O paradoxo do colonialismo e a desidentificação

Autores

  • Rubens Freitas Benevides Universidade Federal de Goiás/Campus de Catalão

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v16i2.37079

Palavras-chave:

paradoxo do colonialismo, desidentificação, constelação, imagem dialética, cibercultura

Resumo

O texto que se segue, mais teórico que empírico, pretende expor o momento histórico no Brasil como marcado pelo que denominamos paradoxo do colonialismo. Este se constitui como o limite do processo evolutivo da sociedade brasileira e é contraposto por processos de desidentificação que ao aparecerem o fazem conforme uma “imagem dialética”. Esta categoria benjaminiana é parte da proposta do texto de contribuição para uma fundamentação do procedimento crítico nas Ciências Sociais que tem como base abrir as disciplinas para as “séries temporais heterogêneas”; para os menores indícios de formas de ruptura com a continuidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rubens Freitas Benevides, Universidade Federal de Goiás/Campus de Catalão

Doutor em Sociologia pela UNB. Professor Adjunto II da UFG

Downloads

Publicado

04-11-2016

Como Citar

Benevides, R. F. (2016). O paradoxo do colonialismo e a desidentificação. OPSIS, 16(2), 410–429. https://doi.org/10.5216/o.v16i2.37079

Edição

Seção

Dossiê Descolonizar as Ciências Humanas: campos de pesquisas, desafios analíticos e resistências Parte 2