SUSCETIBILIDADE BIOFÍSICA A SECAS DA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PIRACURUCA (CE-PI)

BIOPHYSICAL SUSCEPTIBILITY OF DRYING OF THE PIRACURUCA RIVER SUB-BASIN (CE-PI)

Autores

  • Francílio de Amorim dos Santos Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí / Campus Piripiri
  • Maria Lúcia Brito da Cruz Universidade Estadual do Ceará
  • Lúcia Maria Silveira Mendes Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v40.63152

Resumo

O estudo teve como objetivo realizar caracterização biofísica da Sub-bacia Hidrográfica do rio Piracuruca (CE-PI), como princípio para realização de diagnóstico, e análise da suscetibilidade biofísica às secas da Sub-bacia em questão. Para tal finalidade propôs-se a criação do índice de suscetibilidade biofísica às secas (ISBioS) para estimativa da probabilidade da ocorrência de secas na referida Sub-bacia, a partir da integração de quatro componentes biofísicos, a saber: declividade média do relevo (Dm), índice de aridez (Ia), temperatura à superfície do solo (Ts) e índice de vegetação ajustado ao solo (SAVI). Dessa forma, os resultados evidenciaram que na Sub-bacia do rio Piracuruca predomina; declividade plana (0 a 3%) em 58,4% da área; aridez alta em 59%; temperaturas da ordem 31,1 a 36°C em 67,2% da Sub-bacia; vegetação com baixa atividade fotossintética em 49% da área. Quanto integradas as componentes ambientais – Dm, Ia, Ts e SAVI – constatou-se que predomina na Sub-bacia média suscetibilidade a secas, estende-se por 58,3% da área. Dessa forma, deve-se proceder ao monitoramento permanente das condições ambientais de forma integrada ao uso das terras, como possibilidade para elaboração de planejamento ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francílio de Amorim dos Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí / Campus Piripiri

Licenciado em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (2007); Licenciado em Geografia pela Universidade Estadual do Piauí (2010); Especialista em Docência do Ensino Superior e em Gestão Ambiental e Ecoturismo pela Faculdade Montenegro (2009); Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Piauí (2015). É Revisor da Revista Eletrônica Caderno de Geografia (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUCMG) e Revista Clóvis Moura de Humanidades (Universidade Estadual do Piauí - UESPI). Atualmente, faz parte do Grupo de Pesquisa em Geografia Física, da Universidade Federal do Piauí. Tem experiência em estudos sobre degradação/desertificação, bacias hidrográficas e ensino de ciências, com publicações de manuscritos completos em periódicos e em anais de eventos. É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí/Campus Piripiri, Classe D III, Nível I, em regime de Dedicação Exclusiva. Tem interesse nas temáticas sobre Degradação/Desertificação, Geoprocessamento, Sensoriamento Remoto, Bacias Hidrográficas e Ensino de Ciências.

Maria Lúcia Brito da Cruz, Universidade Estadual do Ceará

Tenho graduação em GEOGRAFIA pela Universidade Estadual do Ceará (1986), Especialização em Sensoriamento Remoto pelo Instituto nacional de pesquisas Espaciais - INPE(1989), Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Ceará-UFC (1998), Doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco-UFPE (2010) e Pós-Doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Pará-UFPA(2018). Atualmente estou professora da Universidade Estadual do Ceará junto aos cursos de Geografia em nível de Graduação e Pós-Graduação. Tento Ser e Saber Fazer Geografia. 

Lúcia Maria Silveira Mendes, Universidade Estadual do Ceará

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Ceará (1981), mestrado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal do Ceará (1988) e doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Escola Superior de Agricultura "Luis de Queiroz" / Universidade de São Paulo (2005) conceito CAPES 7. Atualmente é pesquisadora do Laboratório de Geoprocessamento e Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual do Ceará. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Solos e Nutrição de Plantas, atuando principalmente nos seguintes temas: Geoprocessamento, Sistema de Informações Geográfica, Banco de Dados, Estatística Espacial e geoestatística. É Editora-Gerente da Revista eletrônica CC&T da UECE e Editora da GeoUECE.

Publicado

31-12-2020

Como Citar

dos Santos, F. de A., Brito da Cruz, M. L., & Silveira Mendes, L. M. (2020). SUSCETIBILIDADE BIOFÍSICA A SECAS DA SUB-BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PIRACURUCA (CE-PI): BIOPHYSICAL SUSCEPTIBILITY OF DRYING OF THE PIRACURUCA RIVER SUB-BASIN (CE-PI). Boletim Goiano De Geografia, 40(01), 1–20. https://doi.org/10.5216/bgg.v40.63152