E. P. Thompson, a New Left e a dialética da liberdade/necessidade histórica

  • Eduardo Henrique Barbosa de Vasconcelos Professor efetivo da Universidade Estadual de Goiás - UEG http://orcid.org/0000-0001-9163-1446
  • Ruben Maciel Franklin Professor efetivo de História da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - Unilab

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar as inquietações que atravessaram o pensamento o historiador inglês Edward Palmer Thopson, abrindo um diálogo bibliográfico com autores que nos possibilitem debater como determinados temas foram trabalhados e discutidos por E. P. Thompson. Nesse sentido, os temas: determinação social, cultura & antropologia, “elitismo intelectual” e questões pertinentes ao materialismo histórico marxiano. No entrecruzamento dessa gama de preocupações, circunscrevemos a coerência interna da obra “thompsoniana” num intervalo grande de tempo (entre os textos da The New Reasoner os da década de 1970), com frentes de contestação que transitaram do stalinismo para o estruturalismo, assumindo posições consistentes quanto a pesquisa histórica e aos procedimentos do historiador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Henrique Barbosa de Vasconcelos, Professor efetivo da Universidade Estadual de Goiás - UEG
Graduado em História pela Universidade Federal do Ceará - UFC; Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde da Fundação Oswaldo Cruz - Fiocruz/RJ; Doutorando em História pela Universidade Federal do Rio grande do Sul - UFRGS; Professor de História da Universidade Estadual de Goiás - UEG
Ruben Maciel Franklin, Professor efetivo de História da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - Unilab
Graduado em História pela Universidade Federal do Ceará - UFC; Mestre em História pela UFC; Doutorando em História pela Universidade Federal Fluminense - UFF; Professor de História da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - Unilab

Referências

BENSAÏD, Daniel. Marx, o Intempestivo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

CARDOSO, Ciro Flamarion. The Group e os estudos culturais britânicos: Edward P. Thompson em contexto. In: DUARTE, Adriano Luiz; MÜLLER, Ricardo Gaspar (ogs). E. P. Thompson: Política e Paixão. Chapecó: Argos, 2015.

CEVASCO, Maria Elisa. Para ler Raymond Williams. São Paulo, Paz e Terra, 2001

CHUN, Lin. The British New Left. Edinburgh University Press, 1993.

COSTA, Emília Viotti. A dialética invertida: 1960-1990. In: Revista Brasileira de História. Brasil: 1954-1964. São Paulo: ANPUH/Marco Zero, v.14, n.27, p. 9-26, 1994.

FONTANA, Josep. A história dos homens. Bauru: EDUSC, 2004.

GINZBURG, Carlo. O queijo e os vermes: o cotidiano e as idéias de um moleiro perseguido pela inquisição. São Paulo: companhia das Letras, 1987.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a Organização da Cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

HOBSBAWM, Eric. O que os historiadores devem a Karl Marx? In: Sobre História. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

LEITE, José Corrêa. Resenha. BENSAÏD, Daniel. Marx, o Intempestivo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999. In: Em Tempo, outubro de 1999.

LÖWY, Michael. A teoria da Revolução no Jovem Marx. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

MARX, Karl. O 18 de Brumário de Louis Bonaparte. In: A revolução antes da revolução. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

______. Contribuição à crítica da economia política. Tradução e introdução de Florestan Fernandes. 2 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

______. O Capital: Crítica da Economia Política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008. (Livro I, volume 2, Capítulo XXIV - A chamada acumulação primitiva)

SAHLINS, Marshall. Cultura e Razão Prática. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003.

SEARBY, Peter; RULE, John & MALCOLMSOM, Robert. “Edward Thompson as a teacher: Yorkshire and Warwick”. In RULE, John & MALCOLMSOM, Robert (eds.), Protest and survival. Essays for E. P.Thompson. London: The Merlin Press, 1993.

THOMPSON, Duncan. Pessimism of the intellect? A history of New Left Review. Merlin Press, 2007.

THOMPSON, E. P. Socialist Humanism. An Epistle to the Philistines. In: The New Reasoner, vol. 1, num. 1, Summer, 1957.

______. “E. P. Thompson: recovering the libertarian tradition”. In: The Leveller, nº 22, jan. 1979a.

______. “Una entrevista”. In: Tradición, revuelta y consciencia de clase. Estudios sobre La crisis de La sociedad preindustrial, Barcelona, Crítica, 1979b.

______. A Miséria da teoria ou o planetário de erros. Uma crítica ao pensamento de Althusser. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

______. A Formação da Classe Operária Inglesa, "A árvore da liberdade", vol. I, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987a.

______. A Formação da Classe Operária Inglesa, "A maldição de Adão", vol. II, Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987b.

______. Educação e Experiência. In: Os românticos, a Inglaterra na era das revoluções. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

______. Costumes em Comum. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

______. Agenda para una historia radical. Barcelona: Crítica, 2000.

______. Folclore, Antropologia e História Social. In: As Peculiaridades dos Ingleses e outros artigos. Campinas,SP: Ed. UNICAMP, 2001.

______. William Morris: Romantic to Revolutionay. California: Stanford University Press, 1988 [1955].

______. Witness Against the Beast: William Blake and the moral law. Cambridge: Cambridge University Press, 1993.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e Literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

WOOD, Ellen Meiksins. A origem do capitalismo. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 2001.

Publicado
30-12-2019
Como Citar
Vasconcelos, E. H. B. de, & Franklin, R. M. (2019). E. P. Thompson, a New Left e a dialética da liberdade/necessidade histórica. OPSIS, 19(2), 1-15. https://doi.org/10.5216/o.v19i2.47942
Seção
Artigos