Estética do consumo: uma perspectiva a partir da ecologia publicitária

  • Clotilde Perez Universidade de São Paulo
  • Victor Aquino Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Estética, Estética do consumo, Gosto, Ecologia publicitária

Resumo

O presente texto é resultado da reflexão teórica sobre estética, estética do consumo e ecologia publicitária. Tais resultados reflexivos são decorrentes das pesquisas do GESC3 (Grupo de Estudos Semióticos em Comunicação, Cultura e Consumo) e do CEDE (Coletivo de Estudos de Estética), cujos trabalhos buscam agregar o pensamento crítico multidisciplinar entre o estudo do consumo e a publicidade. Tais estudos são marcados pela forte pesquisa empírica, alicerçada nos métodos semióticos e na etnografia levados a cabo na última década. O resultado destas reflexões nos leva ao entendimento de que o consumo é hoje essencialmente um consumo estético, quer pelas visualidades e sensorialidades exploradas nas ofertas materiais, quer pelas explorações conceituais de temas emergentes, como gênero, etnia, ageless e tantos outros que também são abordados esteticamente nas campanhas e expressividades das marcárias.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clotilde Perez, Universidade de São Paulo

Professora titular de Publicidade e Semiótica da ECA/USP. Doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP. Professora da ECA/USP na graduação em Publicidade e no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da USP. Líder do GESC3 – Grupo de Estudos Semióticos em Comunicação, Cultura e Consumo. Fundadora da Casa Semio.

 

Victor Aquino, Universidade de São Paulo

Professor titular de Estética Publicitária da ECA/USP, na graduação em Publicidade e no Programa de Pós-graduação em Ciências da Comunicação. Líder do CEDE – Coletivo de Estudos de Estética. Editor da revista Estética.

Referências

Referências

AQUINO, Victor. Aesthetics as way for watching Art and

things. Monroe: WEA Books, 2002.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para o consumo: a transformação

das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BAUMGARTEN, A. G. Reflections on poetry: meditationes

philosophicae de nonnullis and poema pertinentibus.

Berkeley: University of California Press, 1954.

BAYER, Raymond. Histoire de l’esthétique. Paris: Armand

Colin, 1961.

CASAQUI, Vander. Por uma teoria da publicização: transformações

no processo publicitário. Significação: revista de

cultura audiovisual, São Paulo, v. 36, p. 131-151, 2011.

_______. A esfera simbólica da produção: estratégias de publicização

do mundo do trabalho na mídia digital. Rumores,

São Paulo, v. 6, 2009. Não paginado.

ELKINS, James (Ed.) Beyond the aesthetic and the anti-aesthetic:

the stone art theory institutes. University Park, Penn

State University Press, 2015.

FOSTER, Hall. The anti-aesthetic: essays on post-modern

culture. New York: The New Press, 2002.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. São

Paulo: Unesp, 1991.

_______. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge

Zahar, 2002.GOLDBLATT, David. Aesthetics: a reader in philosophy of the

arts. 2 ed. Nova York; Abingdon: Routledge, 2016.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade.

Tradução Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 7

ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

HAUG, Wolfgang Fritz. Critique of commodity aesthetics:

appearance, sexuality, and advertising in capitalist society.

Minneapolis: University of Minnesota Press, 1986.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. São Paulo: Aleph,

LIPOVETSKY, G. O Império do efêmero. São Paulo: Cia das

Letras, 2007.

LIPOVETSKY, Gilles; CHARLES, S. Os tempos hipermodernos.

São Paulo: Barcarolla, 2004.

LIPOVETSKY, Gilles; SERROY, Jean. A estetização do mundo:

viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Cia das

Letras, 2015.

MARTÍN-BARBERO. J. Dos meios às mediações. Comunicação,

cultura e hegemonia. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora

UFRJ, 2001.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. São Paulo:

Civilização Brasileira, 1974 .

MCCRACKEN, Grant. Cultura e consumo. Rio de Janeiro:

Mauad, 2003.

MORIN, Edgard; LE MOIGNE, JL. A Inteligência da Complexidade.

São Paulo: Petrópolis, 2000.

PEREZ, Clotilde. Ecossistema publicitário: o crescimento

sígnico da Publicidade. In: INTERCOM, 39., 2016. Anais...

São Paulo: Intercom, 2016.

______. Signos da marca: expressividade e sensorialidade.

São Paulo: Cengage Learning, 2004.

POSTREL, Virginia. The power of glamour: longing and the

art of visual. New York: Simon & Schuster, 2013.

PRUM, Richard O. The evolution of beauty: how darwin's

forgotten theory of mate choice shapes the animal world

and us. New York: Doubleday, 2017.

SANTAELLA, Lucia. A ecologia pluralista da comunicação:

conectividade, mobilidade, ubiquidade. São Paulo:

Paulus, 2010.

SLOTERDIJK, Peter. Sphären III – Schäume. Frankfurt:

Suhrkamp, 2004.

TRINDADE, Eneus. A publicidade e a modernidade-

-mundo: as representações de pessoas, espaço e tempo. In:

BARBOSA, I. (Org.). Os sentidos da publicidade. São Paulo:Thomson Learning, 2005.

TRINDADE, Eneus; PEREZ, Clotilde. Os rituais de consumo

como dispositivos midiáticos para a construção de vínculos

entre marcas e consumidores. Alceu, Rio de Janeiro, v. 15, p.

-170, 2014.

TURNER, Victor. O processo ritual: estrutura e antiestrutura.

Petrópolis: Vozes, 2013. (Coleção Antropologia).

VAN GENNEP, Arnold. Los ritos de paso. Madrid: Alianza

Editorial, 2008.

WICKER, Jennifer. Advertising fictions in literature, advertisement

and social reading: social foundations of aesthetic

forms. New York: Columbia University Press, 1988.

Publicado
19-12-2018
Como Citar
Perez, C., & Aquino, V. (2018). Estética do consumo: uma perspectiva a partir da ecologia publicitária. Visualidades, 16(2). https://doi.org/10.5216/vis.v16i2.56392
Seção
Dossiê Cultura Visual 3