Dos “Fundamentos Científicos” à “Teoria da Comunicação”: uma controvérsia epistemológica nas origens da Área

  • Luís Mauro Sá Martino Faculdade Casper Líbero (FCL). São Paulo, São Paulo (SP)
Palavras-chave: Teoria da Comunicação, Epistemologia, Genealogia, Universidade

Resumo

Este texto delineia aspectos da formação das Teorias da Comunicação no Brasil, tal como apresentadas na bibliografia publicada entre 1969 e 1986. Em perspectiva genealógica, observam-se as condições de produção do discurso teórico sobre Comunicação e suas especificidades. O exame dos livros sugere que: (a) a “teoria da comunicação”, como campo de estudos, foi criada por demandas institucionais, não epistemológicas; (b) os conceitos de “comunicação” utilizados eram oriundos de diversas áreas, da Biologia à Filosofia, sem intersecção entre elas; (c) o diálogo era com pesquisas e autores estrangeiros, quase sem referências cruzadas entre autores nacionais.  Esses pontos são discutidos contra o pano de fundo do debate epistemológico contemporâneo sobre a Área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Mauro Sá Martino, Faculdade Casper Líbero (FCL). São Paulo, São Paulo (SP)

Pós-Doutorado na School of Political, Social and International Studies na University of East Anglia, na Inglaterra, Doutor em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professor do Programa de Mestrado em Comunicação da Faculdade Casper Líbero (FCL). Brasil, São Paulo (SP), São Paulo

Referências

BACHELARD, G. Estudos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2011.

BRAGA, J. L. Comunicação, disciplina indiciária. Matrizes. Vol. 1, No 1 (2009).

BRAGA, J. L. Constituição do Campo da Comunicação. In: VVAA. Campo da Comunicação. João Pessoa: Ed. UFPB, 2001.

CRAIG, R. Communication Theory as a Field. Communication Theory 9(2) May 1999.

ECO, U. Apocalípticos e Integrados. São Paulo: Perspectiva, 1995.

FERREIRA, J. Campo acadêmico e epistemologia da comunicação. In: LEMOS, A. et alli (orgs.) Mídia.br. Porto Alegre: Sulina, 2003.

FERREIRA, J. Questões e linhagens na construção do campo epistemológico da Comunicação. In:_______ (org.). Cenários, teorias e metodologias da Comunicação. Rio de Janeiro: e-papers, 2007.

FRANÇA, V. Paradigmas da Comunicação: conhecer o quê?. In: MOTTA, Luiz Gonzaga; FRANÇA, V., PAIVA, R. e WEBER, M. H. (orgs.) Estratégias e culturas da comunicação. Brasília: Editora UnB, 2001.

GOMES, P. G. Tópicos para o Estudo das Teorias da Comunicação. São Leopoldo: Unisinos, 1995.

HOHFELDT, A. Teoria da comunicação: a recepção brasileira das correntes do pensamento hegemônico. In. MELO, J. M. O campo da comunicação no Brasil. Petrópolis: Vozes, 2008.

LASORSA, D. L. Diversity in Mass Communication Theory Courses. Journalism and Mass Communication Educator. Autumn 2002.

LIMA, V. Repensando as teorias da comunicação. In: MELO, J. M. Teoria e pesquisa em comunicação. São Paulo: Intercom/Cortez, 1983.

LINS DA SILVA, C. E. Teoria da Comunicação. In. MELO, J. M. et alli. Ideologia e Poder no Ensino de Comunicação. São Paulo, Cortez e Moraes, 1979.

LOPES, M. I. V. O campo da Comunicação: sua constituição, desafios e dilemas. Revista Famecos. No. 30: Agosto 2006, pp. 16 - 30.

LOPES, M. I. V. Sobre o estatuto disciplinar do campo da Comunicação. In: ______. Epistemologia da Comunicação. São Paulo: Loyola, 2003.

MARTINO, L. C. Apontamentos epistemológicos sobre a fundação e a fundamentação do campo comunicacional. In: CAPPARELLI, S. et alli. A Comunicação Revisitada. Porto Alegre, Sulina, 2005.

MARTINO, L. C. Interdisciplinaridade e Objeto de Estudos da Comunicação. In. FAUSTO NETO, A. et alli. O Campo da Comunicação. João Pessoa, Ed. UFPB, 2001.

MARTINO, L. C. Teorias da Comunicação: muitas ou poucas? Cotia (SP) Ateliê Editorial, 2007.

MARTINO, L. M. S. Teoria da Comunicação. Petrópolis: Vozes, 2009.

MARTINO, L. M. S. O que foi teoria da comunicação? Um estudo da bibliografia (1967-1986). Comunicação Midiática Vol. 6, no. 1, 2011, pp. 118-133, jan-abril 2011.

MATTOS, M. A. Desafios para a a formação e o reconhecimento da identidade teórico-epistemológica do campo comunicacional e seus agentes acadêmicos. In: FERRREIRA, G. M. e MARTINO, L. C. Teorias da Comunicação. Salvador, Edufba, 2007.

MELO, J. M. História do pensamento comunicacional. São Paulo: Paulus, 2003.

MERTON, R. K. Sociologia – Teoria e Estrutura. São Paulo: Mestre Jou, 1983.

PIGNATARI, D. Informação. Linguagem. Comunicação. São Paulo: Perspectiva, 1967.

QUIROGA, T. Pensar a episteme comunicacional. 2a. Edição: Recife: Ed. UFPE, 2015.

REVISTA DE CULTURA VOZES. Escolas de Comunicação e Profissionalização. Petrópolis: Vozes, Ano 66, Vol. 66 no. 8, Outubro 1972.

REVISTA DE CULTURA VOZES. Teoria da Comunicação. Petrópolis: Vozes, Ano 65, Vol. 65 no. 9, Novembro 1971.

SÁNCHEZ, L. e CAMPOS, M. La Teoría de la comunicación: diversidad teórica y fundamentación epistemológica. Dialogos de la Comunicación. No. 78, Janeiro-Julio 2009, pp. 24-38.

SANTAELLA, L. e NÖTH, W. Comunicação e Semiótica. São Paulo: Hacker, 2001.

TORRICO VILLANUEVA, E. R. Abordajes y periodos de la teoria de la comunicación. Buenos Aires: Norma, 2004.

WOLF, M. Teorias da Comunicação. Lisboa: Presença, 1999.

Publicado
06-12-2018
Como Citar
Martino, L. (2018). Dos “Fundamentos Científicos” à “Teoria da Comunicação”: uma controvérsia epistemológica nas origens da Área. Comunicação & Informação, 21(3), 107-122. https://doi.org/10.5216/ci.v21i3.50137
Seção
Artigos