Uma lagoa dunar e os primeiros registros de Desmidiaceae (Zygnematophyceae) em Sergipe, Brasil

Palavras-chave: algas, Conjugatophyceae, desmídias, Mata Atlântica, Nordeste brasileiro

Resumo

Desmidiaceae é representada no Brasil por 27 gêneros e cerca de 485 espécies. Estudos que complementam informações taxonômicas e de distribuição geográfica de desmídias têm avançado no país; no entanto, seis estados, incluindo Sergipe, não possuem informações sobre esta família. Assim, este estudo realizou um levantamento de Desmidiaceae em uma lagoa dunar localizada no sul da cidade de Aracaju, estado de Sergipe. Amostras foram coletadas de outubro de 2014 a abril de 2015 através de método usual qualitativo, em três pontos pré-definidos na lagoa. Para identificação, materiais em lâminas semipermanentes foram comparados com dados em bibliografias especializadas. Foram registrados 29 táxons pertencentes a cinco gêneros de Desmidiaceae [Actinotaenium (Nägeli) Teiling, Cosmarium Corda ex Ralfs, Euastrum Ehrenberg ex Ralfs, Micrasterias C.Agardh ex Ralfs e Staurastrum Meyen ex Ralfs]. As informações aqui apresentadas ampliam a distribuição das Desmidiaceae no Brasil, e dois táxons podem ser novos para a ciência. Consideramos que Sergipe é uma área rica para esta família e que necessita de mais estudos ecológicos e taxonômicos que contribuam para a composição da ficoflora do Estado e do Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Burle, Universidade Tiradentes

Graduação em Ciências Biológicas Bacharelado (2018) pela Universidade Tiradentes. Foi contemplado pelo programa Ciências sem Fronteiras (Edital 185), tendo a oportunidade de realizar graduação sanduíche na University of Western Australia. Foi estagiário e pesquisador do Instituto de Tecnologia e Pesquisa (ITP) no Laboratório de Catálise, Energia e Materiais (LCEM) e do Herbario Tiradentes (AJU). Atualmente trabalha como autônomo com licenciamento ambiental, gestão de tráfego e é o atual gestor do Parque Governador Antônio Carlos Valadares.

Rafael Mota de Gondra, Universidade Tiradentes

Graduando no curso de Ciências Biológicas Bacharelado (2011-) pela Universidade Tiradentes - UNIT. Estagiário no Herbário Tiradentes (AJU); Estagiário na Fundação Mamíferos Aquáticos.

Ivânia Batista de Oliveira, Universidade Estadual de Feira de Santana

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Feira de Santana (2002), mestra em Botânica pela Universidade Estadual de Feira de Santana (2008) e doutora em Botânica também pelo Programa de Pós-graduação em Botânica também da Universidade Estadual de Feira de Santana (2011). Atualmente é pesquisadora/colaboradora da, Universidade Federal do Rio de Janeiro e da Universidade Estadual de Feira de Santana. Trabalha na FAI - Faculdade Irecê, como professora, e ministra as disciplinas: Meio Ambiente e Saúde, Genética e Evolução, Genética do Comportamento, Citologia e Biologia Molecular, além de Botânica Aplicada à Farmácia, Morfologia, Anatomia e Sistemática Vegetal e Genética para Agronomia, e na Unidade de Ensino Superior do Sertão da Bahia (UESSBA) ministrando a disciplina Meio Ambiente e Sustentabilidade. Tem experiência na área docência superior e também na área de pesquisa em Botânica, com ênfase em taxonomia de criptógamos, atuando principalmente nos seguintes temas: Bahia, taxonomia, algas continentais, fitoplâncton, biodiversidade, Zygnematophyceae, águas lênticas e lóticas, desmídias.

