NAS TRAMAS E FALÁCIAS DO PLANEJAMENTO URBANO ESTRATÉGICO: MARKETING URBANO, MODELO BARCELONA E MEGAEVENTOS - DOI 10.5216/bgg.v35i2.37428

Autores

  • Ernandy Luis Vasconcelos de Lima Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/bgg.v35i2.37428

Resumo

Frequentemente, considerados como catalisadores de transformação urbana, os megaeventos têm sidoassociados, outrossim, como ensejo de projetar globalmente as cidades-sede. À luz desse fenômeno, tanto ofascínio pelo planejamento estratégico, quanto o processo de regeneração urbana desvelado, sobretudo, pormeio da edição dos Jogos Olímpicos de 1992, instigaram a atenção de diversos agentes no modelo Barcelona.Neste sentido, este artigo retoma a discussão crítica acerca da transformação urbana vivenciada pela cidadecatalã, ponderando os impactos das preparações do megaevento esportivo Barcelona’92 no acesso à moradia,nas remoções e desalojos dos grupos afetados. Trata-se, enfim, de compreender como o planejamentoestratégico esboçado em Barcelona impôs toda sorte de eventos, planos e programas resultantes de coalizõespúblicas e privadas. Além disso, o presente artigo analisa a trajetória das implicações sócio-territoriais domegaevento esportivo espanhol por meio de uma reflexão precipuamente geográfica.

Palavras-chave: modelo Barcelona, megaeventos e remoções, marketing urbano, planejamento urbanoestratégico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

22-07-2015

Como Citar

Luis Vasconcelos de Lima, E. (2015). NAS TRAMAS E FALÁCIAS DO PLANEJAMENTO URBANO ESTRATÉGICO: MARKETING URBANO, MODELO BARCELONA E MEGAEVENTOS - DOI 10.5216/bgg.v35i2.37428. Boletim Goiano De Geografia, 35(2), 217–235. https://doi.org/10.5216/bgg.v35i2.37428

Edição

Seção

Artigos