Biotecnologia e biodiversidade no Bioma Cerrado: incursões reflexivas

  • Wagner Alceu Dias UFG

Resumo

Este trabalho tem por objetivo elucidar as discussões sobre o envolvimento da biotecnologia com a biodiversidade do Cerrado, o qual pode ser concebido como bioma e também instrumento de personificação cultural. Os pressupostos que foram levantados partem de pesquisas recentes que indicam o surgimento de uma gama de espécies de sementes produzidas pela biotecnologia devido à necessidade de se intensificar a produção por meio de dois tipos de implementação. A primeira é evidenciada pela possibilidade em tornar áreas do Cerrado propícias à agricultura por via de melhoramento de sementes em circunstância do solo. A segunda é condicionada pelo melhoramento de sementes, fazendo com que a capacidade produtiva de uma determinada área fique acima da média. Essas duas contribuições da biotecnologia, evidentemente, promovem uma potencialização do setor produtivo, mas, em contrapartida, não podem ser consideradas agentes de um desenvolvimento sustentável, uma vez que as espécies criadas pela biotecnologia, do ponto de vista ambiental, são uma ameaça à biodiversidade nativa, neste caso o Cerrado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
26-12-2011
Como Citar
Dias, W. (2011). Biotecnologia e biodiversidade no Bioma Cerrado: incursões reflexivas. Ateliê Geográfico, 4(1), 224-239. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/atelie/article/view/16690
Seção
Ensaio