Educação escolar e saberes sociais em narrativas de trabalhadores; o trabalho da palavra e da consciência histórica DOI10.5216/o.v14i2.30898

Autores

  • Luzia Marcia Resende Silva UFG/Catalão

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v14i2.30898

Palavras-chave:

Saberes escolares, Saberes sociais, Analfabetismo, Reconhecimento social, Consciência histórica.

Resumo

O objetivo deste texto é refletir sobre a relação entre saber escolar e outros saberes sociais e sobre a inconveniência da valorização da cultura letrada em detrimento de outras culturas na sociedade capitalista. A partir da narrativa de carregadores de mercadorias, buscamos uma compreensão de como eles explicitam uma clara consciência da relação desigual entre os diferentes saberes, explicam detalhadamente seus saberes construídos na experiência cotidiana do universo de trabalho e apresentam uma demanda pelo seu reconhecimento, desmistificando os discursos que os desqualificam e expondo as debilidades de um sistema onde convivem com muitas pessoas escolarizadas desempregadas. A partir da experiência dos carregadores de mercadorias, podemos refletir sobre importância da luta por uma educação escolar “libertadora”, “para além do capital”, que dialogue com os demais saberes sociais e se construa a partir das experiências de vida dos sujeitos e não exclua ou desqualifique outros saberes como a única maneira de vencer uma história onde o domínio dos saberes escolares quase sempre esteve associado à construção de privilégios e dominação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luzia Marcia Resende Silva, UFG/Catalão

Professora Doutora do Departamento de História e Ciências Sociais da UFG, Campus Catalão

Downloads

Publicado

29-10-2014

Como Citar

Silva, L. M. R. (2014). Educação escolar e saberes sociais em narrativas de trabalhadores; o trabalho da palavra e da consciência histórica DOI10.5216/o.v14i2.30898. OPSIS, 14(2), 166–184. https://doi.org/10.5216/o.v14i2.30898

Edição

Seção

Dossiê História, Sociedade e Práticas Educativas