Marla Ibrahim Uehbe de Oliveira, Universidade Federal de Sergipe

Graduação em Ciências Biológicas - Licenciatura, pela Universidade Federal de Sergipe - UFS (2006); mestrado (2009) e doutorado (2013) em Botânica pela Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS. Atuou como professora (2014 - 2017) e coordenadora (2016 - 2017) dos cursos de Ciências Biológicas - Licenciatura e Bacharelado da Universidade Tiradentes - UNIT (Sergipe). Além disso, foi curadora do Herbário AJU (2014 - 2017) e professora do curso de Farmácia desta mesma instituição (2015 - 2016). Atualmente é professora da área de Botânica do Departamento de Biologia (DBI) da Universidade Federal de Sergipe - UFS, atendendo aos cursos de Ciências Biológicas, Ecologia, Engenharia Florestal, Engenharia Agronômica e Zootecnia. Está na subchefia do DBI, e participa como membro titular do Colegiado do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas e do Núcleo Docente Estruturante (NDE), além de ser membro suplente na Comissão Coordenadora do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (COMPIBIC). Também é curadora do Herbário ASE, desenvolvendo atividades voltadas para extensão, gestão, obtenção de materiais botânicos, produção de monografias taxonômicas e tratamentos florísticos. Tem experiência em Sistemática de fanerógamas, em especial Myrtaceae (Campomanesia Ruiz & Pavón e demais gêneros que ocorrem no Brasil). Interessa-se por temas como taxonomia de embriófitas, florística, morfologia, anatomia, filogenia, variabilidade genética, ensino de Ciências e Biologia, curadoria.

Referências

Araújo, A. 2006. Diversidade específica e de habitat dos Cosmarium de parede lisa (Zygnemaphyceae) do Estado de São Paulo. 158 f. Tese de Doutorado (Biologia Vegetal), Universidade Estadual Paulista (UNESP), Rio Claro.

Barroso, A. D., C. L. Sant’Anna & P. A. C. Senna. 2007. Phytoplankton from Duas Bocas Reservoir, Espírito Santo State, Brazil (except diatoms). Hoehnea. 34: 211–229. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S2236-89062007000200006

Bicudo, C. E. M. & M. Menezes. 2018. Gêneros de algas de águas continentais do Brasil. 3 ed. São Carlos, Rima Editora.

Biolo, S., N. C. Bueno, N. S. Siqueira & C. Moresco. 2013. New records of Cosmarium Corda ex Ralfs (Desmidiaceae, Zygnematophyceae) in a tributary of the Itaipu Reservoir, Paraná, Brazil. Acta Bot Bras. 27: 1–12. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-33062013000100001

Bortolini, J. C., N. C. Bueno, C. Moresco, S. Biolo & N. S. Siqueira. 2010. Cosmarium Corda ex Ralfs (Desmidiaceae) em um lago artificial urbano, Paraná, Brasil. Rev Bras Bioc. 8: 229–237.

Brook, A. J. 1981. The biology of desmids. 1 ed. Oxford, Blackwell Scientific Publications.

Camargo, J. C., S. M. Loverde-Oliveir, M. G. Sophia & F. M. B. Nogueira. 2009. Desmídias perifíticas da baía do Coqueiro, Pantanal Matogrossense – Brasil. Iheringia, Sér Bot. 64: 25–41.

Costa, F. M., G. J. P. Ramos, I. B. Oliveira, C. E. M. Bicudo & C. W. N. Moura. 2018. Five new taxa and a new record of Euastrum (Desmidiaceae) from the Chapada Diamantina region, Bahia State, Brazil. Phytotaxa. 372: 193–202. DOI: https://doi.org/10.11646/phytotaxa.372.3.2

Coesel P. F. M. & K. Wardenaar. 1990. Growth responses of planktonic desmid species in a temperature-light gradient. Freshwater Biol. 23: 551–560.

Coesel P. F. M. & K. Wardenaar. 2006. Light-limited growth and photosynthetic characteristics of two planktonic desmid species. Freshwater Biol. 31(2):221 - 226. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1365-2427.1994.tb00856.x

Coesel, P. F. M. 1996. A method for quantifying conservation value in lentic freshwater habitats using desmids as indicator organisms. Nord J B. 1: 99–106.

De-Lamonica-Freire, E. M. 1985. Desmidioflórula da Estação Ecológica da ilha de Taiamã, município de Cáceres, Mato Grosso. 538 f. Tese de Doutorado (Ciências Biológicas), Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Estrela, L. M. B., B. M. Fonseca & C. E. M. Bicudo. 2011. Desmídias perifíticas de cinco lagoas do Distrito Federal, Brasil: I - Gênero Cosmarium Corda ex Ralfs. Hoehnea. 38: 527–552. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S2236-89062011000400003

Eteovick, P. C. & A. Giani. 1997. Levantamento taxonômico das Chlorophyta (Volvocales, Chlorococcales, Zygnematales) do Reservatório da Pampulha, MG. Rev Bras Bot. 20: 79–90.

Felisberto, A. S. & L. Rodrigues. 2010. Cosmarium (Desmidiaceae, Zygnemaphyceae) da ficoflórula perifítica do reservatório de Rosana, bacia do rio Paranapanema, Paraná/São Paulo, Brasil. Hoehnea. 37: 267–29.

Felisberto, S. A. & L. Rodrigues. 2011. Desmídias epifíticas do reservatório de Rosana, bacia do rio Paranapanema, Paraná/São Paulo, Brasil: Euastrum e Micrasterias (Desmidiaceae). Rev Bras Bioc. 9: 206–213.

Felisberto, S. A. & L. Rodrigues. 2013. Gêneros Staurastrum Meyen ex Ralfs e Staurodesmus Teiling na comunidade perifítica do Reservatório de Rosana, Paraná/São Paulo, Brasil. Rev Bras Bioc. 11: 64–75.

Flora do Brasil 2020 under construction. 2020. Conjugatophyceae in Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Available in: <http://floradobrasil.jbrj.gov.br/reflora/floradobrasil/FB119508>. Accessed in 07 jul. 2020.

Fonseca, L. W., M. A. S. Alves, L. C. M. Silva, N. S. Rodrigues & A. C. M. Pinillos. 2014. Zygnemaphyceae do Córrego Quinera - Parque Nacional de Chapada dos Guimarães/MT: estudo qualitativo e quantitativo. Enciclopédia Biosfera. 10: 3107-3117

Förster, K. 1964. Desmidiaceen aus Brazilien 2, Teil: Bahia, Goyaz. Piauhy und Nord-Brazilien. Hydrobiologia, Acta Hydrobiologica Hydrographica et Protistologica. 3-4: 321-505.

Forzza, R. C., J. F. A. Baumgratz, C. E. M. Bicudo, D. A. L. Canhos, A. A. Carvalho, M. N. Coelho, A. F. Costa, D. P. Costa, M. Hopkins, P. M. Leitman, L. G. Lohmann, E. Nic Lughadha, L. C. Maia, G. Martinell, M. Menezes, M. P. Morim, A. L. Peixoto, J. R. Pirani, J. Prado, L. P. Queiroz, S. Souza, V. C. Souza, J. R. Stehmann, L. Sylvestre, B. M. T. Walter & D. Zappi. 2012. New Brazilian Floristic List Highlights Conservation Challenges. Biosci. 62: 39–45. DOI: https://doi.org/10.1525/bio.2012.62.1.8

França, V. L. A. & M. T. Cruz. 2007. Atlas escolar de Sergipe: espaço geo-histórico e cultural. pp. 48–107. In: Fontes, A. L. (Ed.). Geologia e recursos minerais. João Pessoa, Editora Grafset.

Gerrath, J. F. 2003. Conjugating green algae and desmids. pp. 353-382. In: Wehr, J. D. & R. G. Sheath (Eds.). Freshwater algae of North America: ecology and classification. New York, New York Academic Pres.

