O ESPELHO DA CATEDRAL: REFLEXOS DO POLÍTICO EM “A GRANDE REVISTA À PORTUGUESA”

Sílvia Alexandra Raposo

Resumo


O presente artigo visa analisar a instrumentalização do Teatro de Revista português com vista à resistência e agência social. Analisa-se a relação entre o artístico e o político à luz dos conceitos de agência social e resistência política. Neste sentido refletir-se-á sobre a poética dramatúrgica como instrumento de resistência, através da análise discursiva, e colocar-se-ão as rábulas socio-políticas no centro da discussão dos conceitos de heterotopia de resistência e poesia do espaço. Ir-se-á, inclusive, pôr em evidência o que leva a que os grupos subalternos assumam estas agências culturais. Este artigo serve-se de uma metodologia qualitativa para compreender todas estas questões, cruzando teoria e empiria.


Palavras-chave


Agência; Política; Resistência; Teatro de Revista

Texto completo:

PDF

Referências


Instrumentalização, Arte, Política e Resistência

ASSUNÇÃO GATO, Maria, et al (2013). “Hoje somos nós os escultores!” Agencialidade e arte pública participada em Almada, em Cadernos de Arte e Antropologia, Vol. 2, No 1. Disponível em: http://www.portalseer.ufba.br/index.php/cadernosaa/article/view/6723‎.

CHAGAS, Pedro Dolabela (2005). Arte e política: o quadro normativo e a sua reversão. Kriterion, Belo Horizonte, nº 112, pp. 367-381. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-512X2005000200019.

CEDEÑO, Janneth (2010). Arte y política. Entre propaganda y resistência. Anuario colombiano de historia social y de la cultura, vol. 37, n.º 2 – 2010, ISSN 0120-2456, Bogotá - Colombia, págs. 221-243. Disponível em: http://www.revistas.unal.edu.co/index.php/achsc/article/download/19189/20133.

CENTENO, Maria João (2012). As Organizações Culturais e o Espaço Público, A Experiência da Rede Nacional de Teatros e Cineteatros. Lisboa: Edições Colibri.

CORREAL, Diana, 2006, “Aquí fue Troya” – Women, Theater and Cultural Agencies, Tabula Rasa. Bogotá - Colombia, No.5: 193-208. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/396/39600510.pdf.

CSORDAS, Thomas (2008). "A Corporeidade como um Paradigma para a Antropologia", em Corpo/significado/cura. Porto Alegre: Editora UFRGS.

FIGUEIREDO, Cláudia (2011). Arte, Redenção e Transformação: a experiência da Sociedade Teatro Livre. Dissertação (Mestrado em História Contemporânea) - Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, Portugal, 144 f. Disponível em: http://hdl.handle.net/10362/7062.

FONSECA, Isabel (2006). “Estratégias de Comunicação do MST para se inserir na Esfera Pública” em Revista Brasileira de Inovação Científica em Comunicação, Vol. 1, No 2, p. 02-18, Maio (de 2006). Disponível em: http://www.portcom.intercom.org.br/revistas/index.php/inovcom/article/view/314/306.

FOUCAULT, Michel. “Of other spaces”. In: Architecture, Mouvement, Continuité, n°5, outubro 1984, pp. 46-49. Disponível em: http://analobocrispi.files.wordpress.com/2009/05/michelfoucaultheterot_carmela.pdf.

NEVES, Maria Eduarda (2013). “Arte e Utopia: a lição das sereias”, em Colóquio Arte e Utopia, Lisboa: IHA/FCSH-UNL, Outubro.

OLIVEIRA, Patrícia (2011). Política e arte: desvios, leituras e emergências. Dissertação (Mestrado em Ciência Política e Relações Internacionais) - Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, Portugal, 122 f. Disponível em: http://run.unl.pt/bitstream/10362/6958/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o%2520de%2520Mestrado%5B1%5D.pdf.

PARANHOS, Kátia (2012) Cruzando os mares: os grupos Opinião e Teatro Moderno de Lisboa – resistência e contestação político-cultural na década de 1960, Est. Hist., Rio de Janeiro, vol. 25, nº 49, pp. 31-49. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/viewFile/3756/2830.

PÊCHEUX, M. (2011). Análise do Discurso. Campinas: Pontes. Disponível em:

____________. (2009). Semântica e Discurso. Campinas: Unicamp. Disponível em: http://www.4shared.com/web/preview/doc/pHckc_yQ.

