O Carste e o Geopatrimônio em Júlio Verne: o exemplo de Mathias Sandorf

  • Luiz Eduardo Panisset Travassos Programa de Pós-Graduação em Geografia da PUC Minas
  • Glaycon de Souza Andrade e Silva Programa de Pós-Graduação em Geografia – Tratamento da Informação Espacial.
  • Felipe de Ávila Chaves Borges Programa de Pós-Graduação em Geografia – Tratamento da Informação Espacial.

Resumo

Resumo

As cavernas e as paisagens nas quais estão inseridas têm povoado o imaginário coletivo de diversas culturas, seja por meio de lendas e mitos de criação, seja por fazerem parte do cenário de relatos de viagem ou romances. Assim sendo, a pesquisa tem por finalidade demonstrar de que forma o Carste Dinárico e a Pazinska Jama são retratados no livro Mathias Sandorf, de Júlio Verne. A análise foi desenvolvida de maneira associativa aos conceitos tanto da Carstologia, quanto da Espeleologia a fim de identificar no texto de Júlio Verne sua contribuição para demonstrar aos leitores aspectos da geografia física do carste. Para que o objetivo fosse atingido, os autores analisaram a narrativa do autor, bem como pesquisaram os aspectos da geomorfologia cárstica. Os resultados apontaram para a união entre ficção e realidade favorecendo, inclusive, pesquisas científicas após a publicação do livro.

Palavras-chave: Júlio Verne; Carste; Geopatrimônio.

 

Abstract

Caves and the landscapes in which they are present have populated the collective imaginary of diverse cultures, either through legends and myths of creation, or because they are part of the scenario of travel reports or novels. Thus, the research aims to demonstrate how the Dinaric Karst and the Pazinska Jama are portrayed in the book Mathias Sandorf, by Jules Verne. The analysis was developed in an associative way to the concepts of both Karstology and Speleology in order to identify in the text of Verne his contribution to demonstrate to the reader’s aspects of the physical geography of karst. In order to reach the objective, the authors analyzed the narrative of the author as well as researched aspects of karst geomorphology. The results pointed to the union between fiction and reality even favoring scientific research after the publication of the book.

Keywords: Jules Verne; Karst; Geoheritage.

 

Résumé

Les grottes et les paysages dans lesquels elles s'insèrent ont peuplé l'imaginaire collectif de diverses cultures, soit à travers les légendes et les mythes de la création, soit parce qu'elles font partie du scénario des récits de voyage ou des romans. Par conséquent, ce travail a pour but de montrer comment le karst dinarique et le Pazinska Jama sont représentés dans le livre 'Mathias Sandorf', de Jules Verne.L'analyse a été développée de manière associative aux concepts de karstologie et de spéléologie afin d'identifier dans le texte de Jules Verne sa contribution à démontrer aux lecteurs des aspects de la géographie physique du karst. Afin d'atteindre cet objectif, les auteurs ont analysé le récit de Verne et ont également étudié des aspects de la géomorphologie karstique. Les résultats ont mis en évidence l'union entre la fiction et la réalité, favorisant même la recherche scientifique après la publication du livre.

Mots-clés: Jules Verne; Karst; Geoheritage.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Eduardo Panisset Travassos, Programa de Pós-Graduação em Geografia da PUC Minas

Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Doutor em Carstologia pela Universidade de Nova Gorica (Eslovênia). Professor adjunto do Departamento de Geografia da PUC Minas, onde também atua como docente permanente no Programa de Pós-Graduação em Geografia – Tratamento da Informação Espacial.

Glaycon de Souza Andrade e Silva, Programa de Pós-Graduação em Geografia – Tratamento da Informação Espacial.

Graduando em Geografia da PUC Minas, onde também atua como estagiário do Projeto de Monitoramento Microclimático de grutas turísticas no estado de Minas Gerais no Programa de Pós-Graduação em Geografia – Tratamento da Informação Espacial.

Felipe de Ávila Chaves Borges, Programa de Pós-Graduação em Geografia – Tratamento da Informação Espacial.
Geógrafo, Mestre em Geografia e Bolsista CAPES. Doutorando em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia – Tratamento da Informação Espacial.
Publicado
18-08-2018
Como Citar
Travassos, L. E., Silva, G., & Borges, F. (2018). O Carste e o Geopatrimônio em Júlio Verne: o exemplo de Mathias Sandorf. Ateliê Geográfico, 12(2), 53-77. https://doi.org/10.5216/ag.v12i2.53477
Seção
Artigos