVEDO, Fernando A. A agenda da mídia na campanha presidencial de 1998. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, 23., 1999, Caxambu. Anais... Caxambu: ANPOCS, 1999. Disponível em: <https://anpocs.com/index.php/encontros/papers/23-encontro-anual-da-anpocs/gt-21/gt08-17/4936-faazevedo-imprensa/file>. Acesso em: 20 nov. 2007.

BRASIL. Lei. n. 13.165, de 29 setembro de 2015. Altera as Leis nos 9.504, de 30 de setembro de 1997, 9.096, de 19 de setembro de 1995, e 4.737, de 15 de julho de 1965 - Código Eleitoral, para reduzir os custos das campanhas eleitorais, simplificar a administração dos Partidos Políticos e incentivar a participação feminina. JusBrasil, 29 set. 2015. Disponível em: <https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/237507023/lei-13165-15>. Acesso em: 30 nov. 2018.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 16. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

CAMPBELL, Angus et al. The american voter. Nova York: Wiley,1964.

CAPELLA, Joseph; JAMIESON, Kathleen Hall. Spiral of cynicism: the press and the public good. New York: Oxford University Press, 1997.

CERVI, Emerson Urizzi. O “tempo da política” e a distribuição dos recursos partidários: uma análise do HGPE. Em Debate, Belo Horizonte, v. 2, n. 8, p. 12-17, ago. 2010.

DAHL, Robert Alan. Poliarquia. São Paulo: Edusp, 1977.

DOWNS, Anthony. Uma teoria econômica da democracia. São Paulo: Edusp, 1999.

DUARTE, Jorge; BARROS, Antônio (Org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

FERNANDES, Kamila Bossato. Para além do horário eleitoral gratuito: apontamentos sobre o uso da transmissão online pelos candidatos a presidente em 2014. Aurora, São Paulo, v. 7, n. 21 p. 26-47, 2015.

FERNANDES, Luiz Carlos do Carmo; TOMAZETTI, Lourenço. Marketing eleitoral e HGPE em Goiás. Sociedade e Cultura: Revista de Pesquisas e Debates em Ciências Sociais, Goiânia, v. 5, n. 2, p. 199-208, 2002.

FERRAZ, Francisco. As fases da campanha eleitoral. Porto Alegre: AD2000 Editorial, 2004.

FIGUEIREDO, Marcus. A decisão do voto: democracia e racionalidade. São Paulo: Sumaré, 1991.

FIGUEIREDO, Marcus. Volatilidade eleitoral em eleições parlamentares, 1950-1978. Opinião Pública, Campinas, v. 3, n. 3, p. 186-186, dez. 1995.

FIGUEIREDO, Marcus et al. Estratégia de persuasão em eleições majoritárias: uma proposta metodológica para o estudo da propaganda eleitoral. In: FIGUEIREDO, Rubens. Marketing político e persuasão eleitoral. São Paulo: Fundação Konrad Adenauer, 2000. p. 147-204.

LAZARSFELD, Paul et al. El pueblo elige. Bueno Aires: Ediciones 3, 1962.

MANCINI, Paolo.; SWANSON, David. Politics, media and modern democracy: an international study of innovations in electoral campaigning and their consequences. London: Praeger, 1996.

MIGUEL, Luis Felipe. Representação política em 3D: elementos para uma teoria ampliada da representação política. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 18, n. 51, p. 123-193, fev. 2003.

MUNDIM, Pedro Santos. O comportamento político do eleitor goianiense. Curso de Formação Rede Sustentabilidade, [Goiânia], 3 abr. 2016. Disponível em: <https://pedromundim.cienciassociais.ufg.br/up/950/o/Apresentacao_ESEG_Rede.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2018.

MUNDIM, Pedro Santos. O papel da cobertura da imprensa no realinhamento eleitoral de 2006: notas sobre a variável esquecida. In: ENCONTRO DA COMPÓS, 19., 2010, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Compós, 2010. p.1-19.

QUEVEDO, Josemari Poerschke de. HGPE 2016 em Goiânia: os diferentes estilos dos candidatos em tela. In: AZEVEDO JÚNIOR, Ary; CASTRO, Fernando E.; PANKE, Luciana. Eleições 2016: análise do HGPE em Capitais Brasileiras. Londrina: Syntagma Editores, 2017. p. 10-22.

RONDELLI, Elizabeth; WEBER, Maria Helena. Ensaios das eliminatórias (os media e o campeonato eleitoral). Comunicação & Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 41-52, ago./nov. 1994.

SCHMITT, Rogério Augusto. Partidos políticos no Brasil (1945-2000). Rio de Janeiro: Zahar Editor, 2000.

SCHMITT, Rogério; CARNEIRO, Leandro Piquet; KUSCHNIR, Karina. Estratégias de campanha no horário gratuito de propaganda eleitoral em eleições proporcionais.Dados, Rio de Janeiro , v. 42, n. 2, p. 00, 1999.

SCHUMPETER, Joseph. Capitalismo, socialismo democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961. p. 20-23.

SCHWEITZER, Eva J. Innovation or Normalization in E-Campaigning? A longitudinal content and structural analysis of german party websites in the 2002 and 2005 national elections. European Journal of Communication, [S. l.], v. 23, 449-470, 2008.

THOMPSON, John B. O escândalo político: poder e visibilidade na era da mídia. Petrópolis: Vozes, 2002.

VEIGA, Luciana Fernandes. Horário eleitoral, o eleitor e a formação da preferência. Comunicação & Política, Rio de Janeiro, v. 5, n. 3, p. 109-151, 1998.

VEIGA, Luciana Fernandes. Marketing político e decisão de voto: como agem os eleitores diante das propagandas eleitorais. Comunicação e Espaço Público, Brasília, v. 5, n. 1 e 2, 2002.

Publicado
29-03-2020
Como Citar
Carmo Fernandes, L. C. (2020). Impactos da legislação eleitoral sobre a comunicação política e a decisão de voto. Comunicação & Informação, 23. https://doi.org/10.5216/ci.v23i.56208
Seção
Artigos