Mulheres na Marcha da Coluna Prestes: Histórias que não nos contaram

Autores

  • Maria Meire Carvalho Universidade Federal de Goiás/Regional Cidade de Goiás (UFG), Cidade de Goiás, GO

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v15i2.34221

Palavras-chave:

Coluna Prestes, Memória, Representações, Vivandeiras

Resumo

Neste artigo apresento a participação das mulheres na marcha da Coluna Prestes, movimento que percorreu 25.000 km pelos sertões do Brasil, entre os anos de 1925 a 1927. Trago como objeto de estudo as memórias e representações dadas às vivandeiras. Para tanto, busco evidenciar os construtos veiculados em diferentes discursos sobre a presença e ação das mulheres nessa marcha. Num esforço de desnaturalização estive, particularmente, atenta aos indícios que me possibilitaram questionar o que se apresentava como dado natural sobre a atuação e significação das mulheres em movimentos armados. Falar sobre essas mulheres implica produzir outras visões/leituras do mundo social, desatreladas da perspectiva sexista naturalizada como padrão e presente na produção do conhecimento histórico. Portanto, procurei também escrever uma parte da história que os livros não nos contaram.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Meire Carvalho, Universidade Federal de Goiás/Regional Cidade de Goiás (UFG), Cidade de Goiás, GO

Professora Adjunta da UFG, Regional Goiás, pesquisadora da área de Gênero, Direitos e Sexualidade. Atualmente diretora da Regional Goias.

Referências

BRAZIL, Érico; SCHUMAHER, Schuma (Org.). Dicionário Mulheres do Brasil. São Paulo: Jorge Zahar, 2000.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003.

CARVALHO, Maria Meire. Vivendo a verdadeira vida: vivandeiras, mulheres em outras frentes de combates. Brasília: UnB, 2008 (Tese de Doutorado).

___________. A invenção das vivandeiras: mulheres na marcha da Coluna Prestes – a trajetória silenciada.Goiânia: UFG, 2001. (Dissertação de Mestrado defendida no Programa de Pós-Graduação em História).

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 12. ed. Tradução Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução Beatriz Sidou. São Paulo: Centauro, 2006.

LANDUCCI, Ítalo. Cenas e episódios da revolução de 1924 e da Coluna Prestes. 2 ed. São Paulo: Brasiliense, 1952.

LAROUSSE, Koogan. Pequeno dicionário enciclopédico. Rio de Janeiro:Larousse do Brasil, 1982.

LINS DE BARROS, João Alberto. Memórias de um revolucionário. 1ª Parte: A marcha da Coluna Prestes. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1953.

MOREIRA LIMA, Lourenço. A Coluna Prestes, marchas e combates. 3. ed. São Paulo: Alfa ômega, 1979.

MUNIZ, Diva do Couto; NAVARRO-SWAIN, T. Mulheres em ação: práticas discursivas, práticas políticas.Santa Catarina: Ed. Mulheres / Belo Horizonte: PUC, 2005.

NAVARRO-SWAIN, Tânia. A desconstrução das evidências: perspectivas feministas e foucaultianas. In: ALVAREZ, M.C; MISKOLCI, R; SCAVONE (Org.). O legado de Foucault. São Paulo: UNESPE, 2006, p. 116-137.

____________. A invenção do corpo feminino ou a hora e a vez do nomandismo identitário. In:NAVARRO-SWAIN, T. (Org). Textos de História. Feminismos. Teorias e Perspectivas.Revista do Programa de Pós-Graduação em História (UnB). Brasília: UnB, v. 08, n.1/2, 2000.

PRESTES, Anita Leocádia. A Coluna Prestes. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1991.

POLLAK, Michel. Memória, esquecimento e silêncio. Estudos históricos. n.3, v.2. Rio de Janeiro: Vértice, 1989. p. 03-15.

SILVA, João (capitão). Farrapos de nossa história: a marcha da Coluna Prestes do extremo sul às cabeceiras do Rio Apa. São Nicolau (RS), s/e, 1959.

Fontes impressas:

O Jornal, Rio de Janeiro (1927), p. 06.

Jornal Diário de Notícia, Salvador (BA), 1926.

Jornal A Tarde, Salvador (BA), 1926.

Revista Nosso Século. Rio de Janeiro, 1982.

Arquivos:

Arquivo da fundação Getúlio Vargas (RJ).

CEPEDOC/FGV(RJ) – Centro de Estudos, Pesquisa e Documentação Contemporânea. Cópia de áudio, gravação transcrita.

Downloads

Publicado

19-12-2015

Como Citar

Carvalho, M. M. (2015). Mulheres na Marcha da Coluna Prestes: Histórias que não nos contaram. OPSIS, 15(2), 356–369. https://doi.org/10.5216/o.v15i2.34221

Edição

Seção

Dossiê: Relações de gênero, História, Educação e Epistemologias feministas: O Centro-Oeste em debate