As mulheres na produção socioespacial de Goiânia: invisibilidade e sexismo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v15i2.70240

Resumo

Goiânia, como qualquer outro espaço urbano, é produto social e, por isso, a produção das suas formas e dos seus conteúdos é amalgamada pelo capitalismo e pela cultura do patriarcado, contextos econômicos e culturais que a situam no tempo e no espaço. A questão central deste artigo é averiguar quais as implicações deste processo na dinâmica espacial da cidade e no cotidiano de vida das mulheres goianienses. As reflexões aqui apresentadas foram compostas por pesquisas acumuladas sobre a produção socioespacial de Goiânia; teses, dissertações e livros que tratam das histórias das mulheres e das cidades; e por uma pesquisa online realizada em 2021.

Palavras-chaves: Goiânia. Mulheres. Capitalismo. Patriarcado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2021-10-22

Como Citar

HIZIM PELÁ, M. C.; CHAVEIRO, E. F. . As mulheres na produção socioespacial de Goiânia: invisibilidade e sexismo. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 15, n. 2, p. 202–218, 2021. DOI: 10.5216/ag.v15i2.70240. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/atelie/article/view/70240. Acesso em: 16 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos