A morte e e morte de Tancredo Neves: Controlando muitas vidas através de uma morte DOI10.5216/o.v8i11.9363

Autores

  • Miriam Bianca Amaral Ribeiro Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v8i11.9363

Resumo

Como a apropriação da morte pelos jogos do poder pode transformar um evento que, biologicamente nos iguala, em um diferenciador eficiente entre os que estão vivos? Como a vida social pode ser influenciada pela forma com que edita o processo doença, morte, enterro? Neste texto, discutimos essas questões tendo como referência o episódio da morte de Tancredo Neves, em 1985, no contexto do fim da ditadura civil-militar de 1964, no Brasil. Usamos como fonte a documentação da imprensa nacional e local produzida naquele período. Palavras-chave: morte, poder, imprensa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Miriam Bianca Amaral Ribeiro, Universidade Federal de Goiás

Professora da Faculdade de Educação da UFG, doutoranda em História pela UFG, pesquisa História Regional e Ensino de História.

Downloads

Publicado

28-03-2010

Como Citar

Ribeiro, M. B. A. (2010). A morte e e morte de Tancredo Neves: Controlando muitas vidas através de uma morte DOI10.5216/o.v8i11.9363. OPSIS, 8(11), 240–257. https://doi.org/10.5216/o.v8i11.9363