Relações de Gênero e Ensino de História: (in)visibilidades na escolarização de meninos e meninas na Província de Goiás (1827-1889)

Autores

  • Thiago Fernando Sant'Anna Universidade Federal de Goiás/Regional Cidade de Goiás, Cidade de Goiás, GO

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v15i2.33686

Palavras-chave:

História, Gênero, Educação, Ensino de História

Resumo

O presente artigo pretende investigar as imagens do ensino de História e suas interfaces com as relações de gênero na escolarização de meninos e meninas na Província de Goiás (1827-1889). À luz dos Estudos Feministas e de Gênero, analisamos o discurso das leis e de fragmentos de um livro didático e argumentamos que a escola em suas diversas práticas discursivas, funcionava, como já assinalamos, como uma complexa tecnologia produtora/reprodutora de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Fernando Sant'Anna, Universidade Federal de Goiás/Regional Cidade de Goiás, Cidade de Goiás, GO

Doutor em História pela Universidade de Brasília, com Pós-Doutorado em Arte e Cultura Visual, pela Faculdade de Artes Visuais/Universidade Federal de Goiás onde atua como professor do quadro permanente, atualmente é também professor adjunto do curso de Serviço Social da Universidade Federal de Goiás/ Campus Cidade de Goiás, com experiências de ensino, pesquisa e extensão nas áreas de História, Sociologia, Gênero, Educação, Fotografia, circunscritas às experiências do Brasil no século XIX ao dias contemporâneos. Atualmente é membro do Comitê de Ética da UFG.

Referências

ACTO de 11 de Fevereiro de 1887, redando Regulamento para a Instrução primaria da Provincia. Regulamento para Instrucção Primária da Província de Goyaz. Goyaz: Typographia Provincial, 1887. Arquivo da sala de Documentação Encadernada do Arquivo Histórico Estadual de Goiás.

BRASIL. Constituição Política do Império, Rio de Janeiro, 1824. Disponível em: <http://www.cmp.rj.gov.br/petro1/constituicao.htm>. Acesso em: 10 out. 2007.

BRASIL. Lei geral de instrução pública, de 15 de outubro de 1827. Lex: collecção das Leis do Imperio do Brasil, desde a Independência. 1826 a 1829, Ouro Preto, v. 2, 1830. Arquivo da Sala de Documentação Encadernada do Arquivo Histórico Estadual de Goiás.

BRETAS, Genesco Ferreira. História da Instrução Pública em Goiás. Goiânia: CEGRAF/UFG, 1991, p. 626. (Coleção Documentos Goianos, 21).

CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial. Teatro das sombras: a política imperial. 4. ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003, p. 63.

LAURETIS, Teresa de. Tecnologias do Gênero. Tradução de Suzana Funck. In: HOLLANDA, Heloísa Buarque de. (Org.). Tendências e Impasses: o feminismo como crítica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994, p. 206-242.

LIVRO DIDÁTICO. Ligeiras noções sobre Moral e Educação Doméstica e etc, do Prof. Lima, da Escola Rural da Fazenda Caiana, Município de Ouro Fino. In: BRETAS, Genesco Ferreira. História da Instrução Pública em Goiás. Goiânia: CEGRAF/UFG, 1991, p. 624-634. (Coleção Documentos Goianos, 21).

NAVARRO-SWAIN, Tânia. A invenção do corpo feminino ou a hora e a vez do nomadismo identitário. In: SWAIN, Tânia Navarro (Org.). Feminismos: Teorias e Perspectivas. Textos de História: Revista do Programa de Pós-Graduação em História da UnB. Brasília, UnB, vol.8, n.1/2, 2000.

SCOTT, Joan. Prefácio. A gender and politics of history. Cadernos Pagu, Campinas, v.3, p.11-27, 1994.

Downloads

Publicado

19-12-2015

Como Citar

Sant’Anna, T. F. (2015). Relações de Gênero e Ensino de História: (in)visibilidades na escolarização de meninos e meninas na Província de Goiás (1827-1889). OPSIS, 15(2), 470–478. https://doi.org/10.5216/o.v15i2.33686

Edição

Seção

Dossiê: Relações de gênero, História, Educação e Epistemologias feministas: O Centro-Oeste em debate