Territorialidades dos malucos de estrada em espaços públicos de João Pessoa/PB

  • Mirelli Albertha de Oliveira Gomes Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Doralice Sátyro Maia Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Resumo

Popularmente identificados como hippies, os artesãos nômades, que se autodenominam malucos de estrada, expressam uma cultura que se desenvolve inteiramente na rua, mudam constantemente de uma cidade para outra e estabelecem-se como nômades. Em cada cidade que passam, ocupam os espaços públicos e criam a Pedra de Maluco, local onde desenvolvem o trabalho do artesanato juntamente com a construção do habitat. Este artigo objetiva caracterizar a Pedra de Maluco de João Pessoa/PB, localizada na Orla de Tambaú, como apropriação do espaço público pelos malucos de estrada. Através da abordagem etnográfica e da cartografia da ação, observou-se que a Pedra de Maluco configura-se como um território, ou mais especificamente, um nanoterritório (SOUZA, 2013).  Ainda que nada tenha de edificado, está preenchida de códigos, rastros e limites invisíveis, o que implica na modificação dos significados e das expressões do espaço bem como na construção da identidade e dos valores dos malucos de estrada, transformando a Pedra de Maluco também em um Lugar.

Palavras-chaves: Malucos de estrada. Apropriação. Espaço público. Território.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
20-12-2019
Como Citar
Gomes, M. A. de O., & Maia, D. S. (2019). Territorialidades dos malucos de estrada em espaços públicos de João Pessoa/PB. Ateliê Geográfico, 13(3), 138-156. https://doi.org/10.5216/ag.v13i3.57621
Seção
Artigos