GEOGRAFIA DOS SONS NÃO ESQUIZOFÔNICOS NA REGIÃO DO RECIFE: CULTURA POPULAR E COTIDIANO URBANO - DOI 10.5216/bgg.v36i1.40377

Autores

  • Cristiano Nunes Alves Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v36i1.40377

Resumo

Este artigo aborda a espessura de manifestações da cultura popular recifense, os chamados sons não esquizofônicos, surgidos e disseminados a despeito das possibilidades técnicas que constituem o fenômeno da esquizofonia – o rompimento entre a origem e a emissão sonora. Durante a pesquisa, foram fundamentais, além do levantamento bibliográfico, os trabalhos de campo: visitas técnicas e entrevistas semiestruturadas. Foram abordadas a tipologia e a topologia das manifestações não esquizofônicas no Recife, abrigadas, sobretudo, na periferia metropolitana. Enfocou-se o recente adensamento em torno do maracatu na capital pernambucana, e esmiuçaram-se os nexos entre cultura popular e paisagem sonora no bairro dos Coelhos. Trata-se de uma análise do território usado, lançando um olhar sobre o cotidiano de uma metrópole marcada, a um só tempo, tanto por desigualdade socioterritorial, quanto por riqueza e diversidade culturais.
Palavras-chave: Uso do Território, Cultura Popular, Esquizofonia, Paisagem Sonora, Recife.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

21-03-2016

Como Citar

Nunes Alves, C. (2016). GEOGRAFIA DOS SONS NÃO ESQUIZOFÔNICOS NA REGIÃO DO RECIFE: CULTURA POPULAR E COTIDIANO URBANO - DOI 10.5216/bgg.v36i1.40377. Boletim Goiano De Geografia, 36(1), 141–156. https://doi.org/10.5216/bgg.v36i1.40377

Edição

Seção

Artigos