Entre olhares: tempo e intercâmbios culturais nas imagens da Ilha do Maranhão

José Oliveira da Silva Filho

Resumo


O artigo trata das sobrevivências de imagens presentes em representações iconográficas da cidade de São Luís do Maranhão, em diferentes suportes, tomando por base a noção de “origem” desenvolvida por Walter Benjamin no intuito de discutir a ideia de uma visualidade sobre a cidade que vem sendo reinventada em diferentes épocas evidenciando trocas heterogêneas de olhares e temporalidades, de modo a revelar um processo de restauração de imagens primitivas sempre atualizadas.

Palavras-chave: História, imagem, cidade

 


Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, Walter. Pequena história da fotografia. In: Magia e Técnica, Arte e política-obras escolhidas I. Trad. S. Rouanet, São Paulo: Brasiliense, 1985.

BOLLE, Willi. Fisiognomia da metrópole moderna: Representação da História em Walter Benjamin. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1994.

BRIZUELA, Natalia. Fotografia e Império: paisagens para um Brasil Moderno. São Paulo: Companhia das Letras; Instituto Moreira Salles, 2012.

CARVALHO NETA, Raimunda N. Fortes; CANTANHEDE, João C. A cidade e a memória: as representações artísticas formando a identidade ludovincense. São Luís: editora da UEMA, 2012.

CRARY, Jonathan. Técnicas do observador: visão e modernidade no século XIX. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A imagem Sobrevivente: história da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013.

________________________ Ante el tempo: historia del arte y anacronismo de las imágenes. Buenos Aires: Adriana Hidalgo editora, 2011.

________________________ Diante da imagem. São Paulo: Editora 34, 2013.

________________________ Imagens apesar de tudo. Lisboa: KKYM, 2012.

ESPIRITO SANTO, José Marcelo. (Org.). São Luís: uma leitura da cidade. São Luís: Prefeitura Municipal de São Luís/Instituto de Pesquisa e Planificação da Cidade, 2006.

ETCHEVERRY. Carolina Martins. Visões de Porto Alegre nas fotografias dos Irmãos Ferrari (c.1888) e de Virgílio Calegari (c.1912). Dissertação de Mestrado. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2007.

LACROIX, Maria de Lourdes Lauande. A Fundação Francesa de São Luís e seus Mitos. 3. ed. São Luís: UEMA, 2008.

MARIN, Louis. Ler um quadro. Uma carta de Poussin em 1639. In: CHATIER, Roger. Práticas de leitura. 4. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

PINTO, Dalila dos S. C.; TÁVORA. Maria Luísa Luz. Sobrevivência da imagem: o anacronismo na gravura de Marcelo Grassmann. Palíndromo teoria da história, Florianópolis, n. 3, 2010. Disponível em: . Acesso em: 26 jun. 2014.

MARANHO, Milena Fernandes. Retratos da colonização: Os mapas dos Teixeira Albernaz e a construção dos sentidos da América portuguesa seiscentistas. In: 3º Simpósio Iberoamericano da História da cartografia, 2010, São Paulo: USP, 2010, p. 01-17.

PUGLEISE. Vera. O anacronismo como modelo de tempo complexo da espessura da imagem. Palíndromo teoria da história, Florianópolis, n.6, 2011. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2014.

REVIGLIO. Laura. Frans Post - O primeiro paisagista do Brasil. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo: USP, 1970. Disponível em: < http//www.ieb.usp.br>. Acesso em: 21 jun. 2014.

ROUILLÉ, André. A fotografia: entre documento e arte contemporânea. São Paulo: Editora SENAC, 2009.

SAMAIN, Etienne. As peles da fotografia: fenômeno, memória/arquivo, desejo. Visualidades, Goiânia, n.1, v.10, jan-jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2014.

SANTOS, Paulo Ferreira. Formação de cidades no Brasil colonial. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2001.

SILVA FILHO, José Oliveira da. A história capturada: São Luís pelas lentes de Gaudêncio Cunha. São Luís: EDUEMA, 2012.

TAVARES, Marcela Botelho. O(s) Tempos(s) da imagem: uma investigação sobre o estatuto temporal da imagem a partir da obra de Didi-Huberman. Dissertação de Mestrado. Ouro Preto-MG: Universidade Federal de Ouro Preto, 2012.

TRIVELLATO, Fred Teixeira. O Brasil das pinturas e fotografias de viajantes: geografias, narrativas e imagens do Brasil. II Encontro Nacional de História do Pensamento Geográfico. 2009, Campinas: UNICAMP, 2009. Disponível em: . Acesso em: 01 jul. 2014.

VIEIRA. Daniel de Souza Leão. A topografia ausente: a paisagem poliítica da Nieuw Holland nas vinhetas de Frans Post para o Mural Brasilia Qua Parte Paret Belgis, 1643-1647. Clio Revista de Pesquisa histórica, Recife, n. 29.1, 201. Disponível em: . Acesso em: 22 jun. 2014.

WARBURG. Aby. Dürer e a antiguidade italiana. Cadernos Benjaminianos, Belo Horizonte, n.5, p. 66-72, jan./jun. 2012




DOI: https://doi.org/10.5216/vis.v13i1.34190 ';



Direitos autorais



 

Logotipo do IBICT

 

Crossref

 

 



FACULDADE DE ARTES VISUAIS/UFG
Secretaria de Pós-Graduação

Avenida Esperança, s/n
Câmpus Samambaia (Câmpus II)
CEP: 74690-900

Telefone: (62) 3521-1442
www.fav.ufg.br/culturavisual

 

 

Licença Creative Commons


A revista Visualidades está licenciada com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.