Capitais Nordestinas do Brasil: análise de indicadores de pobreza a partir de dados censitários de 2010

Autores

  • Julia Katia Borgneth Petrus Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-7593-7995
  • Magno Vasconcelos Pereira Junior Universidade Estadual do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v15i1.64538

Resumo

Este artigo trata de conhecer as capitais nordestinas do Brasil mediante variáveis que indicam vulnerabilidades, obtidas de dados censitários de 2010, confrontando a dimensão demográfica com o Censo de 2000. O objetivo é estudar variáveis e indicadores que apontam pobreza nas capitais da Região Nordeste. Ademais, foi estudado, primeiramente a cidade como um todo, para, então, contextualizar capitais/cidades. Identificou-se as capitais mais fragilizadas por meio de nove variáveis, porém para encontrar o Índice de Desigualdade Socioespacial – IDSE, destacou-se sete variáveis que indicam pobreza em quatro dimensões: Dimensão Demográfica; Dimensão de Infraestrutura; Dimensão Educacional e Dimensão Econômica. A capital de São Luís é a que detém indicadores e variáveis mais alarmantes, com o Índice de Desigualdade Socioespacial – IDSE de 0,83, ou seja, quanto mais perto de 1, maior a desigualdade socioespacial. As capitais Salvador e Aracaju são as que apontam para melhores indicadores, com IDSE de 0,42 e 0,39, respectivamente, índices mais próximos de 0, que é ausência de desigualdade social.

Palavras-chave: capital. Nordeste. desigualdade socioespacial. indicadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

20-04-2021

Como Citar

Borgneth Petrus, J. K., & Pereira Junior, M. V. (2021). Capitais Nordestinas do Brasil: análise de indicadores de pobreza a partir de dados censitários de 2010. Ateliê Geográfico, 15(1), 194–217. https://doi.org/10.5216/ag.v15i1.64538

Edição

Seção

Artigos