Ensino e Geografia no Livro Cidades de Papel: Conceitos geográficos na narrativa literária

Autores

  • Francisca Linara da Silva Chaves Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-7143-8494
  • Luiz Eduardo do Nascimento Neto Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1933-7001

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v15i2.69534

Resumo

O trabalho tem como objetivo analisar a geografia contida na obra literária: Cidades de Papel (2014) identificando e transcrevendo trechos da obra analisada em que conhecimentos geográficos associados às categorias de paisagem, espaço e lugar são expostos no decorrer da narrativa literária por meio de observações feitas pelos personagens da obra, de situações vivenciadas e noções espaciais relacionadas à localização. Para tanto, se fez necessário um embasamento teórico em autores que versam sobre a temática em questão. O método utilizado foi o da percepção, tendo por base os estudos de Tuan (2012 e 2013). Diante da leitura e análise da obra escolhida, identificou-se conhecimentos pertinentes ao ensino de geografia, podendo ser trabalhados pelos professores em sala de aula, facilitando, assim, aos alunos no desenvolvimento das habilidades de ler e interpretar textos e, através deles, identificar e compreender os conceitos geográficos presentes nas obras literárias. Dessa forma, entendemos que as produções literárias podem ser utilizadas como ferramentas teórico-metodológicas pelo professor no ensino de Geografia e que podem propiciar ao aluno, através das percepções das obras literárias, o desenvolvimento no processo de aprendizagem.

Palavras-chaves: Literatura. Percepção. Ensino de Geografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

22-10-2021

Como Citar

da Silva Chaves, F. L., & do Nascimento Neto, L. E. (2021). Ensino e Geografia no Livro Cidades de Papel: Conceitos geográficos na narrativa literária. Ateliê Geográfico, 15(2), 219–235. https://doi.org/10.5216/ag.v15i2.69534

Edição

Seção

Artigos