Gontcharov, A. A. 2008. Phylogeny and classification of Zygnematophyceae (Streptophyta): current state of affairs. Fottea. 8: 87–104.

Gontcharov, A. A., B. Marin & M. Melkonian. 2003. Molecular phylogeny of conjugating green algae (Zygnemophyceae, Streptophyta) inferred from SSU rDNA sequence comparisons. J Mol Evol. 56: 89–104.

Gontcharov, A. A. & M. Melkonian. 2011. A Study of Conflict between Molecular Phylogeny and Taxonomy in the Desmidiaceae (Streptophyta, Viridiplantae): Analyses of 291 rbcL Sequences. Protist. 162: 253–267. DOI: https://doi.org/10.1016/j.protis.2010.08.003

Guiry, M. D. 2013. Taxonomy and nomenclature of the Conjugatophyceae (=Zygnematophyceae). Algae. An International Journal of Algal Research 28: 1-29.

Hall, J. D., K. G. Karol, R. M. McCourt & C. F. Delwiche. 2008. Phylogeny of the conjugating green algae based on chloroplast and mitochondrial nucleotide sequence data. J Phycol. 44: 467–477. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1529-8817.2008.00485.x

Islam, A. K. M. & N. Akter. 2006. Desmids from some selected areas of Bangladesh. B J Plant Taxon. 13: 41–47. DOI: https://doi.org/10.3329/bjpt.v13i1.592

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2019. Cidades. Available in: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/se/aracaju>. Accessed in 14 Jul 2020.

Martins, D. V. 1980. Desmidioflórula dos Lagos Cristalino e São Sebastião, Estado do Amazonas. 248 f. Dissertação de Mestrado, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), Manaus.

Melo, S. & K. F. Souza. 2009. Flutuação anual e interanual da riqueza de espécies de desmídias (Chlorophyta-Conjugatophyceae) e um lago de inundação amazônico de águas pretas (Lago Cutiuaú, Estado do Amazonas, Brasil). Acta Scie. 31: 235–243. DOI: https://doi.org/10.4025/actascibiolsci.v31i3.1050

McCourt, R. M., K. G. Karol, J. Bell, K. M. Helm-Bychowski, A. Grajewska, M. F. Wojciechowski & R. W. Hoshaw. 2001. Phylogeny of the conjugating green algae (Zygnemophyceae) based on rbcL sequences. J Phycol. 36:747–58. DOI: https://doi.org/10.1046/j.1529-8817.2000.99106.x

Mulderij, G., H. V. N. Egbert & E. V. Donk. 2006. Macrophyte–phytoplankton interactions: The relative importance of allelopathy versus other factors. Ecological Modelling. 204:85–82. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ecolmodel.2006.12.020

Oliveira, I. B. 2008. A família Desmidiaceae (Zygnematophyceae) exceto Staurastrum e Staurodesmus de duas Áreas de Proteção Ambiental, APA Rio Capivara e APA Lagoas de Guarajuba, município de Camaçari, Bahia, Brasil. 279 f. Dissertação de Mestrado (Botânica), Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Feira de Santana.

Oliveira, I. B. 2011. Zygnematophyceae (Streptophyta) da área de proteção ambiental Litoral Norte, Bahia, Brasil. 670 f. Tese de Doutorado (Botânica), Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Feira de Santana.

Oliveira, I. B., C. E. M. Bicudo & C. W. N. Moura. 2010. Contribuição ao conhecimento de Cosmarium Corda ex Ralfs (Desmidiaceae, Zygnematophyceae) para a Bahia e o Brasil. Hoehnea. 37: 571–600. DOI: https://doi.org/10.1590/S2236-89062010000300007

Oliveira, I. B., C. E. M. Bicudo & C. W. N. Moura. 2011. Euastrum (Desmidiaceae, Zygnematophyceae) na planície litorânea do norte da Bahia, Brasil. Sitientibus. 11: 62–73. DOI: http://dx.doi.org/10.13102/scb143

Oliveira, I. B., C. E. M. Bicudo & C. W. N. Moura. 2016. O gênero Staurastrum Meyen ex Ralfs (Zygnemaphyceae, Desmidiaceae) da Área de Proteção Ambiental (APA) Litoral Norte, Bahia, Brasil. Iheringia. 71: 230–256.

