Biomarcadores bioquímicos em tilápias do nilo (Oreochromis niloticus Linnaeus, 1758) de diferentes pesos expostas a contaminantes

Palavras-chave: biomarcadores, contaminantes, enzimas, tilápia, peso

Resumo

Tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) de três grupos de peso diferentes (juvenis, adultos de menor e maior peso) foram expostas ao benzo[a]pireno (0,5 mg.L-1), cobre (0,5 mg.L-1), cádmio (0,5 mg.L-1) e diazinon (1,0 mg.L-1), por 72 h. A fim de determinar como os animais da mesma espécie respondem a tais contaminantes de acordo com o peso, foram analisados a glutationa-S-transferase, superoxido dismutase, catalase, glutationa peroxidase, acetilcolinesterase, carboxilesterase e níveis de peroxidação lipídica em fígado e brânquias. No grupo das juvenis a enzima catalase foi induzida pela exposição ao cobre nas brânquias, enquanto que os níveis de peroxidação lipídica foram baixos. Assim como a glutationa-S-transferase nas brânquias, a glutationa peroxidase no fígado também foram induzidas pela exposição ao diazinon nesse mesmo grupo. Nas brânquias do grupo dos adultos de menor peso, os níveis de peroxidação lipídica foram baixos para a exposição ao diazion, provavelmente pode estar relacionado com a inibição da carboxilesterase. No grupo dos adultos de maior peso não foi observado nenhum efeito adverso dos contaminantes, exceto para a exposição ao diazinon nas esterases. Desta forma, este estudo comprova que quando se utiliza tilápias nos biomonitoramentos é necessário considerar o peso, o tecido e a fase de desenvolvimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniele Silva, Universidade Federal de Mato Grosso, Faculdade de Engenharia

Possui graduação em Química Ambiental pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2009), com disciplinas cursadas na Universidad de Santiago de Compostela - Campus Santiago (2007), mestrado em Química pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2012) e doutorado em Ciências (Química Analítica e Inorgânica) pela Universidade de São Paulo (2015). Realizou doutorado sanduíche em Life Sciences Building - McMaster University (2014). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso. Tem experiência na área de Química Analítica Ambiental, com ênfase em Toxicologia Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: análise de poluentes e biomarcadores bioquímicos.

Lenard Serrano, Universidade Federal de Mato Grosso, Instituto de Ciências Exatas e da Terra

Possui graduação em Química Ambiental pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2009). Especialização em Perícia, Auditoria e Gestão Ambiental (2014) e em Perícia Criminal (2015). Atualmente é Perito Oficial Criminal - Pericia Oficial e Identificação Técnica de MT.

Eduardo Alves de Almeida, Fundação Universidade Regional de Blumenau

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998) e doutorado em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela Universidade de São Paulo (2003). Realizou estágio de pós-doutoramento na Universidad de Córdoba, Espanha (2004), na área de toxicologia ambiental, e no CSIC de Barcelona (2013). Possui título de livre docente em Bioquímica (2015) pela UNESP. Atualmente é professor efetivo da Fundação Universidade Regional de Blumenau. Tem experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Toxicologia Ambiental. Atua também na área de Bioquímica/Fisiologia de doenças humanas, com ênfase no estudo do estresse oxidativo na Doença Falciforme.

Referências

Abdelkhalek, N. K. M., E. W. Ghazy & M. M. Abdel-Daim. 2015. Pharmacodynamic interaction of Spirulina platensis and deltamethrin in freshwater fish Nile tilapia, Oreochromis niloticus: impact on lipid peroxidation and oxidative stress. Environ. Sci. Pollut. Res. 22: 3023–3031. DOI: https://doi.org/10.1007/s11356-014-3578-0

Ahmad, I., M. Pacheco & M. A. Santos. 2004. Enzymatic and nonenzymatic antioxidants as an adaptation to phagocyte-induced damage in Anguilla anguilla L. following in situ harbor water exposure. Ecotoxicol. Environ. Saf. 53: 290-302. DOI: https://doi.org/10.1016/S0147-6513(03)00080-0

Almeida, E. A., S. D. E. A. Marques, C. F. Klitzke, A. C. Bainy, M. H. De Medeiros, P. Di Mascio & A. P. Loureiro. 2003. DNA damage in digestive gland and mantle tissue of the mussel Perna perna. Comp. Biochem. Physiol. C Toxicol. Pharmacol. 135: 295-303. DOI: https://doi.org/10.1016/s1532-0456(03)00117-0

Almeida, E. A., S. Miyamoto, A. C. Bainy, M. H. De Medeiros & P. Di Mascio. 2004. Protective effect of phospholipid hydroperoxide glutathione peroxidase (PHGPx) against lipid peroxidation in mussels Perna perna exposed to different metals. Mar. Pollut. Bull. 49: 386-92. DOI: https://doi.org/10.1016/j.marpolbul.2004.02.020

Almeida, J. A., R. E. Barreto, E. L. B. Novelli, F. J. Castro & S. E. Moron. 2009. Oxidative stress biomarkers and aggressive behavior in fish exposed to aquatic cadmium contamination. Neotrop. Ichthyol. 7: 103-108. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1679-62252009000100013

Atli, G. & M. Canli. 2007. Enzymatic responses to metal exposures in a freshwater fish Oreochromis niloticus. Comp. Biochem. Physiol. C Toxicol. Pharmacol. 145: 282-287. DOI: https://doi.org/10.1016/j.cbpc.2006.12.012

Atli, G. & M. Canli. 2010. Response of antioxidant system of freshwater fish Oreochromis niloticus to acute and chronic metal (Cd, Cu, Cr, Zn, Fe) exposures. Ecotoxicol. Environ. Saf. 73: 1884-1889. DOI: http://doi.org/10.1016/j.ecoenv.2010.09.005

Banni, M., A. Negri, A. Dagnino, J. Jebali, S. Ameur & H. Boussetta. 2010. Acute effects of benzo[a]pyrene on digestive gland enzymatic biomarkers and DNA damage on mussel Mytilus galloprovincialis. Ecotoxicol. Environ. Saf. 73: 842–848. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ecoenv.2009.12.032

Barron, M. G., K. A. Charron, W. T. Stott & S. E. Duvall. 1999. Tissue carboxylesterase activity of rainbow trout. Environ. Toxicol. Chem. 18: 2506-2511. DOI: https://doi.org/10.1002/etc.5620181117

Beutler, E. 1975. Red Cell Metabolism: A manual of biochemical methods. New York, Grune & Stratton.

Bouraoui, Z., M. Banni, J. Ghedira, C. Clerandeau, J. F. Narbonne & H. Boussetta. 2009. Evaluation of enzymatic biomarkers and lipoperoxidation level in Hediste diversicolor exposed to copper and benzo[a]pyrene. Ecotoxicol. Environ. Saf. 72: 1893–1898. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ecoenv.2009.05.011

Bradford, M. M. 1976. Rapid and sensitive method for quantitation of microgram quantities of protein utilizing principles of protein-dye binding. Anal. Biochem. 72: 248-254. DOI: https://doi.org/10.1016/0003-2697(76)90527-3

Cajaraville, M. P., M. J. Bebianno, J. Blasco, C. Porte, C. Sarasquete & A. Viarengo. 2000. The use of biomarkers to assess the impact of pollution in coastal environments of the Iberian Peninsula: a practical approach. Sci. Total Environ. 247: 295-311. DOI: https://doi.org/10.1016/s0048-9697(99)00499-4

Caldas, L. Q. A. 2000. Intoxicações exógenas agudas por carbamatos, organofosforados, compostos bipiridílicos e piretróides. Rio de Janeiro, Centro de controle de intoxicações de Niterói.

Publicado
03-11-2020
Como Citar
Silva, D., Serrano, L., & Alves de Almeida, E. (2020). Biomarcadores bioquímicos em tilápias do nilo (Oreochromis niloticus Linnaeus, 1758) de diferentes pesos expostas a contaminantes. Revista De Biologia Neotropical / Journal of Neotropical Biology, 17(2), 145­-156. https://doi.org/10.5216/rbn.v17i2.63433