Patrimônio cultural e ensino de História: experiências na formação de professores DOI10.5216/o.v15i1.34720

  • Carmem Zeli de Vargas Gil Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS,
  • Caroline Pacievitch Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS,
Palavras-chave: Formação de professores, Patrimônio e educação, Ensino de história

Resumo

Este artigo tem por objeto as relações entre formação de professores de história, patrimônio cultural e ensino de história, a partir de experiências realizadas na disciplina de Estágio de Docência em História III – Educação Patrimonial, no curso de Licenciatura em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Trata-se de reflexões sobre aulas desenvolvidas em espaços da cidade, compreendendo que o ensino de história pode ocorrer em diversos contextos e de diferentes formas. As escolhas teóricas sobre formação de professores estão ancoradas em Antonio Nóvoa e Joan Pagès, que nos instigam a buscar novos espaços e tempos para a aprendizagem dos futuros professores. Para esta comunicação, optamos em discutir uma dessas experiências desenvolvida em um bistrô-antiquário de Porto Alegre. O tema foi memória, patrimônio e objeto gerador, pautado nos seguintes objetivos: discutir os objetos como evocadores de memórias e dialogar com os conceitos estudados nos textos de referência, de Francisco Régis Lopes e Ecléa Bosi. A experiência permitiu avaliar as potencialidades dos espaços da cidade que ajudam a problematizar temas relevantes do currículo da história na Educação Básica. Portanto, é fundamental proporcionar aos licenciandos vivências com esses elementos, que acompanhadas das contribuições de pensadores, podem se transformar em conhecimentos que fundamentem práticas futuras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carmem Zeli de Vargas Gil, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS,
Docente da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação. Doutora em Educação.

Referências

ANSART, Pierre. História e Memória dos Ressentimentos. In: BRESCIANI, Stella; NAXARA, Márcia. Memória e (res)sentimento: indagações sobre uma questão sensível. Campinas: Editora da Unicamp, 2004, p. 15-36.

BAUDRILLARD, Jean. A Sociedade de Consumo. Lisboa: Edições 70, 1995.

BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas II – infância em Berlim por volta de 1900. São Paulo: Brasiliense, 1985.

BERGMAN, Klaus. A História na Reflexão Didática. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 9, n. 19, p. 29-42, set. 1989/fev. 1990.

BLOCH, Ernst. O Princípio Esperança. Tradução de Nélio Schneider. Rio de Janeiro: EdUERJ: Contraponto, 2005.

BOSI, Ecléa. O Tempo Vivo da Memória: ensaios de psicologia social. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

BRANDÃO, Carlos R. A Pergunta a Várias Mãos: a experiência da pesquisa no trabalho do educador. São Paulo: Cortez, 2002.

DE ROSSI, Vera Lúcia. Educação Política da Dor da Felicidade dos Outros. In: VI ENCUENTRO INTERNACIONAL DE INVESTIGADORES - RED EDUCACIÓN, CULTURA Y POLÍTICA EN AMÉRICA LATINA, 1., 2010, Puebla. Anais... Puebla, México: 2010. p. 184-198.

GALZERANI, Maria Carolina Bovério. Memória, Cidade e Educação das Sensibilidades. Resgate, Campinas, v. 20, n. 23, p. 1-6, jan./jun. 2012.

GIL, Carmem Zeli de Vargas; TRINDADE, Rhuan Targino Zaleski (Org.). Patrimônio Cultural e Ensino de História. Porto Alegre: Edelbra, 2014.

GIROUX, Henry. Os Professores como Intelectuais. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

GORZ, André. O Imaterial: conhecimento, valor e capital. Tradução de Celso Azzan Jr. São Paulo: Annablume, 2005.

IMBERNÓN, F. La Formación Inicial y Permanente del Profesorado de Secundaria. Hacia un nuevo concepto de formación del profesorado. Íber. Didáctica de las Ciencias Sociales, Geografía e Historia, Barcelona, n. 65, p. 67-74, jul. 2010.

JACOBY, Russel. Imagem Imperfeita: pensamento utópico para uma época antiutópica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

LOPES, Francisco Régis. A Danação do Objeto: o museu no ensino de História. Chapecó: Argos, 2004.

MARTINEZ, Paulo. Laboratório de História e Meio Ambiente: estratégia institucional na formação continuada de professores. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 24, n. 48, p. 233-251, 2004.

MESQUITA, Ilka Miglio. Memórias/identidades em Relação ao Ensino e Formação de Professores de História: diálogos com fóruns acadêmicos nacionais. 2008. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

MIRANDA, Sonia; PAGÈS, Joan. Cidade, Memória e Educação: conceitos para provocar sentidos no vivido. In: MIRANDA, Sonia; SIMAN, Lana (Org.). Cidade, Memória e Educação. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2013. p. 59-92.

MIRANDA, Sonia; SIMAN, Lana. A Cidade como Espaço Limiar: sobre a experiência urbana e sua condição educativa, em caminhos de investigação. In: MIRANDA, Sonia; SIMAN, Lana (Org.). Cidade, Memória e Educação. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2013. p. 13-40.

