O circuito produtivo de laranja na Microrregião Geográfica de Jales-SP

  • Widson Tainan Ros Martins Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Sedeval Nardoque Universidade Federal de Mato Grosso do Sul: Três Lagoas , MS

Resumo

O Brasil é o maior produtor mundial de laranja, destacando-se entre os principais países exportadores de suco concentrado desta fruta, sendo o estado de São Paulo o maior produtor nacional. Sob os ditames do agronegócio, o suco de laranja tornou-se commodity e a produção nacional dessa fruta articulou-se de forma a atender aos interesses do grande capital, representado pelas indústrias processadoras da bebida, monopolizando o mercado e exercendo forte controle sobre o setor. Neste contexto, a Microrregião Geográfica de Jales foi inserida no circuito espacial do capital vinculado à citricultura, embora a maior parte de sua produção de laranja seja vendida in natura no mercado interno, entendida como estratégia para “driblar” o monopólio das indústrias processadoras, sobretudo pelos camponeses produtores de laranja, mas não escapando à apropriação da renda da terra pelo capital presente na circulação desta mercadoria. Partindo de tais pressupostos, este trabalho tem como objetivo analisar o processo de apropriação da renda da terra pelo capital no circuito espacial de produção de laranja na Microrregião Geográfica de Jales.

Palavras-chave: Citricultura; Microrregião Geográfica de Jales-SP; Commodity Agrícola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Widson Tainan Ros Martins, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Possui graduação em História pelo Centro Universitário de Jales (2015), especialização em Tutoria em Educação a Distância pela Faculdade Futura (2018) e mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2018). Atualmente é professor titular nos cursos de licenciatura em História e Geografia do Centro Universitário de Jales e professor de Geografia no ensino fundamental do Colégio XV de Abril - Sistema Anglo de Jales. Tem experiência na área de Geografia, atuando principalmente nos seguintes temas: questão agrária brasileira, monopolização do território pelo capital, citricultura e resistência camponesa.
Sedeval Nardoque, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul: Três Lagoas , MS
Possui pós-doutorado na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), doutorado em Geografia pelo IGCE/Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2007), mestrado em Geografia pela FCT/Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2002) e graduação em Geografia pelo Centro Universitário de Jales (1991). Atualmente é professor associado I dos cursos de Graduação e de Pós-Graduação (Mestrado) em Geografia da UFMS/Três Lagoas professor do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFG, Regional de Jataí. Coordena o Núcleo de Extensão em Desenvolvimento Territorial do Território Rural do Bolsão (MS). É Vice-Coordenador do Laboratório de Estudos Territoriais, na UFMS/Três Lagoas. Foi professor do curso de Graduação e de Pós-Graduação (mestrado) em Geografia da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), de 2008 a 2013. Foi professor de instituições públicas e privadas de ensino, atuando no Ensino Superior e na Educação Básica, de 1991 a 2008. Tem experiência em: Ensino de Geografia e Geografia Agrária. Atua principalmente nos seguintes temas: questão agrária, políticas públicas e território, Ensino de Geografia, educação no/do campo, relação campo-cidade.
Publicado
20-04-2019
Como Citar
Martins, W. T. R., & Nardoque, S. (2019). O circuito produtivo de laranja na Microrregião Geográfica de Jales-SP. Ateliê Geográfico, 14(1), 69-88. https://doi.org/10.5216/ag.v14i1.56409
Seção
Artigos