Reflexões éticas sobre as Tecnologias Reprodutivas

  • Carla Henrique Gomes
  • Daniela Scheinkman Chatelard Professora associada no Programa da Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura - PCL do Instituto de Psicologia na Universidade de Brasília
Palavras-chave: Ética. Psicanálise. Tecnologia.

Resumo

As Tecnologias Reprodutivas levantaram uma série de questões concernentes ao lugar social da mulher e da instituição familiar. Em uma cultura marcada por dinâmicas narcísicas e atravessada pelo que Lacan chamou de discurso capitalista – que apresenta o consumo como alternativa na busca da completude – as tecnologias reprodutivas apresenta tanto um potencial subversivo de emancipação feminina e de reestruturação da família em bases mais alteritária, como um poderoso instrumento de conformação dos corpos femininos às expectativas sociais impostas às mulheres. Nesse sentido, observa-se uma invasão da ciência não só na normalização e normatização da família, mas em sua própria formação. O presente estudo busca chamar a atenção para a complexidade do assunto, que envolve também aspectos éticos, culturais e questões de gênero. Conclui-se que as Novas Técnicas de Reprodução Humana podem vir a servir ao discurso capitalista e à cultura narcísica, mas abre espaço também para a possibilidade de um giro no sentido que se atribui culturalmente à infertilidade e à família. Nesse ponto, a ciência introduz, através de suas tecnologias, a fagulha de uma revolução no sentido que Lacan trata em seu seminário “Mais, Ainda”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BADINTER, E. Um amor conquistado: o mito do amor materno. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

CECCARELLI, P. R. Novas configurações familiares: mitos e verdades. Jornal de Psicanálise, São Paulo, v. 40, n. 42, 2007. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-58352007000100007. Acesso em: jul. 2018.

COSTA, J. F. Ordem médica e norma familiar. 4. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

FISCHER, R. M. B. Mídia e educação da mulher: uma discussão teórica sobre modos de enunciar o feminino na TV. Estudos Feministas, ano 9, n. 586, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ref/v9n2/8642. Acesso em: jul. 2018.

FISCHER, R. M. B. O estatuto pedagógico da mídia: questões de análise. Educação & Realidade, v. 22, n. 2, 1997. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71363. Acesso em: jul. 2018.

FREUD, S. O Mal- Estar na Civilização (1930). In: FREUD, S. Obras completas. Rio de Janeiro: Imago, 2006. v. XXI.

FREUD, S. Moral sexual civilizada e doença nervosa moderna (1908). In: FREUD, S. Obras completas. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. IX.

LACAN, J. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

LACAN, J. O Seminário, livro 20: mais, ainda. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

LANIUS, M.; SOUZA, E. L. A. Repro dução assistida: os impasses do desejo. Revista Latino-americana de Psicopatologia Fundamental, v. 13, n. 1, p. 53-70, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-47142010000100004&lng=en&tlng=pt. 10.1590/S1415-47142010000100004. Acesso em: jul. 2018.

MATTAR, L. D.; DINIZ, C. S. G. Hierarquias reprodutivas: maternidade e desigualdades no exercício de direitos humanos pelas mulheres. Interface: Comunicação Saúde Educação, v. 16, n. 40, p. 107-119, 2012.

MILLER, J. Percurso de Lacan: uma introdução. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

PERELSON, S. Psicanálise e medicina reprodutiva: possíveis colaborações e indesejáveis armadilhas. Psicologia USP, v. 24, n. 2, 241-262, 2013.

QUINET, A. Os outros em Lacan. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

RAMÍREZ-GALVEZ, Martha. Corpos fragmentados e domesticados na reprodução humana assistida. Cadernos Pagu, Campinas, v. 33, p. 83-115, jul./dez. 2009.

SANTOS, Milton. Metamorfoses do espaço habitado: fundamentos teórico e metodológico da geografia. São Paulo: Hucitec, 1988.

SUPER INTERESSANTE. São Paulo: Abril, n. 301, fev. 2018.

VIEIRA, F. B. As Tecnologias de reprodução: Discursos sobre a maternidade e paternidade no campo da reprodução assistida no Brasil. 2008. Tese (Doutorado em Sociologia)–Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Brasília, Brasília, 2008.

Publicado
06-04-2020
Como Citar
Gomes, C. H., & Chatelard, D. S. (2020). Reflexões éticas sobre as Tecnologias Reprodutivas. Comunicação & Informação, 23. https://doi.org/10.5216/ci.v23i.51883
Seção
Artigos