Expressões da liberdade e do seu cerceamento na poesia de Charles d’Orléans (1394-1465)

Autores

  • Marcella Lopes Guimarães Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v18i1.47364

Palavras-chave:

Charles d’Orléans, liberdade, prisão, poesia.

Resumo

Charles d’Orléans era filho de Luís d’Orléans e Valentina Visconti, sobrinho do rei Carlos VI de França. Muito cedo, foi convocado ao proscênio do cenário político da época, na vingança contra o assassinato de seu pai (em 1407). Entretanto, o evento mais marcante de sua vida seria vivenciado a partir da Batalha de Azincourt (1415), quando foi feito prisioneiro. O poeta viveria 25 anos no cativeiro. A condição de cativo para um nobre na Idade Média era bastante variada. Há momentos em que era tratado como um hóspede e, em outros, as condições eram menos simpáticas. Sabemos, porém, que o Duque de Orléans pôde se dedicar à leitura e à escrita no período. Essa comunicação tem por objetivo analisar as expressões poéticas da liberdade e do seu cerceamento a partir de dois poemas: La Retenue d’Amour, de antes da experiência da prisão, em 1414, e Songe en complainte, de 1437, bem como propor uma tradução das obras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcella Lopes Guimarães, Universidade Federal do Paraná

Profa. Dra. Associada I de História Medieval da Universidade Federal do Paraná.

Referências

BARKER, Juliet. Agincourt. O rei. A Campanha. A Batalha. Rio de Janeiro: São Paulo: Ed. Record, 2009.

BAUDELAIRE, Charles. Sobre a modernidade. São Paulo: Paz e terra, 1997.

BEAUFILS, Constant. Étude sur l avie et les poésies de Charles d’Orléans. Paris: Durant, 1861. Disponível em: https://archive.org/stream/tudesurlavieetl00beaugoog#page/n14/mode/2up acesso em 19 de julho de 2016).

BOUÉ, Pilar Andrade. Quelques aspects de la Merencolie de Charles d’Orléans. Thélème. Revista Complutense de Estudios Franceses. 2000. 15 : 167-177. Disponível em http://revistas.ucm.es/index.php/THEL/article/view/THEL0000110167A/33642 (acesso em 19 de julho de 2016)

CHAMPION, Pierre. Vie de Charles d’Orléans. Paris: Honoré Champion Éditeur, 1911. p. 186. Disponível em: https://archive.org/stream/viedecharlesdorl00cham#page/n13/mode/2up acesso em 23 de julho de 2016.

Galderisi, Claudio. Charles d’Orléans et l’autre langue: ce français que son ‘cuer amer doit’ in ARN, Mary-Jo. Charles d’Orléans in England (1415-1440). Cambridge: D. S. Brewer, 2000.

OLIVEIRA, Jelson, GUIMARÃES, Marcella Lopes. Diálogo sobre o tempo: entre a Filosofia e a História. Curitiba: PUCPRess, 2015.

ORLÉANS, Charles d’. Ballades et Rondeaux. Édition du manuscrit 25458 du fonds français de la Bibliothèque Nationale de Paris, traduction, présentation et notes de Jan-Claude Mühlethaler. Paris: Librairie générale française, 1992. Lettres Gothiques. Le Livre de Poche.

------. Le livre d’amis: poésies à la cour de Blois (1440-1465). Ed. bilingue. Publication, traduction, présentation et notes par Virginie Minet-Mahy et Jean-Claude Mühlethaler. Paris: Champion Classiques. Honoré Champion, 2010.

PROUST, Marcel. O Caminho de Germantes (8ª ed.). Rio de Janeiro: Globo, 1988.

Downloads

Publicado

09-05-2018

Como Citar

Guimarães, M. L. (2018). Expressões da liberdade e do seu cerceamento na poesia de Charles d’Orléans (1394-1465). OPSIS, 18(1), 129–141. https://doi.org/10.5216/o.v18i1.47364

Edição

Seção

Dossiê: Os Usos da Memória: Representações do Passado nas Fontes Medievais