A Rede Epistêmica Virtual da Amazônia: o papel da cibercultura na ampliação dos meios de produção epistêmica

Palavras-chave: Sociologia da Cibercultura. Sociologia das Redes. Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC).

Resumo

Esta pesquisa procura refletir e entender como os atores epistêmicos dos Programas de Pós-Graduação na Amazônia estão incorporando a cibercultura e apropriando-se da ciberrealidade para se relacionar virtualmente e produzir conhecimento explícito de forma mutuamente compartilhada. A metodologia constitui um processo que permite a apropriação do objeto, da problemática e da proposição em um conjunto de ações que tem no elemento hiperlink sua manifestação central para constituição da esfera empírica de investigação, e na Teoria das Redes seu instrumental de reflexão. As conclusões iniciais induzem um processo em que se destacam dois pontos: a falta de comunicação e a inexistência de uma articulação da produção epistêmica em rede.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tarcízio Macedo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Doutorando em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mestre em Comunicação, Cultura e Amazônia pela Universidade Federal do Pará (UFPA), com bolsa CAPES, e período sanduíche no Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas da Universidade Federal da Bahia (Póscom/UFBA) e no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Jogos Digitais da Universidade do Estado da Bahia (CV/UNEB). Especialista em Comunicação Científica na Amazônia pelo Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (Naea) da UFPA. Bacharel em Comunicação Social, habilitação em Jornalismo, pela mesma instituição. Membro da Rede Nacional de Pesquisa em Jogo e Comunicação - Metagame e do Grupo de Pesquisa em Games da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom). Co-líder do Laboratório de Pesquisa Midiática na Amazônia (CNPq/UFPA) e pesquisador nos grupos de pesquisa Interações e Tecnologias na Amazônia (UFPA/Unama/CNPq), Comunicação, Consumo e Identidade (UFPA/CNPq) e no Laboratório de Pesquisa em Inovação e Convergência na Comunicação (UFPA/CNPq).

Luiz Roberto Vieira Jesus, Universidade Federal do Pará (UFPA)
Doutor em Ciências Socias pela Universidade Federal do Pará (UFPA), mestre em Administração Rural e Comunicação Rural pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), especialista em Administração de Marketing pela Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco (FESP-UP) e em Cinema e Modelo Cinematográfico pela UFPA, bacharel em Comunicação Social - Publicidade pela Escola Superior de Propaganda e Marketing de São Paulo (ESPM-SP). Professor da Faculdade de Comunicação da UFPA. Líder do grupo de estudos em Sociologia das Redes Epistêmicas na Amazônia.

Referências

BARABÁSI, A. Linked. How everything is connected to everything else and what it means for business, science and everyday Life. Cambridge: Plume, 2003. Disponível em: http://goo.gl/UP2QTo. Acesso em: 02 Jan. 2012.

BUSH, V. As we may think, Atlantic Monthly. 1945. Disponível em: http://goo.gl/nrXwkd. Acesso em: 30 Nov. 2012.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Mil platôs. v. I. São Paulo: editora 34, 2000.

DI FELICE, M. Pós-complexidade: as redes digitais vistas a partir de uma perspectiva reticular. Entrevista especial com Massimo Di Felice. 2011. Disponível em: http://goo.gl/BIcGxB. Acesso em: 8 ago. 2015.

DURKEIM, E. Da Divisão Social do Trabalho. Martins Fontes, São Paulo: 1999.

EULLER, L. Solutio problematis ad geometriam situs pertinentis, Comment. Acad. Sci. Imp. Petropol. 1736. Disponível em: http://goo.gl/jF80XX. Acesso em: 15 mai. 2012.

FRAGOSO, S; RECUERO, R; AMARAL, A. Métodos de pesquisa para internet. (2. Ed.) Porto Alegre: Sulina, 2013.

Autor. Cabeça de Medusa nos Horizontes Epistêmicos da Amazônia: a periferia do espaço real se expandindo pelo ciberespaço virtual. 2014. Tese (Doutorado em Sociologia), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, UFPA, Belém - PA.

Autores. As Redes Virtuais dos Programas de Pós-Graduação e suas Conexões Ciberespaciais como Estratégia de Sustentabilidade Epistêmica. In: XIV CONGRESSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO NA REGIÃO NORTE, Manaus. Anais... Manaus: Intercom, 2015.

JOHNSON, S. Emergência: a dinâmica das redes em formigas, cérebros, cidades. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 2003.

LEMOS, A. Cibercultura: alguns pontos para compreender a nossa época. In: LEMOS, André; CUNHA, Paulo (Orgs.). Olhares sobre a cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2003.

LÉVY, P. As tecnologias da inteligência. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993.

LESSIG, L. Cultura livre. São Paulo: Trama, 2005.

MORENO, J. Quem sobreviverá? Fundamentos da sociometria, psicoterapia de grupo e sociodrama. v. 1. Goiânia: Dimensão, 1992.

NEGROPONTE, N. A vida digital. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

NEVES, L; PRONKO, M; MENDONÇA, S. Capital Social. In: Dicionário da Educação Profissional em Saúde. Online. Disponível em: http://www.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/capsoc.html. Acesso em: 10 fev. 2015.

RECUERO, R. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009. (Coleção Cibercultura)

RODRIGUES, A. Experiência, Modernidade e Campo dos Media. Lisboa: Biblioteca Online de Ciências da Comunicação, 1999, 32 p.

RHEINGOLD, H. The Virtual Community: Homesteading on the Electronic Frontier. 2005. Disponível: http://www.well.com/~hlr/vcbook/index.html. Acesso em: 09 ago. 2015.

Publicado
25-07-2019
Como Citar
Macedo, T., & Jesus, L. R. (2019). A Rede Epistêmica Virtual da Amazônia: o papel da cibercultura na ampliação dos meios de produção epistêmica. Comunicação & Informação, 22, 41-60. https://doi.org/10.5216/ci.v22i0.43462