SAMARA, Maria Alice Dias de Albergaria (2010). As repúblicas da répública. Históra, cultura política e republicanismo. Dissertação (Doutoramento em História Contemporânea Institucional e Política de Portugal) - Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, Portugal, 432 f, pp. 195-196; 204-208. Disponível em linha: .

SCOTT, J. (1985), Weapons of the Weak: Everyday forms of peasant resistance, Journal of Peasant Studies, 13 (2), pp. 5-35.

_________ (1990), Los dominados y el arte de la resistência. México: Era.

SCHECHNER, Richard (1985). Between Theater and Anthropology. Philadelphia: University of Pennsylvania Press.

Acção e agência social

BUENO, Marcos (2002). “As teorias de motivação humana e sua contribuição para a empresa humanizada: um tributo a Abraham Maslow”. In Revista do Centro de Ensino Superior de Catalão - CESUC - Ano IV - nº 06 - 1º Semestre. Disponível em: http://tupi.fisica.ufmg.br/~michel/docs/Artigos_e_textos/Motivacao/009%20-%20As%20teorias%20de%20motiva%E7%E3o%20humana%20e%20sua%20contribui%E7%E3o%20para%20a%20empresa%20humanizada.pdf.

CADILHA, Susana (2011). Acção e Ética - Conversas sobre a racionalidade prática. Lisboa, Colibri, pp. 65- 83. Disponível em: http://foundationsoftheself.squarespace.com/storage/Limites%20da%20racionalidade%20racionalidade%20motivada%20e%20emoes.pdf.

MAHMOOD, Saba (2005). “Teoria feminista, agência e sujeito liberatório: algumas reflexões sobre o revivalismo islâmico no Egipto”. Etnográfica. 2006.X,Nº1.

SZTOMPKA,P. (1998), A Sociologia da Mudança Social, Rio de Janeiro, Ed. Civilização Brasileira.

História do Teatro e da Revista

BRAGA, Teófilo (1870). História do Teatro Português. Porto: Imprensa portuguesa editora.

MARQUES, Daniel (2001). “Teatro de intervenção: Um resgate necessário (o teatro de revista e a política)”. Em Trans/Form/Ação, São Paulo, 24: 41-46.

OLIVEIRA, Francisco de (1993). "Teatro e poder na Grécia", em HVMANITAS — Vol XLV. Acedido a 25 de Maio de 2014. Disponível em: http://www.uc.pt/fluc/eclassicos/publicacoes/ficheiros/humanitas45/04_Oliveira.pdf

REBELLO, Luís Francisco (1985). História do Teatro de Revista em Portugal II. Da república até hoje. Edição/reimpressão: 1985. Páginas: 336. Editor: Dom Quixote.

RODRIGUES, Pedro Alexandre (2007). Ernesto Rodrigues, um homem do teatro na I República. Dissertação (Mestrado em História e Cultura Europeia Contemporâneas) - Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Portugal, 201 f, p. 7-57. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/414/1/15989_Ernesto%2520Rodrigues%2520Um%2520Homem%2520do%2520Teatro%2520na%2520I%2520Rep00FAiblica%2520%28Vers00E3o.pdf

VENEZIANO, Neyde (1991). O Teatro de Revista no Brasil – Dramaturgia e Convenções. SP. Campinas: UNICAMP.

Sobre a Máscara e o Riso:

BAKHTIN, M. M (1999). A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. São Paulo: Hucitec. Disponível em: http://meridianum.paginas.ufsc.br/files/2010/12/BAKHTIN-Mikhail.-A-cultura-popular-na-idade-m%C3%A9dia-e-no-renascimento-o-contexto-de-Francois-rabelais.pdf.

GODINHO, Paula (2011). "Máscaras Transmontanas em Quatro Tempos". Em Máscaras, Mistérios e Segredos, Lisboa, Edições Colibri.

LOURENÇO, Frank (2009). "O pré-teatro e a função da máscara" in Revista do Lume, nº 07, Russas, Ceará, Brasil. Disponível em: http://oficarte-teatroecia.blogspot.pt/2009/05/o-pre-teatro-e-funcao-da-mascara-o-fogo.html.

