Dor, futebol e relações de poder: analisando Consensos, revelando conflitos.

  • Leonardo Turchi Pacheco universidade Federal de Alfenas
  • César Teixeira Castilho Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Dor, Futebol, Relações de poder.

Resumo

O objetivo desse artigo é o de refletir sobre as narrativas da medicina e fisioterapia esportiva para dar sentido a dores e lesões nos corpos de atletas de futebol. Para tal realizamos a analise de dois Consensos e um Protocolo – Consensos de Doha e Munique, e do protocolo FIFA11+ – os quais fomos apresentados em uma palestra de fisioterapeutas esportivos de um grande time de futebol da capital paulista. Fundamentados nesses documentos e nos dados coletados na palestra exploramos as relações de poder e os conflitos entre alguns atores do campo esportivo na tentativa de propor uma classificação e uma sensação legitima de dor e de lesão nos corpos dos atletas. Concluímos que, através da linguagem legitima e autorizada, os discursos sobre a dor e a lesão adquirem um estatuto de verdade, enquadrando os atletas a experimentarem sua condição de sujeito, quando lesionados, em uma das categorias construídas pelos consensos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Turchi Pacheco, universidade Federal de Alfenas
Professor Adjunto do instituto de Ciências Humanas e Letras da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG). Doutor em História Social da Cultura pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestre em Sociologia da Cultura pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Bacharel em Ciências Sociais com ênfase em Antropologia pela Universidade Federal de MInas Gerais (UFMG). Tem experiência nas áreas de Antropologia e História. Trabalha com os seguintes temas: masculinidade, envelhecimento, esporte, juventude, corporalidade, identidade, relação de gênero e violência de gênero.
César Teixeira Castilho, Universidade Federal de Minas Gerais
Pos-Doutorando em Estudos do Lazer - UFMGDoutorado em "Sciences du Sport e du Mouvement Humain" - Université de Paris-Sud (Paris 11)Mestrado em Estudos do Lazer - UFMGGraduação em Ed. Física - UFMG

Referências

BITENCOURT, Fernando. Dor e corpo no Futebol: uma etnografia do mundo vivido em um centro de treinamento de um clube brasileiro. Esporte e Sociedade. ano 10, nº26, setembro. pp 1-21, 2015.

BIZZINI, Mario, JUNGE, Astrid e DVORAK, Jiri. FIFA 11+. A complete warm-up programme to prevent injuries. Official Publication of the Féderation Internationale de football Association (FIFA), Zurich, Switzerland, 2011

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas linguísticas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

CARVALHO, Yara M. O “Mito” da atividade física e saúde. São Paulo: Editora Hucitec, 1995.

CORBIN, Alan, COURTINE, Jean-Jacques e VIGARELLO, Georges. História do Corpo: As mutações do olhar. O século XX. São Paulo: Editora Vozes, 2008.

DOUGLAS, Mary. Natural Symbols. New York: Routledge, 2007.

DOUGLAS, Mary. Pureza e Perigo. Lisboa: Edições 70, s/data.

DURKEIM, Emile e MAUSS, Marcel. Algumas formas primitivas de classificação. In: MAUSS, M. Ensaios de Sociologia. São Paulo: Perspectiva, 2005. p. 359-456.

FIGUERÓ, João Augusto. A dor. São Paulo. PubliFolha, 2000.

FOUCAULT, Michel. Naissance de la Clinique. Paris: Presses Universitaires de France, 1972.

HERTZ, Robert. The pre-eminence of the right hand: a study in religious polarity. In: LOCK, M. and FARQUHAR, J. (Ed.). Beyond the body proper. London: Duke University Press, 2007. p. 30-40.

LE BRETON, David. Antropologia da dor. São Paulo: Editora FAP-UNIFESP, 2013.

MULLER-WOHLFART, Hans Wilhelm, HAENSEL, Lutz, MITHOEFER, Kai., et al. 2013. Terminology and classification of muscle injuries in sport: The Munich consensus statement. Br J Sports Med; 47, p. 342-350, 2013.

ORTEGA, Francisco e ZORZANELLI, Rafaela. Corpo em evidência: A ciência e a redefinição do humano. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 2010.

PACHECO, Leonardo Turchi. Norbert Elias e Michel Foucault: diálogos sobre poder e sexualidade. Caderno Espaço Feminino. V.21 (1), p. 255-267, 2009.

RABINOW, Paul. Antropologia da Razão. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999.

RODERICK, Martin, WADDINGTON, Ivan e PARKER, Graham. Playing Hurt: managing injuries in England Professional Football. International Review for the Sociology of Sport. 35/2, p.165-180, 2000.

SIMSON, Vyv e JENNINGS, Andrew. Los Señores de los Anillos. Bogotá: Grupo Editorial Norma, 1992.

STRAIN, Jeremy, DIDEHBANI, Nyaz, CULLUM, Munro; et al. Depressive symptons and white matter dysfunction in retired NFL players with concussion history. Neurology 81(1), p. 25-32, 2013.

TURNER, Bryan. Corpo e sociedade. São Paulo: Ideias & Letras, 2014.

WADDINGTON, Ivan. Ethical problems in the medical management of sports injuries. In: LOLAND, S., SKIRSTAD, B. and WADDINGTON, I. (Ed.).Pain and injury in sport. New York: Routledge Taylor & Francis, 2006. p.182-199.

WEIR, Adam, BRUKNER, Peter, DELAHUNT, Eamonn., et al. Doha agreement meeting on terminology and definitions in groin pain. Br J Sports Med, 49, p. 768-774, 2015.

WHITE, Philip, YOUNG, Kevin and MCTEER, Willian. Sport, masculinity and the injured body. In: SABO, D. and GORDON, D. (Ed.) Men’s health and illness. London: Sage Publications, 1995. p. 158-182.

Publicado
19-11-2018
Como Citar
Pacheco, L., & Castilho, C. (2018). Dor, futebol e relações de poder: analisando Consensos, revelando conflitos. OPSIS, 18(2). https://doi.org/10.5216/o.v18i2.51341
Seção
Dossiê: O Mundo do Trabalho na Sociedade Contemporânea