Os sentidos da descolonização: uma análise a partir de Moçambique

Autores

  • Maria Paula Meneses Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v16i1.36904

Palavras-chave:

África, descolonização, democratização da história, epistemologias do Sul, diálogos interculturais

Resumo

Este artigo procura, a partir de uma análise multidisciplinar, problematizar os sentidos da descolonização a partir do estudo da produção de conhecimento em Moçambique, à luz das epistemologias do Sul, conceito avançado por Boaventura de Sousa Santos. O texto problematiza a dimensão epistémica do colonialismo moderno, mostrando como a imagem predominante do continente africano, parte do Sul global, é ainda reflexo de representações forjadas no centro de um saber de matriz eurocêntrica, que reforçam a permanência das perspetivas do Norte sobre o Sul. Como o artigo discute, descolonizar o conhecimento passa por uma revisão crítica de conceitos centrais, como o são o espaço e o tempo, hegemonicamente definidos pela racionalidade moderna – estrutura de saber que legitima a expansão do projeto civilizacional moderno ocidental no mundo. No campo ontológico, a descolonização passa pela renegociação das definições do ser e dos seus sentidos, aliando a democratização à descolonização. Este desafio epistémico contesta o privilégio epistémico do Norte global, abrindo o mundo a outros saberes, narrativas e lutas, contadas a múltiplas vozes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Paula Meneses, Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra

MARIA PAULA MENESES é investigadora coordenadora do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, integrando o núcleo de estudos sobre Democracia, Cidadania e Direito (DECIDe). É doutorada em antropologia pela Universidade de Rutgers (EUA) e Mestre em História pela Universidade de S. Petersburgo (Rússia). É também membro do Centro de Estudos Sociais Aquino de Bragança, em Moçambique. Anteriormente foi Professora da Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique). Leciona em vários programas de doutoramento do CES, sendo cocoordenadora do programa de doutoramento em 'Pós-colonialismos e cidadania global'. Tem inúmeros trabalhos publicados em vários contextos, incluindo temas como os debates pós-coloniais, o pluralismo jurídico - com especial ênfase para as relações entre o Estado e as 'autoridades tradicionais' no contexto africano, e o papel da história oficial, da memória e das ´outras´ histórias no resgate de um sentido mais amplo de pertença no campo dos processos identitários contemporâneos.

Downloads

Publicado

23-08-2016

Como Citar

Meneses, M. P. (2016). Os sentidos da descolonização: uma análise a partir de Moçambique. OPSIS, 16(1), 26–44. https://doi.org/10.5216/o.v16i1.36904

Edição

Seção

Dossiê Descolonizar as Ciências Humanas: campos de pesquisas, desafios analíticos e resistências Parte 1