PEREIRA, Luana Mara (2010). Choice of Masks: reflections on the show O Amargo Santo da Purificação the Tribe of Actuators “Ói Nóis Aqui Traveiz”. Dissertação - Centro de Artes, Universidade do Estado de Santa Catarina , Brasil, 14f. Disponível em: http://www.ceart.udesc.br/dapesquisa/edicoes_anteriores/7/files/2010/CENICAS-06Luana.pdf.

ROLFE, Bari (1977). Behind the mask. Oakland, Persona Products, p. 34.

Bibliografia metodológica:

BEAUD, S.; WEBER, F. (2007). “Escolher um tema e um campo” em Guia para a Pesquisa de Campo. Produzir e Analisar dados etnográficos, Petrópolis, Vozes, pp. 21-43.

BOURDIEU, P. (1989). “Introdução a uma sociologia reflexiva” em Poder Simbólico, Lisboa, Difel, pp. 17-58.

BURGESS; R., (1997). “As entrevistas como conversas” in A Pesquisa de Terreno, Lisboa Celta pp., 111-133.

_____________ (1997 [1984]), «Registar e analisar a informação de campo“ in A Pesquisa de Terreno. Uma Introdução, Lisboa, Celta, pp. 181-200.

DAMATTA, Roberto (1978). “O Ofício de Etnólogo, ou como Ter Anthropological Blues”. Em Boltetim do Museu Nacional - Nova Série, n. 27, Maio. Disponível em: http://pt.scribd.com/doc/51433408/DAMATTA-Roberto-O-oficio-de-etnologo-ou-como-ter-anthropological-blues.

EVANS-PRITCHARD, E.E. (1991 [1937]), “Some Reminiscences and Reflections on Fieldwork” em Witchcraft, Oracles and Magic Among the Azande. Oxford, Clarendon Press, pp. 240-254.

MALINOWSKI, B. (1997). “Introdução: objecto, método e alcance desta investigação” em Os Argonautas do Pacífico Ocidental. Ethnologia, n.s., nº6-8, pp.17-37. Disponível em: http://www.moodle.ufba.br/file.php/12439/textos_complementares/Bronislaw_Malinowski_Os_argonautas_do_Pacifico_Ocidental.pdf.

SPRADLEY, J. (1979). The ethnographic interview. New York, NY: Holt.

_____________(1980). Participant Observation , EUA, Harcourt Brace College Publishers,

pp.26-35.

Grande Revista à Portuguesa

BARTOLOMEU COSTA, Tiago. “Muitas vezes pensei que era a última peça”, em Público [Internet]. Lisboa: Público Comunicação Social SA; 14 de Agosto de 2013; acedido a 16 de Maio de 2014. Disponível em: http://ipsilon.publico.pt/teatro/entrevista.aspx?id=323961

LA FÉRIA, Filipe (2013). "Programa da Grande Revista à Portuguesa", em Filipe La Féria [Internet] ; Atualizado em 2014; Consultado a 11 de Maio de 2014. Disponível em: http://www.filipelaferia.pt/NOTICIAS/GRP/Grande%20revista%20a%20Portuguesa.Press10.01.2014.pdf.

Notícias:

DIÁRIO DE NOTÍCIAS. "Governo trava peça de teatro", em Diário de Notícias - Gente [Internet]. Lisboa: [s.a.]. 24 de Julho de 2010; [Acedido a 23 de Maio de 2014]. Disponível em: http://www.dn.pt/gente/interior.aspx?content_id=1625703

ESQUERDA.NET. "Governo angolano censura peça de teatro pelo seu conteúdo político", em Esquerda.net [Internet]. Lisboa: [s.a.]. 19 de Maio de 2014; [Acedido a 23 de Maio de 2014]. Disponível em: http://www.esquerda.net/artigo/governo-angolano-censura-peca-de-teatro-pelo-seu-conteudo-politico/32729

LUSA. "Ossos e coelho esfolado na primeira manifestação no Porto", em Correio da Manhã [Internet]. Lisboa: Presslivre, S.A.. 13 de Outubro 2012; [Acedido a 23 de Maio de 2014]. Disponível em: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/cultura/ossos-e-coelho-esfolado-na-primeira-manifestacao-no-porto

Outras obras citadas:

BAKHTIN, M. (1997). Marxismo e filosofia da linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. 8ª ed. São Paulo; Hucitec.

CAMPOS, Haroldo de (1982). Maiakóvski - Poemas, Editora Perspectiva.

CHARTIER, Roger (1995)."Cultura popular: revisitando um conceito historiográfico”. Em Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 8, n . 16, p.179-192. Disponível em: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAZaIAL/cultura-popular-roger-chartier.

