ESCRAVIDÃO E VIOLÊNCIA: CRIMES COMETIDOS POR ESCRAVIZADOS NO INTERIOR DE ALAGOAS NO FINAL DO XIX EM UMA PERSPECTIVA DA PRÁTICA DE JAGUNCISMO

  • Fábio Francisco de Almeida Castilho Instituto Federal de Alagoas - IFAL
Palavras-chave: Escravidão, Periódicos, Alagoas

Resumo

O presente texto tem por objetivo analisar a representação escrava nos periódicos alagoanos no período final do escravismo, em especial, as notícias encontradas em O Jornal de Penedo, que repercutiam a ocorrência de três crimes de tentativa de assassinato praticados por cativos naquela freguesia no ano de 1875. Ao nos debruçarmos sobre este mote encontramos informações relevantes do período de crise do escravismo no país tomando por recorte espacial o interior de Alagoas. A cidade de Penedo, localizada às margens do Rio São Francisco teve seu desenvolvimento econômico impulsionado pela navegação a vapor que conectava o seu porto fluvial aos principais portos oceânicos da época, reforçando sua posição de entreposto comercial entre o interior do Rio São Francisco e o comércio de cabotagem nacional em um contexto de intensificação do tráfico interprovincial na segunda metade do XIX. Com a análise dos crimes violentos e fugas relatados nos periódicos buscamos compreender o papel dos escravizados naquela sociedade e suas formas de busca por autonomia e estratégias de negociações, vislumbrando o papel do cativo enquanto sujeito histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Francisco de Almeida Castilho, Instituto Federal de Alagoas - IFAL
Possui graduação em História pela Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ), mestrado em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), doutorado em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) e Pós-doutorado em História pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA/USP). Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Império e Primeira República, atuando principalmente nos seguintes temas: republicanismo, elites políticas, culturas políticas, relações entre História e Literatura e transição da mão de obra.

Referências

ANDRADE, Marcos Ferreira de. Família, fortuna e poder no império do Brasil: Minas Gerais, Campanha da Princesa (1799-1850). 2005. Tese de Doutorado. Tese de doutorado, Universidade Federal Fluminense.

AZEVEDO, Celia Maria Marinho. Onda negra, medo branco: o negro no imaginário das elites--século XIX. Annablume, 1988.

CANDIDO, Antonio. Jagunços mineiros de Cláudio a Guimarães Rosa. Vários escritos, v. 3, p. 147-179, 1970.

CHALHOUB, Sidney. Visões da liberdade: uma história das últimas décadas da escravidão na Corte. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

FLORENTINO, Manolo; GÓES, José Roberto. A paz das senzalas. Civilização brasileira, 1997.

GOMES, Flávio dos Santos. Experiências atlânticas: ensaios e pesquisas sobre a escravidão e o pós-emancipação no Brasil. Passo Fundo: UPF, 2003.

JOFFILY, Geraldo Irenêo. o quebra-quilo. A revolta dos matutos contra os doutores (1874). Revista de História, v. 54, n. 107, p. 69-145, 2015.

LARA, Sílvia Hunold. Escravidão no Brasil: um balanço historiográfico. LPH-Revista de História, v. 3, n. 1, p. 215-44, 1992.

MATTOS, Hebe Maria. Das cores do silêncio. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

MATTOSO, Kátia. Ser escravo no Brasil, trad. James Amado, São Paulo, Brasiliense, 1990.

MELO, Jose Marques. Jornalismo opinativo: gêneros opinativos no jornalismo brasileiro. Mantiqueira, 2003.

PALHA, Cássia L. Mídia e participação política: a pedagogia da desmobilização popular. Niterói: dissertação de mestrado. 2000.

REIS, João José; SILVA, Eduardo. Negociação e conflito: a resistência negra no Brasil escravista. São Paulo: Companhia das letras, 1989.

TAVARES, Cleidson Sorrentino. O Último enforcamento no Brasil: do escravo. SD.

TEIXEIRA, Luana. Vapores e escravos no Penedo, Alagoas, na década de 1850. Sæculum–Revista de História, n. 34, p. 123-142, 2016.

Publicado
19-11-2018
Como Citar
Castilho, F. (2018). ESCRAVIDÃO E VIOLÊNCIA: CRIMES COMETIDOS POR ESCRAVIZADOS NO INTERIOR DE ALAGOAS NO FINAL DO XIX EM UMA PERSPECTIVA DA PRÁTICA DE JAGUNCISMO. OPSIS, 18(2). https://doi.org/10.5216/o.v18i2.48731