[1]
T. J. Borges, “Da subjetividade do eu à objetividade do nós: uma breve reflexão acerca dos limites e pretensões da objetividade na historiografia contemporânea”, OPSIS, vol. 16, nº 2, p. 379–391, nov. 2016.