A “vulgarização” da ciência: a instrução pública no discurso do Instituto Politécnico Brasileiro no Segundo Império DOI10.5216/o.v14i2.30867

Autores

  • Ana Paula Almeida Lima Universidade de Passo Fundo

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v14i2.30867

Palavras-chave:

Palavras-Chave, Instrução Pública, Instituto Politécnico Brasileiro, Segundo Império.

Resumo

Resumo: Fundado em 1862 o Instituto Politécnico Brasileiro (IPB) reunia em uma das salas da antiga Escola Militar do Rio de Janeiro, além de egressos da referida instituição, interessados em discutir os rumos da engenharia nacional. A pauta, no entanto, não estava restrita à engenharia, pois o discurso do IPB baseava-se na modernização do Estado através de diferentes frentes de ação, entre elas a instrução pública. Essa última estaria vinculada a tarefa de civilizar e controlar a população. A partir do ideário discutido e registrado nas atas das reuniões do IPB, busca-se compreender o pensamento dos seus membros acerca das formas de difusão do conhecimento científico. “Vulgarizar” a ciência, ou seja, difundir e torná-la clara à população, seria um ponto de partida para a resolução daquilo que consideravam problemas nacionais naquele contexto histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Almeida Lima, Universidade de Passo Fundo

Pós-doutoranda PNPD/CAPES no Programa de Pós-Graduação em História da UPF. Doutora em História pela PUCRS. Mestre e Licenciada em História pela UPF.

Downloads

Publicado

24-10-2014

Como Citar

Almeida Lima, A. P. (2014). A “vulgarização” da ciência: a instrução pública no discurso do Instituto Politécnico Brasileiro no Segundo Império DOI10.5216/o.v14i2.30867. OPSIS, 14(2), 148–165. https://doi.org/10.5216/o.v14i2.30867

Edição

Seção

Dossiê História, Sociedade e Práticas Educativas