Participação on-line no Governo Federal

um estudo da plataforma Dialoga Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v21i2.62896

Resumo

Este artigo investiga como a internet foi usada no governo Dilma como meio de participação da sociedade na proposição de políticas públicas, tendo como estudo de caso a plataforma Dialoga Brasil. Analisou-se se o funcionamento da plataforma respeitou os requisitos e princípios que as correntes participativas da teoria democrática preconizam. A hipótese era a de que a forma como o projeto foi executado inviabilizou uma prática efetivamente democrática quando confrontada com os atributos participativos prescritos na literatura. Para testá-la, elaborou-se uma ficha composta de 18 indicadores em três aspectos de análise (navegabilidade, estrutura comunicacional e recursos democráticos), inspirada nas metodologias de Janssen e Kies (2005), Bragatto (2005) e Silva (2011). Após a análise, conclui-se que a Dialoga Brasil apresentou limitações quando investigada à luz dos preceitos dos modelos participativos e deliberativo de democracia, o que corroborou a hipótese apresentada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Barbalho, UECE

Professor dos PPgs em Sociologia e em Politicas Públicas e Sociedade da UECE e em Comunicação da UFC. Líder do Grupo de Pesquisa em Políticas de Cultura e de Comunicação (CULT.COM).

Marília Cordeiro, Universidade Estadual do Ceará

Jornalista e mestra em Sociologia pela Universidade Estadual do Ceará

Downloads

Publicado

2021-05-15

Como Citar

BARBALHO, A.; CORDEIRO, M. . Participação on-line no Governo Federal: um estudo da plataforma Dialoga Brasil. OPSIS, Goiânia, v. 20, n. 2, p. 1–12, 2021. DOI: 10.5216/o.v21i2.62896. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/Opsis/article/view/62896. Acesso em: 20 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos