A casa: Lugar de afagos e de conflitos DOI10.5216/o.v8i11.9355

Autores

  • Pedro Vilarinho Castelo Branco Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v8i11.9355

Resumo

Este artigo analisa a produção discursiva de um grupo de escritores piauienses que, nas primeiras décadas do século XX, utilizam a literatura como estratégia de ação para prescrever à sociedade novas formas de perceber e vivenciar as relações familiares e o espaço da casa. O principal argumento se organiza em torno da idéia de que esta produção discursiva buscava oferecer parâmetros culturais que favorecessem o rompimento com práticas culturais tradicionais, que apontavam para certa indistinção entre os espaços públicos e privados Palavras-chaves: espaços privados, afetos, literatos. Abstract: This study analyses the writings of a group of authors from the state of Piauí who, in the first decade of the 20th century, used literature as a strategy for prescribing to society new ways of perceiving and experiencing family relationship within the home. The main argument is organized around the idea that these writings aimed to offer cultural parameters that favored on the one hand a break with traditional cultural practices, which maintained a certain lack of distinction between public and private spaces. Keywords: private spaces, affection, writers.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Vilarinho Castelo Branco, Universidade Federal do Piauí

Doutor em História, membro permanente do Programa de Pós-Graduação em História da UFPI, Tutor do PET- História, autor do livro Mulheres plurais, publicado pela editora Bagaço do Recife. Publicou artigos em periódicos especializados como a Revista História Unisinos, Revista História Hoje da ANPUH, Caminhos da história - UNIMONTES e Opsis. É co-líder do Grupo de pesquisa “História,Cultura e Subjetividade” do CNPQ.

Downloads

Publicado

28-03-2010

Como Citar

Castelo Branco, P. V. (2010). A casa: Lugar de afagos e de conflitos DOI10.5216/o.v8i11.9355. OPSIS, 8(11), 77–93. https://doi.org/10.5216/o.v8i11.9355

Edição

Seção

Dossiê História e Sensibilidades