Oliveira, I. B., C. E. M. Bicudo & C. W. N. Moura. 2017. Novos registros de táxons dos gêneros Euastrum Ehrenb. ex Ralfs e Micrasterias C. Agardh ex Ralfs (Zygnematophyceae, Desmidiaceae) para a Bahia e o Brasil. Iheringia. 72: 295–313. DOI: https://doi.org/10.21826/2446-8231201772217

Parra, O. & C. E. M. Bicudo. 1996. Algas de aguas continentales: Introducción a la Biología y sistemática. 1 ed. Concepción, Ediciones Universidad de Concepción.

Prata, A. P. N., M. C. E. Amaral, M. C. V. Farias & M. V. Alves. 2013. Flora de Sergipe. 1 ed. Aracaju, Gráfica e Editora Triunfo.

Prescott, G. W. 1948. Desmids. Bot Rev. 14: 644–676.

Prescott, G. W., H. T. Croasdale, W. C. Vinyard & C. E. M. Bicudo. 1981. A synopsis of North American Desmids: Part II, Desmidiaceae: Placodermae, Section 2. 1 ed. Lincoln, University of Nebraska Press.

Ramos, G. J. P., M. A. Santos, I. B. Oliveira, C. E. M. Bicudo & C. W. N. Moura. 2020. Taxonomic and nomenclatural notes on five taxa of Cosmarium (Desmidiaceae, Zygnematophyceae) from Brazil. Notulae algarum. 146: 1-5.

Šastný, J. 2010. Desmids (Conjugatophyceae, Viridiplantae) from the Czech Republic, new and rare taxa, distribution, ecology. Fottea. 10: 1–74. DOI: https://doi.org/10.5507/fot.2010.001

Silva, S. R. V. F. & I. I. T. Cecy. 2004. Desmídias (Zygnemaphyceae) da área de abrangência da Usina Hidrelétrica de Salto Caxias, Paraná, Brasil, I: Gênero Cosmarium. Iheringia. 59: 13–26.

Semarh – Secretaria do Estado do Meio Ambiente e de Recursos Hídricos. 2020. Apoio a projetos em unidades de Conservação Estaduais. Available in: <http://www.semarh.se.gov.br/biodiversidade/?page_id=16>. Accessed in 14 jul. 2020.

Soares, M. C. S., M. G. Sophia & V. L. M. Huszar. 2007. Phytoplankton flora of two Rivers in Southeast Brazil-Paraibuna and Pomba Rivers, Minas Gerais. Rev Bras Bot. 30: 433–450. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-84042007000300009

Sophia, M. G. 1999. Desmídias de ambientes fitotélmicos bromelícolas. Rev Bras Biol. 59: 141–150.

Souza, K. F., S. Melo & F. F. Almeida. 2007. Desmids from flood plain lake of National Park Jaú (Amazonas-Brazil). Rev Bras Bioc. 5: 24–26.

Wehr, J. D. & R. G. Sheath. 2003. Freshwater Algae of North America: ecology and classification. 1 ed. New York, Academic Press.

Publicado
22-10-2020
Como Citar
Burle, E., Mota de Gondra, R., Batista de Oliveira, I., & Ibrahim Uehbe de Oliveira, M. (2020). Uma lagoa dunar e os primeiros registros de Desmidiaceae (Zygnematophyceae) em Sergipe, Brasil. Revista De Biologia Neotropical / Journal of Neotropical Biology, 17(2), First Online. Recuperado de https://www.revistas.ufg.br/RBN/article/view/64510