Produzindo o sagrado pelas mídias sociais: a interação dos fiéis com o Templo de Salomão no Instagram

Autores

  • Jênifer Rosa de Oliveira Universidade Metodista de São Paulo
  • Magali do Nascimento Cunha Universidade Metodista de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5216/ci.v19i2.36784

Palavras-chave:

Imaginário Social. Templo. IURD. Mídias. Sagrado

Resumo

Os imaginários sociais são criações coletivas que permitem que os sujeitos se reconheçam e partilhem seu universo simbólico, e que por isso dão liga a uma sociedade. Este processo constante de apropriação e transmissão dos imaginários alimenta e é alimentado, dentre outras fontes, pela mídia. Neste trabalho, nos propomos a identificar como as mídias sociais atuam nesse processo coletivo de reapropriação dos imaginários sobre o sagrado ao permitir que os usuários interajam com o conteúdo compartilhado e também entre si, estimulando a formação de vínculos afetivos. Para fundamentar a compreensão deste processo comunicacional, recorremos às Teorias do Imaginário. A trajetória metodológica inclui um estudo do perfil do Templo de Salomão da Igreja Universal do Reino de Deus no Instagram, por meio de análise iconográfica de fotografias com o maior número de "curtidas", postadas nos mêses posteriores à inauguração, combinada com uma interpretação dos comentários dos fiéis referentes a elas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jênifer Rosa de Oliveira, Universidade Metodista de São Paulo

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Metodista de São Paulo. Graduada em Comunicação Social pela UFMG. Bolsista da Capes. Membro do MIRE (Grupo de Pesquisa Mídia Religião e Cultura). Email: jeniferdeoliveira@gmail.com.

Magali do Nascimento Cunha, Universidade Metodista de São Paulo

Jornalista, doutora em Ciências da Comunicação. Professora da Universidade Metodista de São Paulo, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação. Líder do grupo de pesquisa MIRE – Mídia, Religião e Cultura. Email: magali.cunha@metodista. br.

Referências

BATISTA JR. João. Detalhes exclusivos do Templo de Salomão, nova sede da Igreja Universal. Disponível em: <http://vejasp.abril.com.br/materia/templo-de-salomao-igreja-universal> acesso em 03 nov. 2014.

BÍBLIA. A.T. 2 Crônicas. Português. A Bíblia. Tradução de João Ferreira de Almeida revista e atualizada no Brasil. 2.ed. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 1993, p. INÍCIO-FIM.

CASTORIADIS, Cornelius. As encruzilhadas do labirinto. II. Domínios do Homem. Rio de Janeiro, 1987. p. 225-243

CUNHA, Magali do Nascimento. “Da imagem, à imaginação e ao imaginário: elementos-chave para os estudos de comunicação e cultura”. In: BARROS, Laan Mendes de. Discursos Midiáticos: representações e apropriações culturais. São Bernardo do Campo: Editora Metodista, 2012, p. 33-48.

CUNHA, Magali do Nascimento. A interseção mídia religiosa e mercado e a ressignificação de signos bíblicos pelos evangélicos. Relefens Threskeia, v. 03, n. 01, jan./jun., 2014. Disponível em: http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/relegens/article/view/37688

GOMES, Helton Simões. Jovens brasileiros trocam Facebook por aplicativos de mensagens. Disponível em: <http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2013/11/jovens-brasileiros-trocam-facebook-por-aplicativos-de-mensagens.html> acesso em 03 nov. 2014.

INSTAGRAM atinge marca de 200 milhões de usuários ativos por mês. Disponível em: <http://g1.globo.com/tecnologia/tem-um-aplicativo/noticia/2014/03/instagram-atinge-marca-de-200-milhoes-de-usuarios-ativos-por-mes.html> acesso em 03 nov. 2014.

MAFFESOLI, Michel. O imaginário é uma realidade. Revista FAMECOS, Porto Alegre, 15, ago 2001. Entrevista concedida a Juremir Machado da Silva. Disponível em http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/famecos/article/view/285/217

_________. A comunicação sem fim (teoria pós-moderna da comunicação). FAMECOS, Porto Alegre, 20, abr 2003, p. 13-20. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/viewFile/3198/2463

NOTH, Martin. Estudios sobre el Antiguo Testamento. Madri: Ediciones Sigueme, 1985. (Biblioteca de estudios biblicos, 44).

ORO, Ari Pedro. O neopentecostalismo macumbeiro. Revista USP, São Paulo, n.68 dezembro/fevereiro 2005-2006, p. 319-332. Disponível em: < http://www.usp.br/revistausp/68/27-ari-oro.pdf> acesso em 03 nov. 2014.

SOUSA, Marco Túlio de. As narrativas do Reino: Análise narrativa de programas televisivos da Igreja Universal nas madrugadas mineiras. Dissertação de Mestrado em Comunicação Social. Programa de Pós-graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, Brasil, 2014.

SOUZA, Beatriz. 20 coisas surpreendentes sobre o templo da Igreja Universal. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/20-coisas-sobre-o-enorme-novo-templo-da-igreja-universal> acesso em 03 nov. 2014.

TEMPLO de Salomão <http://www.otemplodesalomao.com> acesso em 03 nov 2014.

VOLKMANN, Martin. Jesus “Destruiu” o Templo — a Igreja o Reconstruiu? Preleção inaugural proferida na Escola Superior de Teologia em 26 de setembro de 1990. Disponível em: < http://periodicos.est.edu.br/index.php/estudos_teologicos/article/viewFile/1043/1003> acesso em 03 nov. 2014.

Downloads

Publicado

31-12-2016

Como Citar

DE OLIVEIRA, J. R.; CUNHA, M. do N. Produzindo o sagrado pelas mídias sociais: a interação dos fiéis com o Templo de Salomão no Instagram. Comunicação &amp; Informação, Goiânia, Goiás, v. 19, n. 2, 2016. DOI: 10.5216/ci.v19i2.36784. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/ci/article/view/36784. Acesso em: 5 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos