Pedreira das Almas de Jorge Andrade e Alberto D’aversa: Cinquenta anos de criação dramatúrgica e transposição cênica DOI10.5216/o.v9i12.9440

Autores

  • Luiz Humberto Martins Arantes Universidade Federal de Goiás - Campus Catalão

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v9i12.9440

Resumo

Este artigo realiza um estudo acerca da transposição entre texto e cena teatral, para isto propõe-se a percorrer os caminhos que levaram o dramaturgo Jorge Andrade a escrever a peça Pedreira das Almas, em 1958, e o diretor Alberto D`Aversa a dirigir, no mesmo ano, um espetáculo homônimo. A pesquisa do processo de criação e transposição de ambos permitirá entender como uma peça escrita, tendo como inspiração a cidade de São Tomé das Letras/MG, foi apropriada e resignificada pelo moderno teatro paulista, que naquele período emergia como novidade. Palavra-Chave: Dramaturgia; Transposição; Teatro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Humberto Martins Arantes, Universidade Federal de Goiás - Campus Catalão

Doutor, professor adjunto do curso de Teatro e das Pós-Graduações em Teoria Literária e Artes da Universidade Federal de Uberlândia UFU/ FAPEMIG.

Downloads

Publicado

01-04-2010

Como Citar

Arantes, L. H. M. (2010). Pedreira das Almas de Jorge Andrade e Alberto D’aversa: Cinquenta anos de criação dramatúrgica e transposição cênica DOI10.5216/o.v9i12.9440. OPSIS, 9(12), 82–93. https://doi.org/10.5216/o.v9i12.9440

Edição

Seção

Dossiê Cultura e representação