Estado de conservação da vegetação natural frente às mudanças temporais da paisagem na Bacia Hidrográfica Paraguai/Jauquara, Mato Grosso - Brasil

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar temporalmente as mudanças ocorridas na estrutura da paisagem e seus efeitos sobre a conservação da vegetação natural da Bacia Hidrográfica Paraguai/Jauquara-MT. O estudo se justifica pela importância da região hidrográfica e de suas subbacias na contribuição do pulso de inundação do Pantanal mato-grossense. No estudo foram utilizadas imagens dos satélites Landsat-5 e 8, classificadas por uso e cobertura da terra nos anos de 1997, 2007 e 2017. Foram aplicadas sete métricas de paisagem para análise das mudanças ocorridas ao longo do período de 20 anos, por meio de medidas de área, fragmentação, tamanho, conectividade e isolamento da vegetação natural. Os resultados indicaram que 19% da vegetação natural foi convertida em pastagem, 14% entre 1997 e 2007 e 4% entre 2007 e 2017. A agricultura foi responsável por 1% entre os anos de 1997 e 2007, o que também contribuiu para a fragmentação e aumento no grau de isolamentos dos remanescentes de vegetação da bacia. Desde modo, sugere-se que medidas eficientes sejam adotadas na gestão ambiental, pois a alteração da vegetação natural da área de estudo pode vir a afetar os geossistemas e o pulso de inundação da planície pantaneira. 

Palavras-chave: sensoriamento remoto, geotecnologias, ecologia de paisagem, conservação ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Angelica Aparecida Dourado da Costa, UNEMAT

Mestra em Ambiente e Sistema de Produção Agrícola, pela Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT, graduada em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal do Mato Grosso – IFMT.

Edinéia Aparecida dos Santos Galvanin, Universidade Estaual Paulista - UNESP

Pós-doutora em Estatística Espacial pela Universidade do Minho (UMinho – Portugal) e em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), doutora e mestra em Ciências Cartográficas pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), graduada em Matemática também pela UNESP. Atualmente é professora Assistente Doutora da UNESP (Campus de Ourinhos) e docente permanente do programa de pós-graduação stricto sensu em Geografia (Mestrado Profissional) da UNESP e docente permanente do programa de pós-graduação stricto sensu em Ambiente e Sistemas de Produção Agrícola da Universidade do Estado de Mato Grosso.

Elisa Hardt Alves Vieira, Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP

Doutora em Engenharia Civil - área de Recursos Hídricos, Energéticos e Ambientais pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, com título de Doutora pela Universidad Complutense de Madrid, Mestre em Recursos Florestais pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da ESALQ – USP e graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de São Carlos – UFSCar. Atualmente é professora na Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP - Campus Diadema e pesquisadora colaboradora no Departamento de Ecologia da UCM.

Publicado
21-04-2020
Como Citar
Dourado da Costa, A. A., dos Santos Galvanin, E. A., & Alves Vieira, E. H. (2020). Estado de conservação da vegetação natural frente às mudanças temporais da paisagem na Bacia Hidrográfica Paraguai/Jauquara, Mato Grosso - Brasil. Ateliê Geográfico, 14(1), 205-225. https://doi.org/10.5216/ag.v14i2.57295
Seção
Artigos