Cena Expandida: Boias-Frias e Teatro da Crueldade

Autores

  • John C. Dawsey Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ac.v1i2.34766

Palavras-chave:

cena expandida, teatro da crueldade, boias-frias, extraordinário ou espantoso cotidiano, f(r)icção, experiência.

Resumo

Creio que as artes cênicas que se manifestam no extraordinário cotidiano de boias-frias em carrocerias de caminhões iluminam processos de diluição e, ao mesmo tempo, de expansão da cena. Nesses palcos se manifesta um teatro da crueldade. Cena expandida. Vida e teatro se tocam. Boiasfrias em cena. A seguir, se apresentam três personagens. Cada uma delas se manifesta em canaviais e carrocerias de caminhões, nos palcos do teatro cotidiano dos boias-frias: 1) sombras ou assombrações; 2) passageiros das barcas dos loucos no mar verde dos canaviais; e 3) bois agonizantes e brincalhões. Ao fim do percurso emergem quatro questões que, no registro dos boias-frias, se articulam à noção de cena expandida: 1) o teatro de um extraordinário ou espantoso cotidiano; 2) a experiência lúdica e agonizante de quem vira mercadoria; 3) a expressão do corpo que se transforma em bagaço; e 4) a imagem do passado que nos toca com o fulgor de um raio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

John C. Dawsey, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

JOHN C. DAWSEY é Professor Titular MS-6 (2007) em Antropologia Social da Universidade de São Paulo (USP). Ph. D. em antropologia (1989) e mestre em teologia (1977) pela Emory University. Possui graduação em história (1973) pela Florida Southern College. Coordenador do Napedra (Núcleo de Antropologia, Performance e Drama) e do Núcleo de Artes Aro-Brasileiras, USP. Coordenador do Encontro Internacional de Antropologia e Performance (EIAP/2011) e do I Encontro Nacional de Antropologia e Performance (ENAP/2010). Entre outros livros, publicou “De que riem os boias-frias? Diários de antropologia e teatro”(2013) e coorganizou “Antropologia e performance: ensaios Napedra”(2013), “Terra do não lugar: diálogos entre antropologia e performance” (2013) e “Americans: imigrantes do Velho Sul no Brasil” (2005). Nas interfaces entre antropologia e teatro, tem interesse por reconfigurações do campo da antropologia suscitadas pela obra de Walter Benjamin. Desenvolve pesquisas em antropologia da performance, antropologia da experiência e antropologia benjaminiana.

Referências

ARAGON, Louis. O camponês de Paris. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

ARTAUD, Antonin. To have done with the judgment of God, A Radio Play (1947). In: ARTAUD, A. P. Antonin Artaud: Selected Writings. Ed. Susan Sontag. Berkeley, Los Angeles: University of California Press, 1976, pp. 555-571.

ARTAUD, Antonin. O teatro e seu duplo. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

BARTHES, Roland. A Câmara clara. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BENJAMIN, Walter. O surrealismo: o último instantâneo da inteligência européia. In: BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas: magia e técnica, arte e política. Trad. Sérgio Paulo

Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1985a, pp. 21-35.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas: magia e técnica, arte e política. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1985b, pp. 222- 232.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

DAWSEY, John C. “Caindo na cana” com Marilyn Monroe: tempo, espaço, e boias-frias. Revista de Antropologia, São Paulo, 1997, volume 40, n. 1, pp. 183-226.

FOUCAULT, Michel. História da loucura. São Paulo: Perspectiva, 1978.

GAGNEBIN, Jeanne-Marie. História e narração em W. Benjamin. São Paulo: Perspectiva/Fapesp, 1994.

GARCIA JR., Afrânio. Terra de trabalho: trabalho familiar de pequenos produtores. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

GRAZIANO DA SILVA, José. Progresso técnico e relações de trabalho na agricultura. São Paulo: Hucitec, 1981.

HEREDIA, Beatriz. A morada da vida. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.

HUIZINGA, Joaquin. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 1993.

LEITE LOPES, José Sérgio. O vapor do diabo. 2a ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

MARTINS, José de Souza. Terra de negócio e terra de trabalho. In: MARTINS, José de Souza. Expropriação e violência: a questão política no campo. São Paulo: Hucitec, 1991, pp. 43-60.

RABELAIS, François. Gargântua e Pantagruel. Belo Horizonte e Rio de Janeiro: Villa Rica, 1991.

TURNER, Victor. Introduction. In: TURNER, Victor. From ritual to theatre. New York: PAJ Publications, 1982a, pp. 7-19.

TURNER, Victor. Dramatic ritual/ritual drama: performative and reflexive anthropology. In: Dilthey, V. From ritual to theatre: the human seriousness of play. New York: PAJ Publications, 1982b, pp. 89-101.

TURNER, Victor. Dewey, Dilthey, and Drama: an essay in the anthropology of experience. In: TURNER, Victor, e BRUNER, Edward M., orgs. The Anthropology of Experience. Urbana

e Chicago: University of Illinois Press, 1986, pp. 33-34.

TURNER, Victor. The anthropology of performance. In: TURNER, V. The anthropology of performance. New York: PAJ Publications, 1987, pp. 72-98.

VAN GENNEP, Arnold. Os ritos de passagem. Petrópolis: Vozes, 2011.

Downloads

Publicado

31-03-2015

Como Citar

Dawsey, J. C. (2015). Cena Expandida: Boias-Frias e Teatro da Crueldade. Arte Da Cena (Art on Stage), 1(2), 19–34. https://doi.org/10.5216/ac.v1i2.34766

Edição

Seção

Temas Variados