MONTEIRO, Ana Maria. Professores de História: entre saberes e práticas. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

NÓVOA, Antonio. Para uma Formação de Professores Construída dentro da Profissão. In: NÓVOA, Antonio (Org.). Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009. p. 25-46.

PACIEVITCH, Caroline. Responsabilidade Docente: utopias de professores de história. Curitiba: Appris, 2014.

PAGÈS, Joan; GUTIÉRREZ, Marta. La formación del profesorado en Didáctica de las Ciencias Sociales: aportes interdisciplinares. In: PAGÈS, Joan; SANTISTEBAN, Antoni (Ed.). Una Mirada al Pasado y un Proyecto De Futuro: Investigación e innovación en didáctica de las ciencias sociales. Barcelona: UAB, 2014. p. 261-284.

PAIM, Elison Antonio. Memórias e Experiências do Fazer-se Professor. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005. Disponível em: <http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000379547>. Acesso em: 23 fev. 2012.

PEIXOTO, Nelson Brissac. O Olhar do Estrangeiro. In: NOVAES, Adauto (Org.). O Olhar. São Paulo: Companhia das Letras, 1988. p. 361-266.

PETRUCCI, Maria Inês; RAMOS, Tacita. Memórias e Odores: experiências curriculares na formação docente. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, v. 13, n. 39, p. 565-599, set./dez. 2008.

PREFEITURA DE PORTO ALEGRE [Homepage]. Viva o Centro. Disponível em: <http://www2.portoalegre.rs.gov.br/vivaocentro/>. Acesso em: 15 out. 2014.

POSSAMAI, Zita Rosane. Cidade: escritas da memória, leituras da história. In: POSSAMAI, Zita Rosane (Org.). Leituras da Cidade. Porto Alegre: Evangraf, 2010.

PRADO, Rossanna; NUNES, Cármen. Ofícios Antigos de Porto Alegre. Porto Alegre: Rossanna Prado, 2011.

QUINTANA, Mário. O Mapa. In: AAVV. Porto Alegre Ontem e Hoje. Porto Alegre: Movimento, 1971.

RICCI, Cláudia Sapag. A Formação do Professor e o Ensino de História: espaços e dimensões de práticas educativas (Belo Horizonte, 1980/2003). 2003. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução Alain François. Campinas: Editora da UNICAMP, 2007.

SARLO, Beatriz. Cenas da Vida Pós-moderna: intelectuais, arte e vídeo-cultura na Argentina. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1997. 196 p.

SENNETT, Richard. O Artífice. 3. ed. Rio de Janeiro: Record, 2012.

SOCIEDADE dos poetas mortos [Deadpoet’ssociety]. Direção: Peter Weir. Produção: Touchstone Pictures. Intérpretes: Robin Williams, Robert S. Leonard, Ethan Hawke e outros. Roteiro: Tom Schulman. Música: Jimmie Driftwood. EUA: Touchstone, 1990. VHS. (128min), color. legendado.

SOUZA, Maria Cecília Cortez Christiano de. Escola e Memória. Bragança Paulista: Editora da Universidade São Francisco, 2000.

SPOSITO, Marilia Pontes. A Ilusão Fecunda: a luta por educação nos movimentos populares. São Paulo: Hucitec, Edusp, 1993.

THORNTON, Stephen. Teacher as a Curricular-instructional Gatekeeper in Social Studies. In: SHAVER, J. (Ed.). Handbook of Research on Social Studies Teaching and Learning: a project of the National Council for the Social Studies. New York: Macmillan Publishing Company; Toronto: Collier Macmillan, 1991. p. 237-248.

TRINDADE, Rhuan Targino Zaleski; AZEVEDO, Paulo Sergio de Souza. Museu de História da Medicina: “Cadê os dinossauros?”. In: GIL, Carmem Zeli de Vargas; TRINDADE, Rhuan Targino Zaleski (Org.). Patrimônio Cultural e Ensino de História. Porto Alegre: Edelbra, 2014. p.123-136

TUTIAUX-GUILLON, Nicole. Les Qüestionssocialment Vives, un Repte per a la Història i la Geografía Escolars? In: PAGÈS, Joan; SANTISTEBAN, Antoni (Coord.). Les Qüestionssocialment Vives i l’ensenyement de les Ciències Socials. Barcelona: UAB, 2011. p. 25-44. Disponível em: . Acesso em: 21 set. 2014.

ZANIRATI, Mauri. Vasculhando Papéis: documentos escolares no ensino de História. In: MEINERZ, Carla et al. (Org.). Caderno Pedagógico do PIBID História/UFRGS. Porto Alegre: UFRGS, 2013. Disponível em: <http://www.ufrgs.br/pibid/>. Acesso em: 21 set. 2014.

Publicado
02-04-2015
Como Citar
de Vargas Gil, C., & Pacievitch, C. (2015). Patrimônio cultural e ensino de História: experiências na formação de professores DOI10.5216/o.v15i1.34720. OPSIS, 15(1), 28-42. https://doi.org/10.5216/o.v15i1.34720
Seção
Dossiê Ensino de História e formação docente: pesquisas sobre o Ensino de História