A estética da política

reflexões sobre as manifestações políticas de rua no espaço contemporâneo da arte

Palavras-chave: Manifestações políticas, Estética, Arte contemporânea

Resumo

Este artigo busca refletir sobre aspectos estéticos e artísticos das manifestações populares de rua, de cunho político, ocorridas no Brasil a partir de 2013, focando nas relações estabelecidas com o espaço urbano e suas múltiplas ações artísticas. Desde a linguagem visual, os elementos simbólicos, as cores, as relações com o tempo e o espaço, a interferência efêmera no cenário urbano, a desconstrução provocada no cotidiano até o registro de imagens daquelas manifestações. O artigo é escrito sob a ótica da pesquisa exploratória, de natureza analítica e explicativa, avaliando a existência de uma conexão entre a expressão estética dessas manifestações políticas e a arte contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Miguel Antonio Cotrim, Universidade Federal da Bahia

É graduado em Design e mestrando em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia, sob a orientação do Professor Doutor Paulo Fernando de Alemeida Souza. Tem longa experiência em design gráfico, marketing eleitoral, projetos gráficos e editoriais e arte. Participou de banca de TCC no curso de Design da Ufba. Conquistou diversos prêmios em propaganda e em exposições de arte. Seus interesses em pesquisa direcionam-se para as interrelações entre arte, design e política.

Paulo Fernando de Almeida Souza, Universidade Federal da Bahia

Paulo Souza, nascido em Salvador, é Doutor em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (USP), com a tese Sustentabilidade e responsabilidade social no design do produto: rumo à definição de indicadores. Realizou Pós-doutoramento em Design na Universidade de Aveiro, Portugal. É Mestre em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília (UnB). Graduou-se Bacharel em Desenho Industrial com habilitação em Projetos de Programação Visual, pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB), especializando-se, posteriormente, em Concepção de Produtos e Design orientado ao Ambiente, pela Sociedade Carl Duisberg (CDG), na Alemanha. Em 1999, fez estágio como designer de produtos no Centro de Design de Hessen (DZH), na Alemanha. Lecionou nos cursos de design e urbanismo da Universidade do Estado da Bahia, de 1996 a 2008. Desde 2008, é professor da Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, onde se dedica ao ensino do projeto de design. Docente-pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da EBA/UFBA, linha de Arte e Design: processos, teoria e história. Seus principais interesses de investigação estão voltados para o Design para Inovação Social. Foi o idealizador e editor científico da Revista Design em Foco e editor científico da Revista Cultura Visual.

Referências

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na época de suas técnicas de reprodução. In: BENJAMIN, Walter. Textos de Walter Benjamin. São Paulo: Abril, 1975. Cap. 1. p. 10-34. Tradução: José Lino Grünnewald.

BIDENT, Christophe. O teatro atravessado. Arj - Art Research Journal: Teatro em campo expandido, Porto Alegre, v. 3, n. 1, p.50-64, jun. 2016. Christophe Bident - Université de Picardie Jules Verne. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/8504/6807 – Acesso em: 23 jan. 2018.

BÜTTNER, Claudia. Projetos artísticos nos espaços não-institucionais de hoje. In: PALLAMIN, Vera M. (Org.). Cidade e Cultura: Esfera pública e transformação urbana. 2. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2002. Cap. 3. p. 73-102. Coord. Marina Lederman. Disponível em: http://fau.usp.br/arquivos/docentes/vpallamin/cidade_cultura.compressed.pdf – Acesso em: 16 set. 2017.

CORTÉS, José Miguel G.. Políticas do espaço: Arquitetura, gênero e controle do espaço. São Paulo: Editora Senac, 2008. 215 p.

GUIMARÃES, Bruno. Liberdade, identidade e política na arte contemporânea: um diálogo com Danto. Viso: Cadernos de estética aplicada, Rio de Janeiro, v. , n. 15, p.253-276, 31 dez. 2014. Semestral. Disponível em: http://www.revistaviso.com.br/visArtigo.asp?sArti=156 – Acesso em: 16 set. 2017.

LIPOVETSKY, Gilles; SERROY, Jean. A estetização do mundo: Viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. Tradução: Eduardo Brandão.

MARTINS, Daniel Marcos. Música, identidade e ativismo: A música nos protestos de rua no Rio de Janeiro (2013-2015). Vórtex: (Dossiê Som e/ou Música Violência e Resistência, Curitiba, v. 3, n. 2, p.188-207, dez. 2015. Disponível em: file:///Users/miguelcotrim/Downloads/898-2176-1-PB.pdf – Acesso em: 24 jan. 2018.

MOUFFE, Chantal. Prácticas artísticas y democracia agonística. Barcelona: Museu d’Art Contemporani de Barcelona, 2007. 72 p.

PALLAMIN, Vera M.. Arte urbana como prática crítica. In: PALLAMIN, Vera M. (Org.). Cidade e Cultura: esfera pública e transformação urbana. 2. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2002. Cap. 3. p. 103-110. Coord. Marina Ludemann. Disponível em: http://fau.usp.br/arquivos/docentes/vpallamin/cidade_cultura.compressed.pdf – Acesso em: 16 set. 2017.

ROLNIK, Raquel. As vozes das ruas: as revoltas de junho e suas interpretações. In: MARICATO, Ermínia et al (Ed.). Cidades Rebeldes: Passe Livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo: Boitempo, 2013. Cap. 1. p. 7-12.

SANTOS, José Mário Peixoto. Os Artistas Plásticos e a Performance na Cidade de Salvador: um percurso histórico-performático. 2007. 221 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Artes Visuais, Escola de Belas Artes, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2007.

VOLZ, Jochen; REBOUÇAS, Júlia (Org.). 32ª Bienal de São Paulo: Incertezas Vivas: Guia. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2016. 212 p. Disponível em: http://bienal.org.br/publicacao.php?i=3363 – Acesso em: 15 set. 2017

WANNER, Maria Celeste de Almeida. Paisagens Sígnicas: uma reflexão sobre as artes visuais contemporâneas. Salvador: Edufba, 2010. 302 p.

Publicado
01-07-2019
Como Citar
Cotrim, M., & Souza, P. (2019). A estética da política. Visualidades, 17, 26. https://doi.org/10.5216/vis.v17.55049
Seção
Artigos