GREINKE, Russel (2007). “Art Is Not a Mirror to Reflect Reality, but a Hammer to Shape It”, in The Alan Review, Vol. 34, nª 3. Disponível em: http://scholar.lib.vt.edu/ejournals/ALAN/v34n3/greinke.pdf.

HENRIQUES DA SILVA, Raquel (2005). “O ZÉ POVINHO DE RAFAEL BORDALO PINHEIRO: Uma iconologia de ambivalência”, em Revista de História da Arte, Vol. 3, nº11.

PICON-VALLIN, Béatrice (2012). Uma verdadeira máscara não esconde, ela torna visível. Sala Preta, Brasil, v. 12, n. 2, p. 154-175. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/salapreta/article/view/57495.

SARAMAGO, José (1995). Ensaio sobre a cegueira. Lisboa: Editorial Caminho.

VAN GENNEP, Arnold (1978). Os ritos de passagem (Apresentação de Roberto da Matta), Petrópolis:Vozes, p. 9-33.

Entrevistas presenciais:

BRILHANTE, Maria João. Resistências na 5ª arte da actualidade. Lisboa, Universidade de Lisboa, 02 de Novembro de 2013. Entrevista concedida a Sílvia Gomes e Mónica Gomes.

CASTRO, Ricardo. O Fado no Teatro de Revista. Lisboa, Teatro Politeama, 15 de Novembro de 2013. 1 Ficheiro. MP3 (49 min.) e 1 Ficheiro. MOV (00:01:39 min.). Entrevista concedida a Sílvia Gomes e Inês Marques. [Anexo 8]

FERREIRA, José Luís. A instrumentalização do teatro. Lisboa, São Luiz Teatro Municipal, 04 de Novembro de 2013. 6 Ficheiros .MOV (42 min.). Entrevista concedida a Sílvia Gomes e Inês Marques.

GENTIL, Lenita. O Fado. Casa de fados “O Faia”, Bairro Alto, 29 de Outubro de 2013. 6 Ficheiros. MOV (25 min.). Entrevista concedida a Sílvia Gomes.

GOMES, Mónica. O Teatro como instrumento de resistência. Lisboa, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 23 de Maio de 2014. Entrevista concedida a Sílvia Gomes

GUERREIRO, Anita. A instrumentalização do teatro. Lisboa, Praça Luís de Camões, 01 de Novembro de 2013. 3 Ficheiros. MOV (40 min.). Entrevista concedida a Sílvia Gomes e Inês Marques.

SARAIVA, Nuno e Clara. O Fado no Teatro de Revista. Lisboa, Olaias, 16 de Abril de 2014. 1 Ficheiro. WAV (01:17:00 min.) e 1 Ficheiro. MOV (01:15: 00 min.). Entrevista concedida a Sílvia Gomes e Inês Marques.

TEIXEIRA, Vitorino. O Fado. Odivelas, Bairro Novo do Trigache, 28 de Setembro de 2013. 1 Ficheiro. MOV (10 min.). Entrevista concedida a Sílvia Gomes.

Entrevistas em linha:

COELHO, Manuel. Solicito a sua ajuda e conhecimentos em Gmail: e-mail do Google [em linha]. Lisboa: 27 de Outubro de 2013. Entrevista concedida a Sílvia Gomes.

MARTO, Inês. A Revista como forma de resistência em Gmail: e-mail do Google [em linha]. Lisboa: 27 de Outubro de 2013. Entrevista concedida a Sílvia Gomes.

MÓNICA, Vera. Solicito a sua cooperação em Gmail: e-mail do Google [em linha]. Lisboa: 28 de Outubro de 2013. Entrevista concedida a Sílvia Gomes.

SANTOS, Marlene. A Revista como forma de resistência em Gmail: e-mail do Google [em linha]. Lisboa: 27 de Outubro de 2013. Entrevista concedida a Sílvia Gomes.

RENDAS, Hugo. O Fado no Teatro em Gmail: e-mail do Google [em linha]. Lisboa: 09 de Novembro de 2013. Entrevista concedida a Sílvia Gomes e Inês Marques.




DOI: https://doi.org/10.5216/ac.v3i1.44524

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Arte da Cena (Art on Stage), disponível em http://www.revistas.ufg.br/index.php/artce/index, encontra-se licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.